Os 50 anos de ‘As veias abertas da América Latina’

(5 Estrelas - 1 Votos)

Clássico do escritor Eduardo Galeano é um dos principais livros da literatura latino-americana. Confira também outros títulos do autor!

Publicado há 50 anos, o livro As veias abertas da América Latina, de Eduardo Galeano, foi “o ponto de partida e não o de chegada”, como definiu o próprio autor. A obra, uma das principais da literatura latino-americana, transcendeu fronteiras e conquistou também o mundo. Durante as cinco décadas, foi traduzida em mais de 20 idiomas.

No livro, Galeano analisa a história da América Latina desde a colonização até o mundo contemporâneo. O autor uruguaio posiciona-se contra a exploração econômica e a dominação política do continente, tanto dos europeus quanto dos norte-americanos. Além do Uruguai, o livro chegou a ser proibido no Brasil, na Argentina e no Chile durante os períodos de ditadura militar.

Sobre o autor

Nascido em 3 de setembro de 1940, em Montevidéu, no Uruguai, o escritor Eduardo Galeano publicou ensaios, crônicas e poesias que mesclam ficção, análise política, história e jornalismo. No fim da década de 1960, ele tornou-chefe de redação em um jornal semanal. Foi com o livro As veias abertas da América Latina que o autor ganhou projeção internacional, em 1971.

Por causa da obra, considerada uma das referências da esquerda política, Galeano foi perseguido durante a ditadura militar no Uruguai. Em 1973, ele foi preso e exilou-se na Argentina. Três anos depois, com a ditadura no país, ele mudou-se para a Espanha, onde, em 1985, lançou o livro Memória do fogo.

Conheça também outros livros de Eduardo Galeano!


O livro dos abraços

O livro dos abraços foi escrito durante o exílio de Eduardo Galeano. A obra reúne memórias, sonhos e fábulas que entrelaçam o real e o fantástico. São fragmentos que celebram a diversidade e têm na memória do autor o seu fio condutor: “Recordar: do latim re-cordis, voltar a passar pelo coração.” O escritor dá voz aos amordaçados e estende um longo abraço aos resistentes, amaldiçoados pela economia, afugentados pela polícia, esquecidos pela cultura.


O caçador de histórias

O caçador de histórias foi escrito durante os últimos anos de vida do escritor Eduardo Galeano. Esta obra é o derradeiro presente do autor a seus leitores e mostra que o uruguaio foi um caçador feliz, curioso em relação a tudo até o fim da vida. Este livro marcará gerações na literatura.


A descoberta da América (que ainda não houve)

O livro A descoberta da América (que ainda não houve) reúne crônicas e ensaios que giram em torno da conquista sangrenta na América. Os textos mostram as contradições de um continente dividido entre a violência das elites e a esperança dos menos favorecidos, das verdades e mentiras sobre dor e poesia.


A canção de nossa gente

Este é um livro que você não encontra mais nas livrarias físicas. A canção de nossa gente é um romance histórico sobre a inquisição na América Latina. Nesta obra, o escritor Eduardo Galeano restaura e inova o significado da liberdade – uma linguagem muitas vezes desgastada.


Mulheres

Em Mulheres, temos uma magnífica prova da fascinante prosa do escritor Eduardo Galeano. Arrebatadora, a obra reúne diversos textos do autor, que são uma verdadeira homenagem a todas as mulheres – célebres ou anônimas – da América Latina.


Você já leu algum livro de Eduardo Galeano?


Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *