10 autoras para você ler em 2021

(5 Estrelas - 3 Votos)

Que tal conhecer escritoras incríveis nos próximos 12 meses? Confira as nossas sugestões e boa leitura!

Nada melhor do que começar 2021 com uma boa leitura, né? Para ajudar você, selecionamos dez autoras incríveis que todos deveriam conhecer nos próximos 12 meses. A lista inclui escritoras como Mariana Salomão Carrara, do livro Se deus me chamar, não vou, e Ana Paula Maia, roteirista da série Desalma, da Globoplay.

Confira a nossa seleção completa e escolha sua próxima leitura!


Ana Paula Maia

Vencedora do Prêmio São Paulo de Literatura por dois anos seguidos (2018 e 2019), a escritora Ana Paula Maia é uma das principais da literatura brasileira contemporânea. Nascida em dezembro de 1977, no Rio de Janeiro, ela já publicou seis livros e roteirista da série Desalma.

Entre suas principais obras está Assim na Terra, como embaixo da Terra, que ganhou a premiação, em 2019. No livro, uma colônia penal isolada – um terreno com um histórico tenebroso de assassinato e tortura de escravos –, construída para ser um modelo de detenção do qual preso nenhum fugiria, torna-se campo de extermínio. Espécie de capitão do mato/carcereiro, Melquíades é o algoz dos presos, caçando e matando-os como animais, apenas por satisfação pessoal.


Mariana Salomão Carrara

A paulistana Mariana Salomão Carrara foi um dos principais destaques da literatura, em 2020, com o livro Se deus me chamar, não vou. A obra, narrada por uma menina de 11 anos, mostra uma aprendiz de escritora enfrentando as angústias da “pior idade do universo”. Ela irá te provar que é possível, sim, que uma menina seja mais solitária do que um velho.

Em 2015, ela já havia publicado o livro de contos Delicada uma de nós, com o qual ganhou o prêmio Off-Flip. Em 2017, lançou o seu primeiro romance, Fadas e copos no canto da casa. Há dois anos, conquistou o segundo lugar do Prêmio Guiões de Roteiros em Língua Portuguesa, em Portugal, pelo roteiro do longa-metragem É lá que eu quero morar.


Djamila Ribeiro

A escritora e filósofa Djamila Ribeiro foi uma das autoras mais vendidas em 2020 na Estante Virtual e no país, com o livro Pequeno manual antirracista. A obra reúne 11 lições breves para entender as origens do racismo e como combatê-lo. O livro trata de temas como atualidade do racismo, negritude, branquitude, violência racial, cultura, desejos e afetos.

Nascida em 1 de agosto de 1980, em Santos, Djamila é formada em Filosofia pela Universidade Federal de São Paulo e concluiu o mestrado em Filosofia Política, em 2015, na mesma instituição. Seu primeiro livro, O que é lugar de fala?, foi publicado em 2017. No ano seguinte, ela lançou Quem tem medo do feminismo negro?.


Natalia Borges Polesso

Vencedora do Prêmio Jabuti, na categoria de Contos, Natalia Borges Polesso também é um dos principais nomes da literatura contemporânea do país. Doutora em Teoria da Literatura, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), a escritora é atualmente pesquisadora de pós-doutorado, na Universidade de Caxias do Sul.

Em 2019, estreou no romance com o livro Controle, que retrata o amor e a amizade entre duas mulheres. Na obra, Natalia apresenta uma narrativa impactante sobre relações homoafetivas entre mulheres, o poder do desafio e, acima de tudo, as escolhas que precisam ser feitas para que as pessoas se tornem quem elas querem ser.


Ana Maria Gonçalves

Nascida em 1970, em Minas Gerais, a escritora Ana Maria Gonçalves é uma das referências da literatura negra no país. A autora conquistou maior repercussão no Brasil, em 2006, quando lançou Um defeito de cor, já considerado um clássico na literatura brasileira. Narrado em primeira pessoa, o romance conta a trajetória de Kehinde, nascida no Benin, a partir do momento em que é escravizada, ainda na infância, até o retorno à África.


Daniela Arbex

Nos últimos anos, a jornalista Daniela Arbex tornou-se um dos principais nomes do jornalismo brasileiro. A escritora nasceu em 19 de abril de 1973, em Juiz de Fora, em Minas Gerais, e formou-se em Comunicação Social pela Universidade Federal de Juiz de fora, em 1995. Por mais de 20 anos, foi repórter especial do jornal Tribuna de Minas.

Entre seus livros de destaque estão Holocausto brasileiro e Todo dia a mesma noite. Em 2020, lançou a biografia Os dois mundos de Isabel, que conta a história de Isabel Salomão de Campos, que começou a ver e ouvir coisas que ninguém compreendia desde a infância.


Mary del Priore

Uma das principais historiadoras do país, Mary del Priore nasceu, em 1968, no Rio de Janeiro. Ao longo da carreira, a escritora já lançou mais de 40 livros. Entre os de maior destaque estão Histórias da gente brasileira, O castelo de papel e História do corpo no Brasil.

Em 2020, ela publicou o livro Sobreviventes e guerreiras, fundamental para entender a importância de se discutir a luta pela igualdade de direitos para as mulheres. A brasileira continua sendo agredida, desqualificada, perseguida, insultada. Para que uma nova ordem social se torne realidade, é preciso procurar no passado as raízes deste poder dos homens sobre as mulheres e, sobretudo, aprender com elas como se fizeram ouvidas.


Virginia Woolf

É claro que as autoras clássicas também não poderiam ficar de fora da lista. Nascida em Londres, em 1882, a escritora Virginia Woolf foi uma das mais proeminentes figuras do Modernismo. A autora era membro do Grupo de Bloomsbury e desempenhava um papel de significância dentro da sociedade literária londrina durante o período entre guerras.

Um de seus principais livros é Mrs Dalloway, cuja história se passa em apenas um dia, em junho de 1923. Clarissa Dalloway resolve ela mesma comprar flores para a festa que vai oferecer logo mais, à noite, em sua casa. A partir desta cena inicial, o romance segue a protagonista pelas ruas de Londres num ritmo cinematográfico, registrando suas ações, sensações e pensamentos.


Octavia Butler

A escritora Octavia Butler é fundamental para quem quer mergulhar na literatura de ficção científica. Em seus livros, a autora insere questões relacionadas ao preconceito e ao racismo. Entre suas principais obras está A parábola do semeador, lançada em 2018.

Quando uma crise ambiental e econômica leva ao caos social, nem mesmo os bairros murados estão seguros. Em uma noite de fogo e morte, Lauren Olamina, a jovem filha de um pastor, perde tudo e se aventura por um Estados Unidos dominado pela violência e pelo terror. Mas o que começa como uma fuga pela sobrevivência acaba levando a algo muito maior: uma surpreendente visão do destino humano.


Elena Ferrante

A escritora Elena Ferrante é um dos maiores fenômenos da literatura mundial. Ela escreve sob seu pseudônimo e, até hoje, ninguém descobriu sua real identidade. Acredita-se que ela tenha nascido em Nápoles, na Itália, na década de 1940. Seus livros de maior sucesso são da tetralogia Napolitana, que narra a amizade das amigas Elena e Lila.

Em 2020, Elena Ferante lançou o romance A vida mentirosa dos adultos, que retrata os conflitos da adolescência em uma cidade dividida. As mudanças no rosto de Giovanna anunciam o início da adolescência e não passam despercebidas em casa. Dois anos antes de abandonar a família, Andrea não se dá conta do que sentencia quando sussurra para a esposa que a filha é muito feia. Essa feiura estética, mas que também indica uma possível falha de caráter, recai sobre Giovanna como uma herança indesejável de Vittoria, a irmã há muito renegada por Andrea.


Qual escritora você incluiria na lista? Comente e participe!


Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *