A importância de Alice Walker para a literatura

(5 Estrelas - 2 Votos)

Nascida em 9 de fevereiro de 1944, a escritora ficou conhecida mundialmente com o livro A cor púrpura. Conheça a trajetória da autora!

Vencedora do Prêmio Pulitzer, principal premiação da literatura mundial, a escritora Alice Walker nasceu em 9 de fevereiro de 1944, no estado da Geórgia, nos Estados Unidos. Além do romance A cor púrpura, a autora ficou conhecida mundialmente por seu ativismo e luta contra o Apartheid e o feminicídio.

Alice nasceu em uma cidade rural de classe renda baixa. Seu pai trabalhava em um sistema de parceria rural, enquanto a mãe era costureira. Aos oito anos, Alice perdeu a visão do olho direito depois de um acidente. E foi a partir deste momento que ela começou a ter uma relação mais próxima com os livros e a escrita.

Em plena época de segregação racial americana, ela precisou estudar na cidade de Eatonton, onde havia o único colégio para negros. Como teve o melhor desempenho na escola, conseguiu uma bolsa de estudos integral na Spelman College, em 1961, onde envolveu-se com movimentos sociais. Dois anos depois, Alice transferiu seus estudos para o Sarah Lawrence College, em Nova York.

Literatura

Alice Walker ganhou maior notoriedade na literatura mundial após a premiação, com o livro A cor púrpura, em 1982. O romance epistolar conta a história de Celie, uma mulher negra e semianalfabeta, que mora nos Estados Unidos, e planeja uma vida diferente para ela e sua irmã, Nettie.

Ao longo da narrativa, os leitores acompanham o dia a dia de Celie, que escreve diariamente cartas a Deus e à irmã, pedindo melhores condições de vida. A obra, que enfatizou a importância de Alice Walker na literatura, escancara a desigualdade social, o racismo, a pobreza e a violência contra a mulher. A cor púrpura também inspirou um filme, do diretor Steven Spielberg, em 1986, com a atriz Whoopi Goldberg no elenco.

Que tal conhecer outros livros de Alice Walker? Selecionamos algumas de suas principais obras. Boa leitura!


O templo dos meus familiares

Você só consegue encontrar esse livro na Estante Virtual. História de amor, fábula, depoimento, manifesto feminista, o romance de Alice Walker é uma prova cabal de seu fôlego de narradora e seu dom especial para criar personagens memoráveis.


Vivendo pela palavra

Verdadeira meditação sobre problemas relacionados com ecologia, feminismo, política e racismo, este livro de ensaios de Alice Walker descreve experiências pessoais em vários níveis. Com anotações de seu próprio diário a artigos publicados em revistas e jornais de prestígio, Alice explora com habilidade casos verídicos, fala de convivência do ser humano com o meio ambiente, luta contra o armamentos e analisa a espécie de sociedade desenvolvida em comunidades homossexuais.


Rompendo o silêncio

A autora descreve, de forma comovente, suas impressões colhidas durante algumas viagens: em 2006, a Ruanda e ao Congo, convidada pela organização Women for Women International, para se encontrar com sobreviventes do genocídio ocorrido nesses países; e, em 2009, à Palestina e a Israel, por iniciativa do grupo pacifista Codepink. O livro apresenta a história de mulheres e de crianças mutiladas pela guerra. Não se trata somente de mutilação física, mas, sobretudo, psicológica.


Ninguém segura essa mulher

Você também só encontra este livro na Estante Virtual. Ninguém segura essa mulher é uma coleção de pequenos flagrantes da vida, recriados pelo talento explosivo de Alice Walker. Esta obra expõe momentos de amargura, mas também de triunfo da condição feminina e dos espaços que as mulheres conquistaram.


Você já leu algum livro de Alice Walker?


Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *