Conheça os 10 livros mais vendidos de dezembro na Estante Virtual

(2.3 Estrelas - 35 Votos)

Nosso top 10 é marcado por muitos clássicos da literatura. Veja o ranking e escolha sua próxima leitura!

Como de tradição, o nosso top 10 dos livros mais vendidos do mês é marcado pela presença de muitos clássicos da literatura. Em dezembro, o mais pedido pelos nossos leitores foi o infantojuvenil O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry. Por meio de imagens e símbolos, a obra consolida a representação do próprio escritor em um monólogo entre o “eu” e o “outro”.

LEIA MAIS: Meninos sem pátria é o livro mais vendido da Estante Virtual

Em segundo lugar, aparece Como fazer amigos e influenciar pessoas, de Dale Carnegie, seguido de A revolução dos bichos, de George Orwell. No meio de tantos clássicos, há o livro A sutil arte de ligar o f*da-se, de Mark Manson, que marcou presença no top 10 diversas vezes em 2018.

Ficou curioso? Confira a nossa lista completa e boa leitura!


O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry

Este clássico é um dos primeiros que vem à mente de crianças e adultos. Antoine de Saint-Exupery narra a história em que um pequeno príncipe conta sua própria história (da sua flor e do seu pequeno planeta). Por meio de imagens simbólicas, o enredo se consolida na representação do próprio escritor em um monólogo interior entre o “eu” e o “outro”.

O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry


Como fazer amigos e influenciar pessoas, de Dale Carnegie

Como fazer amigos e influenciar pessoas é um guia sobre relacionamentos, seja no âmbito profissional ou pessoal. Dale Carnegie busca fornecer, de maneira direta, técnicas e métodos para que qualquer pessoa alcance seus objetivos pessoais e profissionais.Como fazer amigos e influenciar pessoas, de Dale Carnegie


A revolução dos bichos, de George Orwell

Este clássico de George Orwell sempre marca presença na lista dos mais vendidos da Estante Virtual. A revolução dos bichos foi escrito durante a Segunda Guerra Mundial e causou desconforto ao satirizar a ditadura stalinista em uma época em que os soviéticos eram aliados ao Ocidente na luta contra o eixo nazifascista. São claras as referências, como o despótico Napoleão que seria Stálin e os eventos políticos da União Soviética. A Revolução dos Bichos


Quarto de despejo – Diário de uma favelada, de Carolina Maria de Jesus

Com linguagem simples, este livro retrata o duro cotidiano de uma favelada. Na obra, uma mulher negra e pobre conta o que viveu, sem artifícios ou fantasias. O texto escrito em primeira pessoa do singular registra fatos políticos e sociais importantes do Brasil, entre 1955 e 1960. A leitura nos coloca em contato com cinco anos da vida da personagem, que representa a voz dos excluídos, marginalizados e estereotipados da nossa sociedade desigual.

Quarto de despejo


A sutil arte de ligar o f*da-se, de Mark Manson

Em A sutil arte de ligar o f*da-se, Mark Manson usa seu olhar crítico para propor um novo caminho rumo a uma vida melhor, mais coerente com a realidade e consciente dos nossos limites. Chega de se sentir inferior por não ver o lado bom das situações e de se torturar para pensar positivo até nos momentos ruins. Por meio de piadas e exemplos inusitados, ele deixa o leitor mais alerta e capaz para enfrentar os desafios na sociedade.

A sutil arte de ligar o f*da-se, de Mark Manson


Dom Quixote, de Miguel de Cervantes

Este é um dos principais clássicos da literatura mundial. Em Dom Quixote, Miguel de Cervantes retrata a história de um senhor rural que gostava de ler livros sobre cavalaria. Obcecado, ele acreditava literalmente nas aventuras escritas e decidiu tornar-se um cavaleiro andante. Suas viagens sucedem-se sob a alucinação de que estava vivendo na era da cavalaria; pessoas que encontrava nas estradas pareciam-lhe como cavaleiros em armas, damas em apuros, gigantes e monstros.Dom Quixote, de Miguel de Cervantes


Frankenstein, de Mary Sheller

Esta é a primeira vez que Frankenstein entra na lista dos livros mais vendidos da Estante Virtual em 2018. Ele era escorraçado de todos os ambientes como se fosse um monstro. Ninguém queria saber de seus sentimentos, nem ligava para o fato de que talvez ele tivesse uma alma. Foi então que ele começou a matar. Ele era mesmo um monstro, mas tinha motivos para isso. Foram esses motivos que o tornaram o personagem mais importante da literatura de horror.

Frankenstein, de Mary Sheller


A droga da obediência, de Pedro Bandeira

Em um clima de mistério e suspense, um grupo de cinco estudantes enfrenta uma macabra trama internacional liderada pelo sinistro Doutor Q.I.. Ele pretende subjugar a humanidade aos seus desígnios, aplicando na juventude uma perigosa droga. Esta já está sendo experimentada em alunos dos melhores colégios de São Paulo. Este é um trabalho para Os Karas, o avesso dos coroas, o contrário dos caretas.

A droga da obediência, de Pedro Bandeira


Mulheres que correm com os lobos, de Clarissa Pinkola

Os lobos foram pintados com um pincel negro nos contos de fada e até hoje assustam meninas indefesas. Mas nem sempre eles foram vistos como criaturas terríveis e violentas. A analista junguiana Clarissa Pinkola Estés acredita que na nossa sociedade as mulheres vêm sendo tratadas de uma forma semelhante. Ao investigar o esmagamento da natureza instintiva feminina, Clarissa descobriu a chave da sensação de impotência da mulher moderna. Mulheres que correm com os lobos


A barca dos amantes, de Antônio Barreto

A condenação, o exílio, a separação de Marília, a frustração de seus planos de liberdade fazem de Tomás Antônio Gonzaga uma vítima de delírios terríveis na sua viagem para Moçambique. Antônio Barreto, transmite neste livro, a história da vida de Dirceu.A barca dos amantes, de Antônio Barreto


O que achou da lista? Comente e participe!

Gabriela Mattos

Analista de comunicação em Estante Virtual
Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.
Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *