8 autores da língua portuguesa que você precisa ler

(5 Estrelas - 1 Votos)

No Dia Mundial da Língua Portuguesa, conheça oito escritores que todo leitor precisa começar a ler. Escolha o seu favorito!

Você sabia que hoje é o Dia Mundial da Língua Portuguesa? Criada em 2009 pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), a data celebra a importância da cultura lusófona e do português, língua materna de mais de 260 milhões de pessoas no mundo.

Atualmente, a língua portuguesa é o 4ª idioma mais falado no mundo, segundo informações do Instituto Camões. Além disso, o português é o idioma oficial de nove países: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

Para comemorar esta data tão especial, eu preparei uma seleção especial com oito autores da língua portuguesa que todo leitor precisa começar a ler. A lista vai do escritor brasileiro Machado de Assis à autora angolana Ana Paula Tavares. Conheça a seleção e aproveite as suas próximas leituras!


Um rio preso nas mãos, Ana Paula Tavares

Um rio preso nas mãos apresenta 38 crônicas que viajam por diferentes assuntos e narrativas, deslizando entre a autobiografia e a escrita ficcional, a crítica sociopolítica e as mitologias africanas, a oralidade e a escrita, o passado e o presente – sobretudo do povo de Angola e de suas mulheres. Através do desenho de paisagens e pessoas, Ana Paula Tavares transporta o leitor para uma escrita que nos comprova que é possível banhar-se nas mais diversas águas dentro de um mesmo rio.


Quarto de Despejo: Diário de Uma Favelada, Carolina Maria de Jesus

Quarto de Despejo – Diário de uma Favelada é o diário de Carolina Maria de Jesus. Moradora da comunidade do Canindé, em São Paulo, e mãe de três filhos, Carolina registra a sua rotina como catadora de papel e revela aos leitores um sensível e contundente relato da dura realidade vivida na periferia da capital paulista.


Perto do Coração Selvagem, Clarice Lispector

Perto do Coração Selvagem é o romance de estreia da carreira de Clarice Lispector. Lançado em dezembro de 1943, o livro impressionou críticos e colegas da autora por tamanha beleza e profundidade contidos na escrita de uma jovem estudante de Direito no alto de seus 23 anos incompletos. Não à toa, a obra foi premiada como “melhor romance de estreia” pela Fundação Graça Aranha, em outubro de 1944.


Barroco Tropical, José Eduardo Agualusa

No ano de 2020, vivem em Luanda o escritor Bartolomeu Falcato e a cantora Kianda, sua amante. Juntos, os dois testemunham um evento insólito. Uma mulher caiu – literalmente – do céu. A pessoa em questão é uma modelo e ex-miss que frequentou a cama de políticos e empresários de expressão e se tornou uma figura incômoda para o establishment.


Ensaio Sobre a Cegueira, José Saramago

Ensaio Sobre a Cegueira parte de uma cegueira branca que começa a atingir moradores de uma cidade. No livro, José Saramago nos apresenta uma imagem aterradora e comovente de tempos sombrios, à beira de um novo milênio. A experiência que cada um viverá com a história é única. No entanto, todos os leitores serão obrigados a pararem, fecharem os olhos e verem o mundo apresentado por Saramago.


Dom Casmurro, Machado de Assis

Conhecido por levantar uma das maiores polêmicas da literatura brasileira, Dom Casmurro trata da trajetória de Bento Santiago, a partir das lembranças de sua infância na Rua de Matacavalos e da história de amor e desventuras que viveu com Capitu. Ao longo da narrativa, Bentinho revela-se um homem perturbado pelo ciúme diante da possibilidade de adultério da mulher com “olhos de ressaca” e o colega Escobar.


Terra Sonâmbula, Mia Couto

Um ônibus incendiado serve de abrigo ao velho Tuahir e ao menino Muidinga, durante a sua fuga da guerra civil que devastou Moçambique. Dentro do veículo, há vários corpos carbonizados, mas, à beira da estrada um outro corpo surge. Junto com ele, está uma mala, que abriga os “cadernos de Kindzu”, o longo diário do morto em questão. A partir daí, duas histórias são narradas paralelamente: a viagem de Tuahir e Muidinga, e, em flashback, o percurso de Kindzu em busca dos naparamas, guerreiros tradicionais, que, aos olhos do garoto, são a única esperança contra os senhores da guerra.


O paraíso são os outros, Valter Hugo Mãe

Para o escritor angolano, radicado em Portugal, os outros são o começo da humanidade. É a partir daí que surge O paraíso são os outros. às páginas conquistam leitores de todas as idades através de um texto sensível, que fala de amor, cumplicidade e esperança.


Qual autor da lista é o seu favorito?


Yasmin Lisboa

Yasmin é jornalista e estudante de Cinema. Cantora e colecionadora de discos e livros, é fascinada pela cultura popular brasileira.

Livros para mergulhar nas editoras independentes Histórias que combinam com café Livros sobre diversidade que você precisa conhecer 9 livros que você leria pelo título Livros para gerenciar a carreira