6 livros indicados por Liev Tolstói

(0 Estrelas - 0 Votos)

Conheça leituras indicadas por um dos grandes autores da literatura mundial

Nascido em  9 de setembro de 1828 em Iasnaia Poliana, na Rússia, Liev Tolstói foi um dos escritores mais importantes da história da literatura mundial. Autor de obras como “Anna Karenina” e “Guerra e Paz”, Tolstói produziu notáveis reflexões sobre aspectos da vida, da sociedade, da educação e da arte. 

Mas o que será que Liev Tolstói gostava de ler nas horas vagas? Antes de falecer, em 1910, o autor compartilhou com o mundo a sua lista dos 100 livros que todo mundo deveria ler. O site Russia Beyond publicou uma compilação com algumas sugestões de Tolstói e nós preparamos uma seleção com os seis títulos indicados pelo escritor russo e que você não pode deixar de conhecer. Confira a lista!


As Confissões, Jean-Jacques Rousseau 

Livro autobiográfico publicado após a morte do autor, As confissões de Jean-Jacques Rousseau pode ser lido como um autêntico romance, resumindo a riqueza de uma personalidade que buscou compreender a vida pelo exercício da escrita, da filosofia e da educação.


Dao de Jing, Laozi

O Dao De Jing, obra fundamental de Lao Zi, ganha não apenas uma nova sonoridade, mais próxima do original, mas também uma nova e maior fidelidade. O Tao (ou melhor, o Dao) então se renova: para quem já conhece o texto central do taoísmo (o livro do curso e de sua virtude), esta tradução oferece um reencontro surpreendente (inclusive pela beleza poética do texto). 


David Copperfield, Charles Dickens

Nascido na Inglaterra dos anos 1820 e órfão de pai desde o nascimento, David Copperfield pertence à imensa massa de desfavorecidos que a literatura do século XIX, pela primeira vez, presenteou com o protagonismo. Parte da tradição do grande romance realista, este livro oferece um retrato acurado de seu tempo e é também um contundente relato sobre a vocação literária.


Odisseia, Homero

Odisseia acompanha a volta de Odisseu, herói da Guerra de Troia, a sua terra natal, depois de vinte anos. A narrativa se divide em três tempos principais: a situação de Penélope e do filho Telêmaco em Ítaca e a viagem de Telêmaco; a narração das suas aventuras passadas (cativo de Calipso, canto das sereias, ciclope e passagem pelo reino dos mortos); regresso de Odisseu a Ítaca e morte dos pretendentes.


Os Miseráveis, Victor Hugo

Considerado um clássico da literatura mundial, Os Miseráveis acompanha a emocionante história de Jean Valjean, um pobre homem que, depois de roubar um pão, é condenado a dezenove anos de prisão. O livro de Victor Hugo reúne política e religião em uma narrativa envolvente e crítica aos diferentes tipos de injustiça que acontecem no mundo.


Pensamentos, Blaise Pascal

Em Pensamentos, Pascal fez sua defesa da religião cristã, destinada a tocar os libertinos (pessoas que negam toda religião revelada, a qual se deve demonstrar) e os céticos (que colocam tudo em dúvida). Segundo Pascal, o homem é um ser miserável, um “nada do ponto de vista do infinito universo, um tudo do ponto de vista do nada, isto é, um meio-termo entre o nada e o tudo”. Sua única esperança é Deus: ele tem tudo a ganhar apostando na existência Dele.


Você já conhecia esses livros?


Yasmin Lisboa

Yasmin é jornalista e estudante de Cinema. Cantora e colecionadora de discos e livros, é fascinada pela cultura popular brasileira.

Os destaques da Bienal de São Paulo Livros para curtir em família Livros para quem assiste à série “Sombra e ossos” Para entender o código civil Livros para quem gostou de Marighella