Os 10 livros mais vendidos em fevereiro na Estante Virtual

(0 Estrelas - 0 Votos)

Ranking do mês foi marcado por muitos clássicos da literatura. Veja a lista completa e escolha sua próxima leitura!

Fevereiro foi um mês de muitas leituras na Estante Virtual, principalmente por ser um mês marcado pelo volta às aulas escolares e universitários. Nesta época do ano, costumam aparecer muitos livros paradidáticos na lista de mais vendidos. Desta vez, não foi diferente: o livro mais vendido do mês foi A droga da obediência, de Pedro Bandeira, um dos clássicos infantojuvenis.

A lista também reuniu outros clássicos, como Dom Quixote, de Miguel de Cervantes, e Quarto de despejo, de Carolina Maria de Jesus. Confira o ranking completo de fevereiro e escolha a sua próxima leitura!


A droga da obediência, de Pedro Bandeira

Em A Droga da Obediência, cinco estudantes conhecidos como “os Karas” enfrentam um crime diabólico. O sinistro Doutor Q.I. pretende comandar a humanidade a partir da aplicação de uma perigosa droga que já está sendo experimentada por alunos dos melhores colégios de São Paulo. Este é um trabalho para os Karas: o avesso dos coroas, o contrário dos caretas.


Quarto de despejo, de Carolina Maria de Jesus

Quarto de Despejo – Diário de uma Favelada é o diário de Carolina Maria de Jesus. Moradora da comunidade do Canindé, em São Paulo, e mãe de três filhos, Carolina registra a sua rotina como catadora de papel e revela aos leitores um sensível e contundente relato da dura realidade vivida na periferia da capital paulista.


A revolução dos bichos, de George Orwell

Escrito na Segunda Guerra Mundial, A Revolução dos Bichos constrói uma sátira feroz à ditadura stalinista com referências à figura de Stalin, Trotsky e de eventos políticos, mimetizando o que de fato ocorria na União Soviética. Para compor uma representação da humanidade da época, George Orwell recorreu aos animais como personagens de uma realidade dura e cruel, que animalizava os homens.


Dom Quixote, de Miguel de Cervantes

No clássico Dom Quixote, Miguel de Cervantes conta história de um senhor rural que gostava de ler livros sobre cavalaria e, acreditando na veracidade das aventuras descritas, decidiu tornar-se um cavaleiro andante. Suas viagens, então, sucedem-se sob a alucinação de que estava vivendo na era da cavalaria.


Auto da compadecida, de Ariano Suassuna

A peça de Ariano Suassuna conta a história de dois amigos que vivem se metendo em confusões no vilarejo onde moram. João Grilo vive envolvido em confusões e Chicó é um covarde que adora contar mentiras. No entanto, o medo, a experiência com a morte, o céu e o inferno vão assombrar os personagens, fazendo com que eles repensem as suas atitudes.


Vidas secas, de Graciliano Ramos

Este é o romance em que Graciliano alcança o máximo da expressão que vinha buscando em sua prosa. O que impulsiona os personagens é a seca, áspera e cruel, e paradoxalmente a ligação telúrica, afetiva, que expõe naqueles seres em retirada, à procura de meios de sobrevivência e um futuro.

Vidas Secas

A ilha perdida, de Maria José Dupré

Eduardo e Henrique resolvem explorar uma misteriosa ilha e descobrir se as histórias que ouvem sobre o lugar são reais. Acabam se envolvendo em uma grande aventura em que um velho sábio ensina o respeito e o amor à natureza. Um clássico da literatura juvenil brasileira, agora com novo formato e ilustrações coloridas. Com Suplemento de Atividades em cores. 


Extraordinário, de R. J. Palacio

Em Extraordinário, conhecemos a história de Auggie, um menino que nasceu com uma deformidade facial e, aos 10 anos, vai precisar frequentar a escola pela primeira vez. Nessa nova experiência, o menino tentará vencer seus medos e se integrar em um mundo completamente novo. Mas a sua presença deve gerar as mais diferentes reações, algumas boas, outras nem tanto — todas profundamente transformadoras.


Os miseráveis, de Victor Hugo

Esta obra narra a emocionante história de Jean Valjean — o homem que, por ter roubado um pão, é condenado a dezenove anos de prisão. Um livro inquietantemente religioso e político. Um romance social marcado por uma vasta análise de costumes da França do século XIX.


O menino no espelho, de Fernando Sabino

Nesta obra, o menino Fernando, que vem a ser o próprio autor, vive todas as fantasias de sua infância por meio de uma deliciosa viagem ao passado de um dos melhores escritores brasileiros. Sabino conta suas memórias, intercalando fatos reais e imaginários, histórias mirabolantes de um menino mineiro que cresceu na Belo Horizonte de 1920. Emocionante e engraçado, o livro é um clássico que acompanha gerações.


O que você achou da lista?


Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Os destaques da Bienal de São Paulo Livros para curtir em família Livros para quem assiste à série “Sombra e ossos” Para entender o código civil Livros para quem gostou de Marighella