11 de setembro: livros narram a vida em meio a conflitos no Oriente Médio

(5 Estrelas - 1 Votos)

Em 2021, os atentados do 11 de setembro completam 20 anos. Conheça livros que tratam das consequências do episódio nesta região

No dia 11 de setembro de 2001, dois aviões comerciais sequestrados colidiram contra dois prédios do complexo World Trade Center, em Nova York. Naquele dia, um outro avião comercial também seria lançado em direção ao Pentágono, edifício sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, e um quarto supostamente se dirigia à Casa Branca, mas acabou caindo na Pensilvânia antes de chegar à casa oficial da presidência americana — na época ocupada por George W. Bush.

Os ataques conduzidos pela rede terrorista Al-Qaeda naquele dia vitimaram cerca de 3 mil pessoas e foram o estopim para que os Estados Unidos respondessem política e militarmente ao terrorismo com uma declarada “Guerra contra o Terror”. A origem dos conflitos tinha a ver com o processo de evolução política do Oriente Médio e envolve episódios que vão desde a Guerra Fria à interferência dos EUA no Irã.

O que aconteceu depois do 11 de setembro?

Naquele mesmo ano, os EUA invadiram o Afeganistão com a justificativa de que desejavam acabar com a organização liderada por Osama Bin Laden e expulsar os talibãs, grupo armado fundamentalista afegão nascido na fronteira com o Paquistão. Vinte anos depois, a Guerra do Afeganistão ainda parece distante do fim. Após tentativas de acordos e promessas dos Estados Unidos de retirada total de suas tropas militares, os talibãs retomaram recentemente o controle de Cabul, depois de vencerem o Exército afegão.

Pelo que lutam os povos do Oriente Médio?

Mas, para além das organizações paramilitares e suas disputas de origens territoriais, políticas e econômicas, cidadãos que vivem nos países do Oriente Médio têm se articulado historicamente na luta por melhores condições de vida e pela garantia de direitos civis a grupos historicamente oprimidos, como é o caso de mulheres afegãs e paquistanesas, por exemplo. Esses são alguns dos temas recorrentes nos livros escritos por autores dessa região.

Quer saber mais sobre o Oriente Médio? Nós selecionamos algumas obras literárias fundamentais para a compreensão dos acontecimentos históricos dessa região. Confira!


A Cidade do Sol, Khaled Hosseini

Mariam tem 33 anos. Desde jovem ela sabia que o seu destino era servir o marido e lhe dar muitos filhos. Laila tem 14 anos. Ela vai à escola todos os dias, é considerada uma das melhores alunas do colégio e sempre soube que o seu destino era muito maior do que casar e ter filhos. Confrontadas pela História, Mariam e Laila se encontram e, a partir de então, uma outra história começa a ser contada.


A Costureira de Khair Khana, Gayle Tzemach Lemmon

A vida de Kamila Sidiqi mudou da noite para o dia quando o Talibã tomou o controle de Cabul. Depois de estudar para ser professora durante a guerra civil, Kamila foi confinada em sua casa e proibida de continuar estudando. Quando o pai e o irmão mais velho foram obrigados a abandonar a cidade, ela pegou agulha e linha e criou sozinha seu próprio negócio.


Eu Sou Malala, Malala Yousafzai

Eu Sou Malala conta a história de uma família exilada pelo terrorismo global, mas também fala sobre a luta pelo direito à educação feminina e os obstáculos à valorização da mulher em uma sociedade que só valoriza filhos homens. O livro acompanha a infância de Malala no Paquistão, os seus primeiros anos de vida escolar, as dificuldades da vida em uma região marcada por desigualdades, as belezas e as trevas da vida sob o Talibã.


O Afegão, Frederick Forsyth

Uma operação conjunta da CIA e do serviço secreto inglês descobre um documento confidencial da inteligência da Al-Qaeda planejando um atentado. Na tentativa de prever o ataque, agências reúnem veteranos experientes em assuntos terroristas. O escolhido para investigar a organização de perto é o oficial britânico criado no Afeganistão, Mike Martin. Ele passa por um treinamento para tomar o lugar de Izmat Khan, integrante do alto escalão do Talibã e também conhecido como O Afegão.


O Livreiro de Cabul, Asne Seierstad

Considerado um dos melhores livros-reportagem sobre a vida afegã após a queda do Talibã,O Livreiro de Cabul foi considerado pela crítica um dos m. Depois de viver três meses em Cabul, com o livreiro Sultan Khan, a jornalista norueguesa Åsne Seierstad compôs este retrato das contradições extremas e da riqueza desse país.


O segredo do meu turbante, Nadia Ghulam

Aos oito anos, Nadia Ghulam viu a casa onde vivia com a família, no Afeganistão, ser bombardeada e destruída. Ela passou dois anos no hospital, teve o rosto deformado e perdeu todos os homens do seu convívio. Ao perceber que não teria ninguém para garantir o sustento para casa, ela resolveu subverter as leis do talibã e, sozinha, fazer de tudo para salvá-los.


Syngué Sabour – Pedra-de-paciência, Atiq Rahimi

Em Syngué Sabour: Pedra-de-paciência, o escritor Atiq Rahimi conta a história de uma mulher que se dedica aos cuidados do marido que, por sua vez, vive em estado vegetal em uma cama com uma bala alojada na cabeça. Lá fora, acontece uma guerra civil e tanques e soldados não param de atirar. Enquanto cuida do marido, a mulher decide externalizar tudo o que ela sempre quis lhe dizer, mas não teve oportunidade.


Yasmin Lisboa

Comentários

Yasmin Lisboa

Yasmin é jornalista e estudante de Cinema. Cantora e colecionadora de discos e livros, é fascinada pela cultura popular brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *