10 músicas para aproveitar os clássicos

(0 Estrelas - 0 Votos)

De Billie Holiday a Milton Nascimento, conheça a seleção de músicas perfeita para quem ama os clássicos da literatura mundial

Ah! Nada como um bom livro clássico para acarinhar os nossos corações, não é mesmo? Pensando em você, que adora aproveitar as obras mais queridas da literatura mundial, nós fizemos uma curadoria com as dez melhores músicas para ouvir enquanto lê os livros clássicos. De Billie Holiday a Milton Nascimento, conheça a playlist “Para aproveitar os clássicos”. Boas leituras!


A Lua Girou, Milton Nascimento

A Lua Girou é uma das faixas presentes em “Geraes”, álbum de Milton Nascimento lançado em 1976. A música, que constrói uma espécie de poesia sobre a lua, foi regravada por artistas como Ney Matogrosso e incluída na trilha sonora da supersérie “Os dias eram assim”, exibida pela TV Globo em 2017.

O Pequeno Príncipe, Antoine de Saint-Exupery

Publicado em 1943, O Pequeno Príncipe narra a história de um príncipe que faz amizade com um piloto que sofreu um acidente no meio do deserto. Com ilustrações em aquarela feita pelo próprio autor, o livro aborda temas universais como o amor, a amizade e o sentido da vida. A obra já foi traduzida em mais de 250 idiomas e tornou-se um dos maiores sucessos de todos os tempos, sendo o livro francês mais lido no mundo.


Crazy Little Thing Called Love, Queen

Crazy Little Thing Called Love foi escrita por Freddie Mercury em 1979 e entrou no álbum “The Game”, da banda britânica Queen. A canção, composta por Mercury em menos de 10 minutos, foi feita em homenagem a Elvis Presley e o rockabilly, vertente do rock da qual o artista era um dos principais divulgadores.

Dom Quixote, Miguel de Cervantes

No clássico Dom Quixote, Miguel de Cervantes conta história de um senhor rural que gostava de ler livros sobre cavalaria e, acreditando na veracidade das aventuras descritas, decidiu tornar-se um cavaleiro andante. Suas viagens, então, sucedem-se sob a alucinação de que estava vivendo na era da cavalaria.


Don’t Know Why, Norah Jones

Embora tenha sido lançada por Jesse Harris em 1999, Dont Know Why tornou-se um grande sucesso na voz de Norah Jones. Esse foi o primeiro single do álbum “Come Away With Me”, lançado em 2002. A versão ganhou três prêmios no Grammy do ano seguinte, ocupou o 30º lugar na Billboard Hot 100 e, aqui no Brasil, tornou trilha sonora da novela “Mulheres Apaixonadas”, exibida pela TV Globo em 2003.

Orgulho e Preconceito, Jane Austen

Publicado em 1847, o romance narra uma história de amor amaldiçoado e de vingança vivida por Catherine Earnshaw e seu irmão adotivo Heathcliff. Por sentir-se humilhado e rejeitado, o garoto aprende a odiar e se torna rude nos modos. Porém, com a irmã, ele irá desenvolver uma relação que mistura amor com perversidade. Isso pelo menos até Catherine casar-se com um outro homem. A nova relação trará consequências irreversíveis para todos os que se relacionam com ela.


Exile, Taylor Swift

Exile surge em “Folklore”, oitavo álbum de estúdio da cantora e compositora norte-americana Taylor Swift. Escrita por Taylor em parceria com William Bowery e Justin Vernon, a canção reflete sobre mudanças causadas em um relacionamento que não dá certo. A faixa foi bastante elogiada pela crítica e recebeu uma indicação no Grammy Awards 2021, na categoria Melhor Performance Pop Duo/Grupo.

Anna Karenina, Leon Tolstoi

Um clássico da literatura mundial, Anna Karenina narra a conturbada história de amor vivida por Ana e seu amante Vronski. Ambientada na Rússica czarista, a obra torna-se cada vez mais profunda à medida em que a mulher se deixa arrebatar pela paixão proibida e provoca questionamentos a respeito de questões como o significado da vida e o senso de justiça social no âmbito das crises familiares.


Frederick, Patti Smith

Lançada no álbum Wave (1979), da cantora, compositora e escritora norte-americana Patti Smith, Frederick surgiu como uma homenagem de Patti a Fred “Sonic” Smith, guitarrista da banda MC5 e seu futuro marido. A melodia da canção faz referências ao arranjo ao vivo de “Prove It All Night”, interpretada por Bruce Springsteen um ano antes na Darkness Tour.

O Lobo da Estepe, Herman Hesse

Harry Haller é um homem de 50 anos que acredita que sua integridade depende da vida solitária que leva em meio às palavras de Goethe e as partituras de Mozart. A primeira parte do livro trata do pesadelo do lobo Haller, sua depressão e a incapacidade de comunicar-se com o mundo. Na segunda, o lobo se humaniza com a chegada de Hermínia, que tenta reaproximá-lo da vida lá fora.


Go Your Own Way, Fleetwood Mac

Go Your Own Way aparece no álbum “Rumors” (1977), da banda anglo-americana Fleetwood Mac. Escrita por Lindsey Buckingham, a canção aborda o tema da separação e foi inspirada no colega de banda de Lindsey, Stevie Nicks, com quem ela teve uma relação. Elogiada pela crítica, a faixa ocupa o 120º lugar na lista das 500 melhores canções de todos os tempos da revista Rolling Stone. 

O Morro dos Ventos Uivantes, Emily Bronte

Publicado em 1847, o romance narra uma história de amor amaldiçoado e de vingança vivida por Catherine Earnshaw e seu irmão adotivo Heathcliff. Por sentir-se humilhado e rejeitado, o garoto aprende a odiar e se torna rude nos modos. Porém, com a irmã, ele irá desenvolver uma relação que mistura amor com perversidade. Isso pelo menos até Catherine casar-se com um outro homem.


London London, Caetano Veloso

Escrita por Caetano Veloso em 1968, na época em que ele e Gilberto Gil estavam sob exílio em Londres, London London traduz a experiência de solidão vivido pelo artista brasileiro durante os dois anos e meio que precisou permanecer exilado em Londres. Em entrevista ao jornal britânico The Guardian, Veloso afirmou que se sentia profundamente solitário em um país desconhecido.

Ulysses, James Joyce

Inspirado na “Odisseia de Homero, Ulysses narra as aventuras de Leopold Bloom e seu amigo Stephen Dedalus em Dublin durante o dia 16 de junho de 1904. Como o Ulisses homérico, Bloom precisa superar diversos obstáculos e tentações até retornar ao apartamento na rua Eccles, onde sua mulher, Molly, o espera.


She Burns, Foy Jance

She Burns é uma canção escrita pelo cantor e compositor irlândes Foy Jance. A faixa aparece no álbum “The Wild Swan”, lançado em 2016, e conta a história de uma garota que causa uma verdadeira transformação na vida do eu-lírico.

O Diário de Anne Frank, Anne Frank

Entre 1942 e 1944, a jovem alemã Anne Frank descreveu em seu diário toda a tensão que sua família sofreu durante a Segunda Guerra Mundial. A obra ressalta os sentimentos, aflições e pequenas alegrias na vida incomum de uma menina que viveu em um campo de concentração nazista e sofreu na pele com as atrocidades e horrores cometidos contra os judeus.


Solitude, Billie Holiday

Eternizada na voz de Billie Holiday, (In My) Solitude foi composta em 1934 por Duke Ellington. O trabalho foi relançado em 1956 e recebeu o nome de “Solitude”, sendo gravada posteriormente por Billie.

A Hora da Estrela, Clarice Lispector

Lançado pouco antes de sua morte, a obra de Clarice Lispector narra os momentos em que o escritor Rodrigo S. M. cria a história de Macabéa, uma alagoana órfã, virgem e solitária, levada ao Rio de Janeiro por uma tia tirana. A Hora da Estrela é, no fim das contas, uma despedida de Clarice, que põe um pouco de si nas personagens de Rodrigo e de Macabéa.


Your Song, Elton John

Composta por Elton John e Bernie Taupin em 1967, Your Song está em “Elton John”, segundo álbum da carreira do pianista, cantor e compositor britânico. Uma curiosidade dessa música é que ela foi escrita em um tempo bem curto. Primeiro Taupin pensou na letra durante o momento de um café da manhã e, em seguida, John compôs a melodia em vinte minutos.

O Quarto de Giovanni, James Baldwin

Segundo romance de James Baldwin, O Quarto de Giovanni aborda a relação de David, um jovem americano que, em Paris, aguarda o retorno de sua namorada, Hella, que estava em viagem na Espanha. Enquanto ela decide se deve ou não se casar com David, o rapaz conhece Giovanni, um garçom italiano por quem se apaixona.


Qual canção você vai ouvir?


Yasmin Lisboa
Comentários

Yasmin Lisboa

Yasmin é jornalista e estudante de Cinema. Cantora e colecionadora de discos e livros, é fascinada pela cultura popular brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *