7 livros da Darkside para você conhecer

(5 Estrelas - 1 Votos)

Com edições bem elaboradas e atraentes, a editora é conhecida por publicar livros de suspense e terror. Veja as indicações!

Quem nunca ficou impressionado com as edições da Darkside? Ou quem nunca resistiu e comprou um livro da editora por causa da capa? Com edições bem elaboradas, atraentes e chamativas, a Darkside é voltada para leitores que são fãs de histórias de terror, suspense e policial. São tantas obras incríveis, que fica até difícil de escolher qual será a próxima leitura.

Para ajudar você, fizemos uma lista com alguns dos principais títulos da editora. Entre os livros escolhidos estão a Revolta da vacina, de André Diniz, Gótico mexicano, de Silvia Moreno-Garcia, e Ted Bundy – Um estranho ao meu lado, de Ann Rue. Veja a seleção completa e boa leitura!


Ted Bundy – Um estranho ao meu lado, de Ann Rule

Quando Ann Rule conheceu Ted Bundy em um centro de atendimento de prevenção ao suicídio, ela não fazia ideia de que aquele rapaz simpático e inteligente ― que sentava ao lado dela e de quem até chegou a receber um cartão de Natal ― se tornaria um dos serial killers mais proeminentes da história. Ted Bundy confessou ter matado ao menos 36 mulheres nos Estados Unidos durante os anos 1970. Para estudiosos do caso, a contagem final é ainda maior. Ele pode até ter salvado vidas pelo centro de prevenção, mas ceifou outras dezenas quando ninguém estava olhando. Inúmeras famílias ficaram sem respostas, e ele foi executado em 1989 na cadeira elétrica. Mas estas informações todo mundo conhece. Chegou a hora de saber mais. 


Revolta da vacina, de André Diniz

No final do ano de 1904, o Brasil vivia uma crise social e sanitária. Enquanto o país tentava se ajustar à recente mudança de sistema de governo, de Império para República, proliferavam-se as moléstias causadas pelo saneamento precário, e por mosquitos e ratos, como a varíola, a febre amarela e a peste bubônica. O Rio era uma cidade caótica, de urbanização colonial, despreparada para comportar a própria população, que crescia cada vez mais. Além de destino de emigrantes de todas as partes do país e do mundo, no alvoroço de seu ambiente social coabitavam os herdeiros da escravidão, recém-libertos, e uma elite que buscava repelir toda a cultura não dominante, ou seja, dos pobres e de matriz africana. A solução encontrada para a crise urbanística foi uma reforma geral na cidade, em que os moradores de cortiços foram escorraçados para os morros da cidade. A solução para a epidemia foi a vacina compulsória, idealização do sanitarista Oswaldo Cruz, o que gerou uma revolta na população.


Candyman, de Clive Barker

Não é lenda urbana: Candyman está de volta. Você tem coragem de ler a história que deu origem a um dos personagens mais assustadores do cinema? Em 1992, os fãs de filmes slasher ganharam um novo motivo para ter medo da escuridão. Um assassino sobrenatural que dilacerava sem perdão todos aqueles que ousavam repetir cinco vezes o seu nome: Candyman. O personagem, encarnado pelo ator Tony Todd, se tornou um bicho-papão coletivo de pelo menos duas gerações que cresceram rebobinando clássicos do terror em VHS. Mas muitos ainda não tiveram a chance de entrar em contato com a entidade original. Candyman nasceu da mente genialmente doentia de Clive Barker.


Gótico mexicano, de Silvia Moreno-Garcia

Noemí Taboada é uma jovem independente e chique que mora na fervilhante Cidade do México. Entre as manhãs de estudo na faculdade e as noites glamourosas de festas e bailes, ela gosta de passear em seu carro conversível, ouvir música e sonhar com um futuro onde as mulheres possam fazer suas próprias escolhas ― e viver grandes aventuras. A rotina de Noemí muda drasticamente quando seu pai recebe uma carta de sua prima Catalina, recém-casada com um inglês. A carta é, na verdade, um pedido desesperado de socorro, pois Catalina acredita que corre perigo em High Place, a mansão isolada onde vive confinada com o marido e a família dele.


Cherry: Inocência perdida, de Nico Walker

Um relato explosivo e corajoso, com fortes contornos autobiográficos, Cherry: Inocência Perdida, romance de estreia de Nico Walker, expõe com crueza a violência da guerra, o ambiente nocivo da obsessão bélica dos EUA, a dependência das drogas e os rumos perigosos e autodestrutivos de um protagonista vívido como a realidade. Este não é um livro sobre redenção; é uma história sobre relacionamentos destrutivos, potenciais desperdiçados e oportunidades perdidas.


Fábrica de vespas, de Iain Banks

Frank – um garoto de 16 anos bastante incomum – vive com seu pai em um vilarejo afastado, em uma ilha escocesa. A vida deles, para dizer o mínimo, não é nada convencional. A mãe de Frank os abandonou anos atrás; Eric, seu irmão mais velho, está confinado em um hospital psiquiátrico; e seu pai é um excêntrico sem tamanho.Para aliviar suas angústias e frustrações, Frank começa a praticar estranhos atos de violência, criando bizarros rituais diários onde encontra algum alívio e consolo. Suas únicas tentativas de contato com o mundo exterior são Jamie, seu amigo anão, com quem bebe no pub local, e os animais que persegue ao redor da ilha.


A menina do outro lado – Volume 1, de Nagabe

Em um país dividido entre pessoas normais e seres amaldiçoados, Shiva é uma menininha que foi acolhida por uma estranha criatura meio animal e meio humana. Sensei, como é chamado, não pode ser tocado e vive fora da cidade. Afastado do convívio com os demais e ciente dos perigos e maldições que os rodeiam, Sensei alerta Shiva para que ela não saia sozinha. Porém, quando a menininha decide reencontrar sua tia desaparecida, regras são quebradas ― e a vida que eles conheciam é colocada em risco.


Você já leu algum livro da lista? Comente e participe!


Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *