18 de maio: Dia Nacional da Luta Antimanicomial

(5 Estrelas - 1 Votos)

Comemorada no dia 18 de maio, a data atua em defesa dos direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais no Brasil. Confira!

Anualmente, o 18 de maio marca a celebração do Dia Nacional da Luta Antimanicomial. Criada a partir da Reforma Psiquiátrica Brasileira, a data surge com o objetivo de defender os direitos das pessoas que sofrem de transtornos mentais. Além de combater o conceito de isolamento dos pacientes psiquiátricos, o Movimento Antimanicomial trabalha para que haja uma mudança nos sistemas de saúde e para que os indivíduos tenham acesso a um tratamento digno, humanizado e em liberdade.

Uma das grandes conquistas para o Movimento e a Reforma Psiquiátrica foi a aprovação da Lei 10.216, em 2001. A partir dessa legislação, o Estado se compromete com a elaboração da política de saúde mental no Brasil. Dentre as medidas adotadas previstas pela lei estão o fechamento de hospitais psiquiátricos, a abertura de novos serviços comunitários e a participação social no acompanhamento de sua implementação. 

De 2001 para cá, o país já conquistou alguns resultados importantes na luta antimanicomial graças à Reforma Psiquiátrica, à mobilização da sociedade civil e a essa legislação. De acordo com Dados do Ministério da Saúde, entre os anos de 2010 e 2014, houve uma redução de 17% do total de hospitais especializados em psiquiatria pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e o tratamento passou a ser feito pela Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), que garantem não só o tratamento de pessoas com transtornos mentais como a sua inclusão na sociedade.

Quer saber mais sobre a luta antimanicomial no Brasil? Nós selecionamos filmes e livros que vão ajudar você a aprofundar os conhecimentos neste assunto. Conheça a lista!


Bicho de Sete Cabeças (2001), Laís Bodanzky

Neto (Rodrigo Santoro) e seu pai, Wilson (Othon Bastos), enfrentam sérias dificuldades em seu relacionamento. A situação dos dois só parece piorar e chega ao limite quando Neto é enviado a um manicômio. Por lá, o rapaz terá de enfrentar a realidade e as agruras do sistema manicomial brasileiro.

Para ir além do filme…

Canto dos Malditos, Austregésilo Carrano Bueno

Canto dos malditos cria uma denuncia sobre a situação dos hospitais psiquiátricos no Brasil através do desabafo de Austregésilo Carrano Bueno, autor do livro e paciente de alguns desses hospitais. A obra deu origem ao premiado “Bicho de Sete Cabeças”, filme brasileiro dirigido por Laís Bodanski e estrelado por Rodrigo Santoro.


Camille Claudel, 1915, Bruno Dumont

Em 1915, a escultora Camille Claudel (Juliette Binoche) é internada pelos familiares em um asilo psiquiátrico contra a sua vontade. O lugar é mantido por religiosas e, por lá, Camille vive presa na instituição. A sua única esperança é uma carta enviada clandestinamente ao irmão Paul (Jean-Luc Vincent), implorando por sua liberação. Quando Paul confirma que vai visitá-la, Camille aguarda com impaciência a oportunidade de mostrar ao irmão que pode voltar à em sociedade.

Para ir além do filme…

História da Loucura, Michel Foucault

Considerado um clássico da filosofia, A História da Loucura, expressa aspectos fundamentais do pensamento hodierno. Revolucionária em seu discurso, a obra pôs em xeque concepções longamente firmadas sob o rótulo de verdades científicas, como no campo da medicina psiquiátrica, onde sua análise crítica atingiu a operacionalidade terapêutica das noções tradicionais de sanidade e loucura.


Estamira (2005), Marcos Prado

Estamira e um grupo de amigos vivem em um lixão no Rio de Janeiro. Enquanto convive com questões relativas à sua saúde mental, ela reflete sobre os problemas sociais vividos na cidade, pensando desde o destino que é dado ao lixo das grandes metrópoles às possibilidades de se viver em condições lamentáveis.

Para ir além do filme…

Diário do Hospício e o Cemitério dos Vivos, Lima Barreto

Diário do Hospício apresenta o clássico testemunho de Lima Barreto sobre a sua internação no Hospício Nacional dos Alienados, no Rio de Janeiro. No romance inacabado O cemitério dos vivos, o autor transpôs para a chave ficcional a mesma vivência.


Holocausto Brasileiro (2016), Daniela Arbex, Armando Mendz

Adaptado do livro homônimo escrito por Daniela Arbex, Holocausto Brasileiro constrói um retrato aprofundado e contundente sobre o grande genocídio cometido contra os pacientes psiquiátricos do hospício de Barbacena, em Minas Gerais, local onde os pacientes eram torturados, humilhados e assassinados.

Para ir além do filme…

Holocausto Brasileiro, Daniela Arbex

Em Holocausto Brasileiro, Daniela Arbex denuncia um dos maiores genocídios do Brasil, no hospital Colônia, em Minas Gerais. A jornalista entrevistou ex-funcionários e sobreviventes para resgatar de maneira detalhada e emocionante as histórias de quem viveu de perto o horror perpetrado por uma instituição com um propósito de limpeza social comparável aos regimes mais abomináveis do século XX.


Ilha do Medo (2010), Martin Scorsese

Em 1954, Teddy Daniels (Leonardo DiCaprio) investiga o desaparecimento de um paciente em um hospital de Boston. No lugar, ele descobre que os médicos realizam experiências que envolvem métodos ilegais e anti-éticos. Daniels tenta buscar mais informações sobre isso, mas enfrenta resistência da equipe médica. Quando um furacão deixa a ilha sem comunicação, prisioneiros conseguem escapar e tornam a situação ainda mais perigosa.

Para ir além do filme…

Fim de Século: Ainda Manicômios?, Maria Inês Assumpção Fernandes e Outros

Fim de Século: Ainda Manicômios? debate muitos dos fatos relacionados à estrutura das instituições psiquiátricas que têm sido constantemente revelados pela imprensa, pelas denúncias de movimento sociais, ou ainda, por pesquisas acadêmicas que as definem como instituições iatrogênicas e à serviço da exclusão social.


Nise: O Coração da Loucura (2015), Roberto Berliner

Após deixar a prisão, Nise da Silveira (Gloria Pires) está de volta ao trabalho em um hospital psiquiátrico do subúrbio do Rio de Janeiro. Por lá, a doutora sugere um novo tratamento aos pacientes que sofrem da esquizofrenia, eliminando o eletrochoque e lobotomia e investindo no amor e na arte.


Um Estranho no Ninho (1976), Milos Forman

Randle Patrick McMurphy (Jack Nicholson) é um prisioneiro e simula estar insano para não trabalhar. Por isso, ele é levado a uma instituição para doentes mentais. Por lá, McMurphy estimula os internos a se revoltarem contra as rígidas normas impostas pela enfermeira-chefe Ratched (Louise Fletcher), mas não tem ideia do preço que irá pagar por isso.


Uma Mente Brilhante (2002), Ron Howard

John Nash (Russell Crowe) é um gênio da matemática que formulou, aos 21 anos, um teorema que o tornou aclamado no meio onde atuava. Mas, aos poucos, o belo e arrogante Nash se transforma em um sofrido e atormentado homem, que chega até mesmo a ser diagnosticado como esquizofrênico pelos médicos que o tratam. Porém, após se recuperar, ele consegue retornar à sociedade e é premiado com o Nobel.


Quais dicas você acrescentaria à lista?


Yasmin Lisboa
Comentários

Yasmin Lisboa

Yasmin é jornalista e estudante de Cinema. Cantora e colecionadora de discos e livros, é fascinada pela cultura popular brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *