10 livros da Biblioteca Azul para conhecer em maio

(5 Estrelas - 1 Votos)

Já escolheu as suas leituras deste mês? De Ngugi Wa a Elena Ferrante, veja dez obras que estão disponíveis no catálogo da editora

Você já ouviu falar na Biblioteca Azul? Vinculada à Globo Livros, a editora brasileira é responsável pela publicação de grandes clássicos da literatura mundial no país, além do lançamento de ficções que são um sucesso no mercado literário contemporâneo.

De Ngugi Wa a Elena Ferrante, nós preparamos uma lista especial para você com dez livros disponíveis no catálogo da Biblioteca Azul. Que tal escolher as suas próximas leituras neste mês? Conheça as nossas dicas!


Admirável Mundo Novo, Aldous Huxley

O romance distópico Admirável Mundo Novo exibe uma sociedade que é plenamente organizada pelos princípios da ciência. Neste mundo, os indivíduos são programados em laboratórios e devem cumprir a sua função em uma sociedade marcada por castas definidas biologicamente no nascimento. A literatura, a música e o cinema, por sua vez, são encarados como uma ameaça, uma vez que ajudam a solidificar o espírito de conformismo.


A Redoma de Vidro, Sylvia Plath

Repleto de referências autobiográficas, Redoma de Vidro acompanha Esther Greenwood, uma jovem que sai dos subúrbios de Boston para estudar em uma prestigiosa universidade para moças e depois vai trabalhar na redação de uma revista feminina em Nova York. Entre o trabalho e uma vida social ativa, Esther parece viver um sonho, até entrar em uma crise que a levaria à internação em uma clinica psiquiátrica.


Dias de Abandono, Elena Ferrante

Em Dias de Abandono, Elena Ferrante revela o turbilhão emocional vivido por Olga após um casamento fracassado. Traída e com a sensação de que foi abandonada pelo marido, a mulher enfrenta conflitos internos em meio à nuvem cinzenta da desolação e da nova e inquietante realidade que se apresenta.


Frida – A Autobiografia, Hayden Herrera

Embora todos achem que conhecem Frida Kahlo por causa de seu talento para a pintura, do acidente que sofreu na juventude, de seu casamento com o muralista Diego Rivera, do caso extraconjugal com Leon Trotsky, de seu ideias radicais em política e hábitos modernos na vida, poucos sabem é que tudo isso está longe de resumir sua vida, ou de revelar a mulher por trás do ícone da arte latino-americana moderna. A biografia de Hayden Herrera apresenta aos leitores esse outro lado da história de Frida.


Lutando na Espanha, George Orwell

Escrito em 1937, Lutando na Espanha apresenta o relato de Orwell sobre sua participação na Guerra Civil espanhola, ao lado dos republicanos, e o seu afastamento do front depois de levar um tiro no pescoço. Recordando a Guerra Civil, o livro prossegue com as lembranças do escritor em sua luta pela democracia e contra o avanço fascista na Espanha.


O Filho de Mil Homens, Valter Hugo Mãe

Em O Filho dos Mil Homens, Valter Hugo Mãe reflete a respeito do prazer do amor incondicional, que o ser humano parece buscar para preencher o que lhe falta. Crisóstomo é pescador e vive em um vilarejo litorâneo. Ao chegar aos 40 anos, ele sofre com o fato de não ter tido um filho e decide sair em sua busca.


Os Farsantes, Graham Greene

Em Os Farsantes, Graham Greene se utiliza de seu conhecimento histórico para construir profundas reflexões sobre o cenário político turbulento do Haiti da década de 1950. Com personagens que parecem ter saído de um filme, o livro conta a história de Brown, o dono de um imponente hotel na capital, Porto Príncipe, que é estimulado a fazer uma análise crítica sobre o que se passa ao redor diante da ditadura de François Duvalier (o “Papa Doc”).


Pornô Chic, Hilda Hilst

Em 1990, Hilda Hilst completava 60 anos e, insatisfeita com a publicação de seus livros em pequenas tiragens e com o silêncio da crítica, a poeta brasileira decidiu escrever “adoráveis bandalheiras”. A experiência deu origem à Trilogia Obscena formada por “O caderno rosa de Lori Lamby”, “Contos d’escárnio – textos grotescos”, “Cartas de um sedutor” e ao livro de poemas “Bufólicas”. Pornô chic reúne os quatro títulos, além do inédito Fragmento pornográfico rural e fortuna crítica que aborda a polêmica fase erótica de Hilst.


Prazer em queimar, Ray Bradbury

Prazer em queimar é uma ótima leitura para os fãs de “Fahrenheit 451”. No livro estão reunidos 16 contos: 13 que foram escritos antes de “Fahrenheit 451” e mais três histórias escritas depois. Observador sagaz dos tempos obscuros que sucederam a Segunda Guerra Mundial, Ray Bradbury canalizava sua criatividade escrevendo contos críticos a tudo que via e sentia. A obra apresenta histórias sobre queima de livros, morte, liberdade, arte e policiamento nas ruas.


Sonhos em Tempo de Guerra, Ngugi Wa Thiong’o

No livro “Sonhos em Tempo de Guerra”, Ngugi Wa Thiong’o mistura brincadeiras infantis com reflexões sobre o cenário político e o modo como como essas relações mudam quando Thiong’o e seus irmãos vão trabalhar nos campos. Além disso, a obra também aborda a paixão de Thiong’o pelas histórias, pelas palavras e o momento em que ele se dá conta de sua sede de aprender. 


Qual livro da lista é o seu preferido?


Yasmin Lisboa


Comentários

Yasmin Lisboa

Yasmin é jornalista e estudante de Cinema. Cantora e colecionadora de discos e livros, é fascinada pela cultura popular brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *