Estante Entrevista: conheça os livros indicados por Daniel Munduruku

(5 Estrelas - 1 Votos)

Vencedor do Prêmio Jabuti, Munduruku debateu a importância das narrativas indígenas na literatura brasileira e deu dicas de livros. Confira!

Na quarta-feira (28), a Estante Entrevista, nossa série de lives nas redes sociais, teve mais uma de suas edições. Dessa vez, o convidado da conversa foi o escritor, educador e ativista da palavra, Daniel Munduruku. Integrante do povo originário de mesmo nome, que hoje em dia se situa entre os estados do Pará, Amazonas e Mato Grosso, Munduruku falou sobre as histórias indígenas e a literatura brasileira.

“Quando a gente lê, a gente percebe que o mundo é um lugar muito mais bonito quando a gente permite que o outro seja.

Durante o bate-papo, Daniel Munduruku defendeu a importância do estímulo à leitura ainda na infância e na juventude como ferramenta de compreensão da vida e dos ambientes onde vivemos, abrindo, inclusive, possibilidades para a descoberta de novos novos horizontes. Para o autor, as histórias, sejam elas orais ou escritas, tornam o mundo um lugar mais justo, respeitoso e atento às diversidades.

“Quando a gente lê, a gente percebe que o mundo é um lugar muito mais bonito quando a gente permite que o outro seja, quando a gente não quer colonizar o outro. Isso acontece quando a gente é livre e quer que todo mundo seja livre também. Só os livros nos livram dessas coisas.”, explicou Munduruku.

Assista à live inteira aqui!

No Brasil vivem cerca de 900 mil indígenas, divididos entre 305 etnias e 274 línguas, como indica o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em uma pesquisa realizada em 2010. No entanto, de acordo com Daniel Munduruku, essa pluralidade ainda precisa ser refletida na literatura brasileira, tanto nas narrativas criadas sobre os povos originários como na recepção de escritores indígenas no mercado literário. Para ele, a educação é um elemento fundamental neste processo.

“Só a educação pode libertar a gente. Só a educação pode criar pessoas capazes de escolher. (…) E quando a gente está pensando em leitura, a gente está pensando em liberdade, em criatividade e na possibilidade das pessoas serem o que elas quiserem ser. Para concluir, eu quero dizer: leiam autores indígenas.”

Ao fim do debate, Daniel Munduruku indicou livros para quem deseja mergulhar no universo da literatura brasileira e conhecer novos autores indígenas. Confira a lista e aproveite para assistir à live!


A Boca da Noite, Cristino Wapichana

Os moradores mais antigos do Brasil se dividem em 305 povos e quase um milhão de pessoas, presentes em todos os estados brasileiros. Nós aprendemos a chamá-los pelo mesmo e único nome: “índios”, como se fossem todos iguais. Mas, na verdade, não são. Em A Boca da Noite, o jovem Kupai conta aqui um pouco da infância, da família, do cotidiano e da criatividade de seu povo, os Wapichana.


A Cura da Terra, Eliane Potiguara

Em A Cura da Terra, conhecemos Moína, uma menina muito curiosa, de origem indígena, que adora se aconchegar nos braços da avó para ouvir histórias. Ela quer entender o sentido de sua vida, as suas transformações. Mas uma história em especial revelará à menina o sofrimento pelo qual seu povo passou, as descobertas e a sabedoria de seus ancestrais e também como conseguiram a cura de um de seus bens mais preciosos: a terra.

A Vida Não É Útil, Ailton Krenak

A vida não é útil reúne cinco textos adaptados de palestras, entrevistas e lives realizadas entre novembro de 2017 e junho de 2020. Em reflexões provocadas pela pandemia de covid-19, o pensador e líder indígena Ailton Krenak volta a apontar as tendências destrutivas da chamada “civilização”: consumismo desenfreado, devastação ambiental e uma visão estreita e excludente do que é a humanidade.


Histórias de Índio, Daniel Munduruku

Em sua primeira parte, Histórias de Índio nos apresenta a história de Kaxi, um garoto como outro qualquer, exceto pelo fato de o pajé tê-lo escolhido como seu sucessor. Para ser iniciado nos segredos da pajelança, o pajé lhe ensina que é preciso sonhar, pois nos sonhos residem os grandes mistérios da vida. Em seguida, o autor relata com bom humor as suas experiências no “mundo dos brancos” e comenta a situação dos povos indígenas no Brasil.


Qual livro da lista você quer ler hoje?


Yasmin Lisboa
Comentários

Yasmin Lisboa

Yasmin é jornalista e estudante de Cinema. Cantora e colecionadora de discos e livros, é fascinada pela cultura popular brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *