Os 10 livros mais vendidos em abril na Estante Virtual

(5 Estrelas - 1 Votos)

Cartas a um jovem terapeuta, de Contardo Calligaris, estreou no ranking do mês. Confira a lista completa e escolha a próxima leitura!

Mais um mês chegou ao fim e agora é hora de relembrar as leituras que mais fizeram sucesso em abril. O campeão de vendas na Estante Virtual foi Quarto de despejo – Diário de uma favelada, de Carolina Maria de Jesus, que já apareceu outras vezes no topo do nosso ranking. Em segundo lugar, está Torto arado, de Itamar Vieira Junior, um dos livros contemporâneos de maior repercussão no país nos últimos meses.

A grande estreia na lista dos livros mais vendidos foi Cartas a um jovem terapeuta, de Contardo Calligaris. Um dos principais psicanalistas do mundo, Calligaris morreu em 30 de março, aos 72 anos, após uma luta contra o câncer. Confira a lista completa e boa leitura!


Quarto de despejo – Diário de uma favelada, de Carolina Maria de Jesus

Quarto de Despejo – Diário de uma Favelada é o diário de Carolina Maria de Jesus. Moradora da comunidade do Canindé, em São Paulo, e mãe de três filhos, Carolina registra a sua rotina como catadora de papel e revela aos leitores um sensível e contundente relato da dura realidade vivida na periferia da capital paulista.


Torto Arado, de Itamar Vieira Junior

Acompanhamos a trajetória de Bibiana e Belonísia, duas irmãs que vivem no sertão baiano. Um dia, elas encontram uma faca na mala guardada sob a cama de sua avó e acontece, então, um acidente. A partir daquele momento, as vidas das duas estarão para sempre ligadas e uma será a voz da outra quando isso for necessário.


1984, de George Orwell

Um dos romances mais influentes do século XX, o livro de George Orwell narra a trajetória de Winston. O herói da narrativa encontra-se preso à engrenagem totalitária de uma sociedade controlada pelo Estado. Nesse lugar, as ações são compartilhadas coletivamente, mas cada pessoa vive sozinha. No entanto, todos são reféns da vigilância do Grande Irmão, um poder cínico e cruel ao infinito.


A revolução dos bichos, de George Orwell

Escrito na Segunda Guerra Mundial, A Revolução dos Bichos constrói uma sátira feroz à ditadura stalinista com referências à figura de Stalin, Trotsky e de eventos políticos, mimetizando o que de fato ocorria na União Soviética. Para compor uma representação da humanidade da época, George Orwell recorreu aos animais como personagens de uma realidade dura e cruel, que animalizava os homens.


Em busca de sentido, de Viktor Frankl

No livro Em Busca de SentidoViktor E. Frankl compartilha detalhes sobre a sua experiência em busca do sentido da vida enquanto vivia em um campo de concentração durante a Segunda Guerra Mundial. Além disso, a obra apresenta os seus leitores os conceitos básicos da logoterapia, abordagem psicoterapêutica criada por Frankl.


Cartas a um jovem terapeuta, de Contardo Calligaris

Este livro apresenta uma série de cartas escritas pelo psicanalista Contardo Calligaris a um jovem que esteja iniciando, considerando iniciar, profissionais já atuantes ou interessados pela área da psicoterapia. Por meio de perguntas e respostas, Calligaris compartilha seu conhecimento, discute e destrincha a profissão de terapeuta, dando as informações necessárias a todos os interessados nessa área. Contardo levanta questões como as características necessárias para ser um bom psicoterapeuta, discute situações em que paciente se apaixona pelo terapeuta, traça reflexões sobre o começo da carreira, diferenças entre psicoterapia e psicanálise, a problemática de se conseguir mais pacientes, dentre várias outras questões.


O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry

Publicado em 1943, O Pequeno Príncipe narra a história de um príncipe que faz amizade com um piloto que sofreu um acidente no meio do deserto. Com ilustrações em aquarela feita pelo próprio autor, o livro aborda temas universais como o amor, a amizade e o sentido da vida. A obra já foi traduzida em mais de 250 idiomas e tornou-se um dos maiores sucessos de todos os tempos, sendo o livro francês mais lido no mundo.


A hora da estrela, de Clarice Lispector

Macabéa vive sem saber para quê. Depois de perder a tia, viaja para o Rio de Janeiro, aluga um quarto, emprega-se como datilógrafa e se apaixona por Olímpio de Jesus – que logo a trai com uma colega de trabalho. Este livro conta os momentos de criação de Rodrigo, o escritor que narra a história de Macabéa. Ela sabia que a morte estava próxima e coloca um pouco de si nas personagens. Ele, um escritor à espera da morte; ela, uma solitária que gosta de ouvir a rádio Relógio e que passou a infância no Nordeste, assim como Clarice.

A_Hora_da_Estrela

Crime e castigo, de Fiódor Dostoiévski

Publicado em 1860, esta é a obra mais célebre de Dostoiévski. Neste livro, Raskólnikov, um jovem estudante, pobre e desesperado, perambula pelas ruas de São Petersburgo até cometer um crime que tentará justificar por uma teoria – grandes homens, como César ou Napoleão, foram assassinos absolvidos pela História. Este ato desencadeia uma narrativa labiríntica que arrasta o leitor por becos, tabernas e pequenos cômodos, povoados de personagens que lutam para preservar sua dignidade contra as várias formas da tirania.


Ideias para adiar o fim do mundo, de Ailton Krenak

Ideias para adiar o fim do mundo é uma adaptação de duas conferências e uma de entrevista de Ailton Krenak, realizadas em Portugal entre 2017 e 2019. Krenak nasceu na região do Vale do Rio Doce e é um importante líder indígena no país. Nesta obra, o autor tece uma crítica à ideia de humanidade como algo separado da natureza, isto é, uma “humanidade que não reconhece que aquele rio que está em coma é também o nosso avô”.


O que você achou da lista? Comente e participe!

Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *