Confira os 6 melhores livros de ensaios

(5 Estrelas - 1 Votos)

Para ajudar você a descobrir obras desse gênero literário, fizemos essa seleção especial. Veja esses ensaios imperdíveis e boa leitura!

Você já leu algum livro de ensaio? Nas obras desse gênero literário, os autores refletem de forma didática sobre diferentes temas. Normalmente, são textos concisos, que defendem determinado ponto de vista, seja social, político, cultural, religioso, científico ou literário. Nos ensaios, os escritores optam por escrever de forma mais formal, com uma estrutura mais objetiva e metódica, ou informal, com mais subjetividade.

Que tal conhecer alguns dos melhores livros de ensaio? Para ajudar você, selecionamos alguns clássicos do gênero, como Ensaios sobre o conceito de cultura, de Zygmunt Bauman, e Revolucionários – Ensaios contemporâneos, de Eric Hobsbawm. Confira a lista completa e boa leitura!


Ensaios sobre o conceito de cultura, de Zygmunt Bauman

A cultura, segundo Bauman, é um inimigo natural da alienação, um audacioso movimento humano para se libertar da necessidade e conquistar a liberdade de criação. Nesse livro, o sociólogo faz uma revisão crítica do conceito de cultura nas ciências sociais, percorrendo um longo caminho, que vai dos gregos antigos até o pós-estruturalismo. Em cada um dos três ensaios, examina as principais correntes de pensamento que estudaram o significado da cultura na sociedade.


Revolucionários – Ensaios contemporâneos, de Eric Hobsbawm

O livro reúne textos acerca do conceito e das práticas revolucionárias do século XX como instrumentos de mudança social. Ao abordar os movimentos operários, o marxismo, os partidos comunistas, o anarquismo (com ênfase especial ao anarquismo na Espanha), maio de 1968 entre outras manifestações, Hobsbawn apresenta textos fundamentais para compreender os preceitos e também os mitos a respeito de tais formas de esquerda.


35 ensaios de Silviano Santiago, de Silviano Santiago

O melhor da obra ensaística de Silviano Santiago reunido em um só volume. Livro necessário para se entender a formação da literatura brasileira. A produção crítica de Silviano Santiago se espraia por uma miríade de artigos jornalísticos e entrevistas, publicados ao longo de mais de seis décadas de uma carreira intelectual diversificada e múltipla, e estende-se ainda aos livros que são um só ensaio. Todos ocupam lugar próprio como referência no panorama de nossa crítica moderna. Os textos aqui reunidos foram escolhidos do corpus principal de sua obra ensaística.


Lembrar, escrever, esquecer, de Jeanne Marie Gagnebin

Profundamente familiarizada com o pensamento e a literatura da Grécia Antiga, Jeanne Marie Gagnebin move-se também com extrema desenvoltura entre as diversas formas do pensamento atual, especialmente as filosofias alemã e francesa, sem deixar de lado as obras de língua inglesa. Elaborados ao longo dos últimos dez anos, os 14 ensaios aqui reunidos põem em prática uma reflexão ao mesmo tempo precisa e abrangente, que, sem se deixar seduzir por grandes sistemas interpretativos, é capaz de distinguir as mais sutis – e decisivas – variações de tom, seja no percurso de Adorno ou no de Ricoeur, numa narrativa de Kafka ou em Proust, na dialética do hóspede e do estrangeiro na Odisséia ou no testemunho dos sobreviventes de Auschwitz.


A palavra náufraga – Ensaios sobre cinema, de Antonio Gonçalves Filho

Esta é uma análise de títulos clássicos do cinema, dirigidos por mestres como Fellini, Pasolini e Tarkovski. Os textos foram reunidos entre a melhor produção do autor, que marcou os anos 90 na produção crítica brasileira, em jornais como Folha de S. Paulo e Valor Econômico.


Ensaios de amor, de Alain de Botton

Em um avião percorrendo o trecho Paris-Londres, um homem e uma mulher sentam lado a lado. Um puxa conversa, o outro corresponde. E, junto à esteira de bagagens, ele já tem certeza de que está apaixonado por Chloe. Este enredo todo mundo conhece, mas o que faz de Ensaios de amor um livro único é a profundidade com que o autor analisa cada uma das emoções envolvidas num relacionamento, fazendo uso de um gênero híbrido entre narrativa e ensaio.


O que você achou da lista? Comente e participe!


Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *