Qual livro você não se cansa de ler?

(0 Estrelas - 0 Votos)

Fizemos essa pergunta aos nossos leitores nas redes sociais e eles indicaram livros para todos os gostos. Confira!

A nossa lista de leituras aumenta a cada dia. No entanto, há livros que não conseguimos largar e queremos reler duas, três, quatro… dez vezes! Sejam clássicos ou contemporâneos, os títulos revelam narrativas envolventes, encantadoras, que conquistam os leitores.

Por isso, perguntamos aos nossos internautas nas redes sociais: Qual livro você não se cansa de ler? Os leitores sugeriram obras para todos os gostos, com Cem anos de solidão, de Gabriel García Márquez, O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry, e A metamorfose, de Franz Kafka. Confira a lista completa e escolha a sua próxima leitura!


Cem anos de solidão, de Gabriel García Márquez

No livro, o autor narra a história da família Buendía, uma estirpe de solitários que habitam a mítica aldeia de Macondo. A narrativa se desenvolve em torno dos integrantes dessa família, com a particularidade de que todas as gerações foram acompanhadas por Úrsula. Ela é uma personagem centenária e matriarca das mais conhecidas da história da literatura latino-americana.


Hibisco roxo, de Chimamanda Ngozi Adichie

Em um romance que mistura autobiografia e ficção, Chimamanda Ngozi Adichie traça, de forma sensível e surpreendente, um panorama social, político e religioso da Nigéria atual. Este é um dos principais livros da autora.


A metamorfose, de Franz Kafka

A metamorfose é a mais célebre novela de Franz Kafka e uma das mais importantes de toda a história da literatura. Sem a menor cerimônia, o texto coloca o leitor diante de um caixeiro-viajante – o famoso Gregor Samsa – transformado em inseto monstruoso. A partir daí, a história é narrada com um realismo inesperado que associa o inverossímil e o senso de humor ao que é trágico, grotesco e cruel na condição humana – tudo no estilo transparente e perfeito desse mestre inconfundível da ficção universal. 


Dom Casmurro, de Machado de Assis

É claro que Machado de Assis não poderia ficar de fora da lista, né? Este clássico é um dos mais queridinhos dos nossos leitores. Escrevendo Dom Casmurro, o autor produziu um dos maiores livros da literatura universal. Mas criando Capitu, a espantosa menina de “olhos oblíquos e dissimulados”, de “olhos de ressaca”, Machado nos legou um incrível mistério, um mistério até hoje indecifrado.


O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry

Neste clássico, que encanta desde crianças a adultos, os leitores podem encontrar uma magia que se é vista poucas vezes na vida. É com enorme sutileza e sabedoria que um príncipe pequenino conta a sua história, de sua flor e de seu pequeno planeta. Por meio de imagens simbólicas, as passagens de ordem temporal, na vida do autor estão ali presentes: casamento e separação, profissões, sonhos, decepções.


O físico – A epopeia de um médico medieval, de Noah Gordon

Jovem dotado de um dom quase místico de curar, luta pelo ideal de sobreviver e aprimorar seus conhecimentos a qualquer preço. “O físico”, de Noah Gordon, é a história de um homem para quem o bem-estar da humanidade vem em primeiro lugar. Ambicioso, ele parte das ruas miseráveis de Londres para a o esplendor e a efervescência da Pérsia, onde começam a surgir as primeiras descobertas da Medicina.


O paraíso são os outros, de Valter Hugo Mãe

Em O paraíso são os outros, uma menina volta seu olhar pueril para os casais. Casais de pessoas e de animais, de homem e mulher, de mulher com mulher, de golfinhos e de pinguins. Uma menina a quem o amor intriga e fascina. Uma menina que ao imaginar a vida dos outros, sonha com a pessoa que um dia irá amar.


A ilha sob o mar, de Isabel Allende

O romance narra a vida de Zarité, a escrava que foi vendida aos nove anos de idade para o francês Toulouse Valmorain, dono de uma das maiores plantações de cana-de-açúcar nas Antilhas. Como escrava doméstica, ela não padeceu as dores e as humilhações de seus iguais, mas conheceu as misérias de seus patrões, os brancos. Desde o começo o leitor sente a tensão frente à realidade da ilha e a severidade com que Zarité é obrigada a conviver. Ela torna-se concubina de Valmorain e é responsável por cuidar dos dois filhos do patrão: o legítimo, que teve com sua esposa espanhola, e o extra-oficial, que teve com a própria Zarité.


Viva o povo brasileiro, de João Ubaldo Ribeiro

Obra que confirmou definitivamente o lugar de João Ubaldo Ribeiro entre os maiores escritores de língua portuguesa, Viva o povo brasileiro foi lançado 13 anos depois de Sargento Getúlio. Consagrado pela crítica e pelos leitores e considerado um dos mais importantes romances da literatura nacional, o livro se volta às origens do Recôncavo Baiano para recriar quase quatro séculos da história do país por meio da saga de múltiplos personagens. A obra se desenvolve em grande parte no século XIX, mas também viaja a 1647 e avança até 1977. Nele, realidade e ficção se misturam para criar um épico brasileiro com passagens heróicas e cômicas, tendo como pano de fundo momentos decisivos para a história do país, como a Revolta de Canudos e a Guerra do Paraguai.


Qual livro você incluiria na lista?


Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

2 thoughts on “Qual livro você não se cansa de ler?

  • 04.09.2020 em 10:40 pm
    Permalink

    Nossa! Senti-me uma criança comparado ao gosto fino, requintado, universitário e adulto que essa galera quis mostrar aqui. Desculpem-me se minha preferência é tão infantil comparada à de vocês, mas como a pergunta é qual livro você não se cansa de ler, o meu são dois: Se Houver Amanhã, de Sidney Sheldon, e Os Filhos de Húrin, de Tolkien.

Fechado para comentários.

Conheça os livros de Jô Soares Se você gostou dessas séries, vai gostar desses livros! Clássicos do Horror para conhecer Os melhores romances para ler nos próximos meses Os melhores livros espíritas