A fonte da autoestima, de Toni Morrison

(5 Estrelas - 1 Votos)

Coletânea reúne textos sobre sociedade, cultura e arte, e ajuda a entender o pensamento de uma das principais escritoras do mundo

Toni Morrison é sinônimo de transgressão. Primeira autora negra a conquistar o Prêmio Nobel de Literatura, ela ficou conhecida por expor as mazelas da sociedade, principalmente em relação às mulheres negras. Nos últimos anos, os livros da escritora voltaram às prateleiras do Brasil após alguns relançamentos da Companhia das Letras. Em 8 de abril, a editora lançará mais uma obra, A fonte da autoestima.

Nesta coletânea, Toni analisa as linhas tênues que separam o estrangeiro, a mulher, o corpo negro e outros conceitos da sociedade contemporânea. O livro reúne textos sobre sociedade, cultura e arte, além de um elogio emocionante ao escritor James Baldwin. A partir dos ensaios, entendemos melhor o pensamento de uma das principais escritoras do mundo.

Sobre a autora

Toni Morrison nasceu em 18 de fevereiro de 1931, na cidade de Ohio, nos Estados Unidos. Sua paixão por literatura começou ainda na infância, quando lia os livros de Jane Austen e Liev Tolstói. Ela estreou como romancista na década de 1970, a partir da publicação de O olho mais azul, que conta a história de uma jovem negra que tinha a compulsão de ser branca. Em 1987, a escritora conquistou o Prêmio Pulitzer, com Amada.

Enquanto A fonte da autoestima não é lançado, que tal conhecer alguns dos principais livros de Toni Morrison? Veja a seleção completa e boa leitura!


A origem dos outros

Baseado nos discursos que Toni Morrison proferiu na universidade de Harvard, A origem dos outros é uma busca de respostas para questões históricas, políticas e literárias sobre o racismo e a radicalização da identidade. Se o racismo é aprendido com exemplos cotidianos, a literatura mostra-se uma arma fundamental para combater o problema. Pensando nisso, a autora analisa autores desde Harriet Beecher Stowe até Ernest Hemingway e William Faulkner para entender melhor o papel da narrativa no estabelecimento dos padrões de pensamento racial. É um livro de atualidade extraordinária, no qual os temas que estamos acostumados a ver banalizados e desencorajados no debate público são abordados pela escritora americana com extrema elegância.


Amada

Amada é um dos principais romances de Toni Morrison. Ambientada em 1873, época em que o país começava a lidar com as feridas da escravidão recém-abolida, a obra conta a história da ex-escrava Sethe, que após fugir de uma fazenda no Kentucky refugia-se em Cincinatti. Lá, ela e a filha caçula se veem às voltas com o fantasma de outra filha de Sethe, morta há 18 anos.


Deus ajude essa criança

Neste conto de fadas moderno, Toni Morrison transforma em alta literatura a temática do racismo na infância e da influência de um trauma antigo na vida de um adulto. Lula Ann Bridewel é uma jovem cuja pele escura foi motivo de desgosto dos pais desde seu nascimento. Abandonada pelo marido, que a culpa pela cor da filha, a mãe da menina é incapaz de lhe devotar amor, e sua rudeza com Bride denota a um só tempo a decepção que sente e a preocupação com seu futuro.


Jazz

Em 1926, o Harlem, bairro negro de Nova York, é povoado sobretudo por gente que veio do campo em busca das promessas da cidade cintilante. O cinquentão Joe Trace, vendedor itinerante de produtos de beleza, mata com um tiro sua amante adolescente. No funeral, a cabeleireira Violet, mulher de Joe, ataca o corpo da rival com uma faca. Uma tragédia pessoal que é um prenúncio dos tempos duros que virão na década seguinte.


Você já leu algum livro da lista? Comente e participe!


Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *