A potência da literatura de Toni Morrison

(5 Estrelas - 1 Votos)

Nascida em 18 de fevereiro de 1931, a escritora americana é conhecida por retratar as experiências das mulheres negras em seus livros

Primeira escritora negra a conquistar o Prêmio Nobel (1993), Toni Morrison é uma das principais potências da literatura mundial contemporânea. Nascida em 18 de fevereiro de 1931, na cidade de Ohio, nos Estados Unidos, ela e a família passaram dificuldades financeiras, principalmente por consequências da Crise de 1929. Desde criança, Toni sempre foi uma leitora voraz e fã de Jane Austen e Liev Tolstói.

LEIA MAIS: O protagonismo de James Baldwin em discussões sociais e políticas

Na juventude, chegou a cursar Teatro na Universidade de Harvard e se formou em Letras na Universidade de Cornell, em Nova York. Em 1955, completou um mestrado em inglês, na mesma instituição, com uma tese sobre suicídio nos trabalhos dos escritores Virginia Woolf e William Faulkner.

Força na literatura

Toni estreou como romancista apenas na década de 1970, com a publicação do livro O olho mais azul. A obra narra a história de uma jovem negra que tem compulsão pela pele branca e, com isso, tortura-se por não possuir olhos azuis. Este livro já reúne as principais características literárias da escritora, que discute temas sociais, de gênero e de raça.

Se há um livro que você quer ler, mas não foi escrito ainda, então você deve escrevê-lo.”

Toni é reconhecida mundialmente por retratar as experiências das mulheres negras em seus trabalhos. Seus títulos são aclamados pela crítica: antes de conquistar o Prêmio Nobel de Literatura, em 1987, a autora ganhou o Prêmio Pulitzer, com o livro Amada.

Que tal conhecer seis das principais obras de Toni Morrison? Veja a nossa lista e boa leitura!


Deus ajude essa criança

Neste conto de fadas moderno, Toni Morrison transforma em alta literatura a temática do racismo na infância e da influência de um trauma antigo na vida de um adulto. Lula Ann Bridewel é uma jovem cuja pele escura foi motivo de desgosto dos pais desde seu nascimento. Abandonada pelo marido, que a culpa pela cor da filha, a mãe da menina é incapaz de lhe devotar amor, e sua rudeza com Bride denota a um só tempo a decepção que sente e a preocupação com seu futuro.


Amada

Amada é um dos principais romances de Toni Morrison. Ambientada em 1873, época em que o país começava a lidar com as feridas da escravidão recém-abolida, a obra conta a história da ex-escrava Sethe, que após fugir de uma fazenda no Kentucky refugia-se em Cincinatti. Lá, ela e a filha caçula se veem às voltas com o fantasma de outra filha de Sethe, morta há 18 anos.


Jazz

Em 1926, o Harlem, bairro negro de Nova York, é povoado sobretudo por gente que veio do campo em busca das promessas da cidade cintilante. O cinquentão Joe Trace, vendedor itinerante de produtos de beleza, mata com um tiro sua amante adolescente. No funeral, a cabeleireira Violet, mulher de Joe, ataca o corpo da rival com uma faca. Uma tragédia pessoal que é um prenúncio dos tempos duros que virão na década seguinte.


Compaixão

A obra de Toni Morrison é toda debruçada sobre a condição do negro nos Estados Unidos. Em Compaixão, recua mais na história e vai à origem, quando a própria nação norte-americana estava nascendo, cem anos antes da Declaração de Independência. Morrison nos faz lembrar que o começo do regime escravagista se confunde com esse início da nação. A autora vê, nesse alvorecer do país, a possibilidade de uma escravatura sem racismo, que junta brancos, negros e indígenas numa mesma árdua luta pela sobrevivência na natureza inóspita do nordeste americano.


Voltar para casa

Toni Morrison expande seu olhar sobre o século XX com esta narrativa de guerra e redenção. Quando Frank Money volta da Guerra da Coreia com mais cicatrizes do que as visíveis no corpo, encontra um mundo racista e desfigurado. Durante os anos de sua ausência, sua irmã Ycidra sobreviveu como pôde a uma sociedade machista e opressiva, em que as mulheres são sistematicamente abandonadas pelos maridos e muitas vezes mutiladas sem piedade.


Amor

Por meio das lembranças de seis mulheres, Toni Morrison narra uma história de ódios e paixões em que o falecido proprietário de um hotel à beira-mar é o pivô dos conflitos. Em 1993, Morrison tornou-se a primeira escritora negra a ganhar um Prêmio Nobel.


Qual seu livro favorito de Toni Morrison? Comente e participe! 🙂


Gabriela Mattos

Gabriela Mattos

Redatora em Estante Virtual
Gabriela é jornalista e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea brasileira e jornalismo literário.
Gabriela Mattos

Últimos posts por Gabriela Mattos (exibir todos)

Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea brasileira e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares