Flipop reúne autores da literatura young adult

(5 Estrelas - 1 Votos)

Entre 2 e 4 de agosto, evento reunirá mesas sobre narrativas, representatividade e escrita. Veja alguns destaques!

O Festival de Literatura Pop (Flipop 2019) é uma boa oportunidade para quem quiser conhecer autores da literatura young adult. Dezenas de escritores participarão de mesas sobre assuntos relacionados a esse gênero literário, entre os dias 2 e 4 de agosto, no Centro Cultural São Paulo, como representatividade, narrativas para jovens e como começar a escrever.

Entre os destaques do evento está o debate O que a História não contou, sobre o que as pessoas e as vozes dos livros têm para nos ensinar. A mesa será realizada nesta sexta-feira (2), às 14h15, com a participação da escritora cordelista Jarid Arraes, que também esteve presente na programação oficial da Festa Internacional Literária de Paraty (Flip 2019), e das autoras Lavínia Rocha e Duda Porto de Souza.

No mesmo dia, haverá ainda uma palestra sobre a internet como personagem e cenário das histórias, mediada pela escritora Iris Figueiredo, autora de Céu sem estrelas. O debate terá a participação de Clara Alves, Lola Salgado e Ray Tavares, às 15h45. Em seguida, o escritor Pedro Bandeira, um dos principais autores do gênero infantojuvenil, discute sobre o que torna um livro juvenil em um clássico.

No sábado (3), vale destacar duas palestras. Uma delas sobre Escrever é profissão?, com a escritora Luisa Geisler, uma das autoras mais queridinhas do mundo young adult, Aline Valek e Socorro Acioli, às 17h45. Enquanto isso, às 18h45, a escritora Thalita Rebouças participa de um debate sobre a representação do jovem na mídia, ao lado de Luly Trigo e Matheus Souza.

Que tal conhecer os livros de alguns dos autores convidados da Flipop? Confira a lista completa e boa leitura!


Heroínas negras brasileiras em 15 cordéis, de Jarid Arraes

Este é um dos principais livros de cordel contemporâneos. Desde 2012, a autora Jarid Arraes dedica-se a desvendar a vida das mulheres negras que fizeram a História do Brasil. Em Heroínas negras brasileiras em 15 cordéis, a escritora usa uma linguagem poética tipicamente brasileira da literatura de cordel. Com ilustrações, o livro reúne histórias de grandes mulheres como Antonieta de Barros, Aqualtune, Carolina Maria de Jesus, Dandara dos Palmares, Esperança Garcia e Maria Firmina dos Reis.


Céu sem estrelas, de Iris Figueiredo

Cecília acabou de completar 18 anos, mas sua vida está longe de entrar nos trilhos. Depois de perder seu primeiro emprego e de ter uma briga terrível com a mãe, a garota decide ir passar uns tempos na casa da melhor amiga, Iasmin. Lá, se aproxima de Bernardo, o irmão mais velho de Iasmin, e logo os dois começam um relacionamento. Apesar de estar encantado por Cecília, Bernardo esconde seus próprios traumas e ressentimentos, e terá de descobrir se finalmente está pronto para se comprometer.


Fala sério, mãe!, de Thalita Rebouças

Amor, carinho, compreensão e, claro muitas, muitas brigas. Brigas importantes, bobas, engraçadas, memoráveis. Só variam conforme a idade. Boletim, arrumação do quarto, namorados, legumes, viagens, hora de chegar das festas… tudo é motivo para pelejas domésticas. Na primeira metade do livro, os textos mostram o ponto de vista da mãe. Mas depois do primeiro beijo, aos 12 anos, é Maria de Lourdes (ou Malu, como ela prefere) quem assume a narrativa.


De espaços abandonados, de Luisa Geisler

De espaços abandonados é um mosaico narrativo de várias vozes, um livro sobre procurar alguém e se perder no processo. Nele, Luisa Geisler constrói com maestria uma trama complexa com personagens envolventes que desafiam os limites das páginas. Maria Alice é introspectiva e míope; muito míope. Sua mãe, que sofria de distúrbio bipolar, desapareceu sem deixar pistas, e Maria Alice está disposta a viajar o mundo para reencontrá-la. Posts em um blog sobre espaços abandonados e exploração urbana a levam a Dublin, onde passa a viver com brasileiros que decidiram ganhar a vida no exterior, mas que perderam (ou ignoraram) o rumo.


A droga da obediência, de Pedro Bandeira

Clássico infantojuvenil, este livro narra a história de uma turma de adolescentes que enfrenta o mais diabólico dos crimes. Com mistério e suspense, cinco estudantes – os Karas – enfrentam uma macabra trama internacional: o sinistro Doutor Q.I. pretende subjugar a humanidade aos seus desígnios, aplicando na juventude uma perigosa droga.

A Droga da Obediência Pedro Bandeira

Você já conhecia o Flipop? Comente e participe!


Gabriela Mattos

Redatora em Estante Virtual
Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.
Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *