Crítica social marca abertura da Flip 2019

(0 Estrelas - 0 Votos)

Evento, que começou nesta quarta-feira, homenageia o escritor Euclides da Cunha. Confira algumas das atrações desta edição!

Com homenagens ao escritor Euclides da Cunha, a Festa Literária Internacional de Paraty (Flip 2019) começou nesta quarta-feira (10). O evento foi aberto por Walnice Nogueira Galvão, a maior especialista nas obras do autor (dos seus 40 livros publicados, 12 são dedicados ao escritor).

Na cerimônia, o principal livro do autor, Os sertões, foi relembrado, e Walnice fez críticas severas à violência no país. Para ela, o clássico deve ser lido em qualquer fase brasileira.

Os sertões tem que ser lido todos os dias para se entender o que está acontecendo com os pobres no país”, destacou a especialista, reforçando ainda o problema de desigualdade social latente no Brasil. “Este livro tem a ver com a falta da reforma agrária e a iniquidade da distribuição de terras no Brasil”.

Entrevista ao Estante Blog

Em fevereiro, Walnice conversou com o Estante Blog e contou sobre sua relação com as obras de Euclides da Cunha. Ela lembrou que seu interesse pelo trabalho do autor começou ainda no período da ditadura militar. Para escrever a edição crítica de Os sertões, a pesquisadora levou quase dez anos estudando artigos, relatórios e jornais da época.

“Queria fazer um estudo sobre as fontes que ele utilizou em Os sertões. Estudei na Biblioteca Nacional, no Real Gabinete Português de Leitura e na Biblioteca de Salvador. Mergulhei em um material de riqueza extraordinária”, diz.

Destaques da programação

Até domingo, a Flip 2019 será repleta de debates, oficinas e atrações literárias. Entre os principais destaques está a mesa da cantora Adriana Calcanhotto, ao meio-dia desta quinta-feira (11), ao lado do ensaísta Guilherme Wisnik e o professor Nuno Grande, sobre a união da literatura, música, arquitetura e urbanismo.

Já na sexta-feira (12), as mesas principais são: às 10h, o quadrinista Marcelo D’Salete, vencedor do Prêmio Eisner 2018, e a educadora Marcela Cananéa, discutem a cultura afro-brasileira, e ao meio-dia, as escritoras Ayelet Gundar-Goshen e Ayòbámi Adébáyò debatem sobre sociedade, família e mulher.

No fim de semana, vale ainda destacar a mesa “Vila Nova da Rainha”, com as escritoras Jarid Arraes e Carmen Miranda Machado. As autoras explorarão a literatura de gênero, raça e histórias de pertencimento.

Para saber de todas as novidades da Flip 2019, acompanhe a gente pelo Estante Blog e nas nossas redes sociais! 🙂


Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Conheça os livros de Jô Soares Se você gostou dessas séries, vai gostar desses livros! Clássicos do Horror para conhecer Os melhores romances para ler nos próximos meses Os melhores livros espíritas