Da vida real para os livros: veja casos de assassinatos e serial killers

(5 Estrelas - 1 Votos)

Baseada em livro, série da Netflix conta a história de Ted Bundy, um dos mais temidos assassinos em série dos Estados Unidos

Você conhece Ted Bundy? Um dos assassinos em série mais temidos dos Estados Unidos da década de 1970, ele foi condenado à morte após estuprar e matar mais de 30 mulheres. Em 24 de janeiro, quando completou 30 anos em que o homem foi eletrocutado, a Netflix lançou uma série que conta a história de Bundy, baseada no livro Conversando com um serial killer: Ted Bundy, de Stephen G. Michaud e Hugh Aynesworth.

Com gravações de quando ele foi para o corredor da morte, entrevistas atuais e materiais de arquivo, a série mostra como o serial killer atraía e seduzia as vítimas com seu charme e boa aparência. O livro de Michaud e Hugh Aynesworth ainda não está disponível na Estante Virtual, mas selecionamos casos de assassinatos e serial killers que marcaram a vida real.

LEIA MAIS: Jornalismo literário humaniza e aprofunda histórias

Entre os livros selecionados estão Mindhunter, de John Douglas e Mark Olshaker, que também recebeu adaptação na Netflix, A sangue frio, de Truman Capote, e Richthofen – O assassinato dos pais de Suzane, de Roger Franchini. Confira a lista completa!


Mindhunter, de John Douglas

Em detalhes assustadores, Mindhunter mostra os bastidores de alguns dos casos mais terríveis, fascinantes e desafiadores do FBI. Durante os 20 anos em que atuou no FBI, John Douglas, agente especial e autor desta fascinante narrativa,  tornou-se uma figura lendária. Douglas foi um oficial exemplar na perseguição dos mais conhecidos e sádicos homicidas de nosso tempo.


Zodíaco, de Robert Graysmith

Aterrorizando a cidade de San Francisco desde 1968, o serial killer Zodíaco, em cartas cheias de escárnio enviadas aos jornais, escondia pistas sobre sua identidade e usava astuciosas mensagens criptografadas. Nessa época, o autor, Robert Graysmith, era o cartunista de política do maior jornal do norte da Califórnia, de forma que estava lá quando cada uma das cartas criptografadas, cada mensagem codificada, cada farrapo de roupa ensanguentada das vítimas chegou à redação.


Richthofen – O assassinato dos pais de Suzane, de Roger Franchini

Quem não se lembra da jovem rica e bonita que planejou meticulosamente a morte dos pais? O caso da família Richthofen ganhou as páginas dos jornais e chegou à boca do povo, envolvendo a população neste que foi um dos crimes mais cruéis e conhecidos do país. Rogério Franchini revela de forma os bastidores da investigação policial, as suspeitas, as evidências, os responsáveis pelo inquérito e mesmo os chocantes depoimentos de Suzane e dos irmãos Cravinhos. 

Indefensável: o goleiro Bruno e a história da morte de Eliza Samudio, de Leslie Leitão, Paula Sarapu e Paulo Carvalho

A lista também não poderia deixar de fora a história da morte Eliza Samudio. Escrita como thriller policial, a reportagem disseca a macabra trama planejada e calculada com rara frieza pelo então maior goleiro do Brasil, Bruno, do Flamengo, que resultaria na morte da jovem, em junho de 2010. Está tudo lá, desde a concepção da armadilha que capturaria a modelo, a execução do sequestro e o desaparecimento da jovem até o teatro dos julgamentos e a condenação dos responsáveis.


A sangue frio, de Truman Capote

Publicado inicialmente em 1966, A sangue frio relata o assassinato brutal de uma família na cidade de Holcomb, no interior do estado do Kansas, nos Estados Unidos. Na reportagem, Truman Capote relata desde a ideia inicial do crime até a execução dos assassinos. É um dos principais clássicos do autor.


Crimes que abalaram o Brasil, de George Moura e Flavio Araújo

Em 7 de outubro de 1928, uma simples mala cai do guindaste de um navio que partiria para a Europa. Iniciava-se assim um dos mais macabros e misteriosos casos da crônica policial brasileira, que ficou conhecido como o “crime da mala”. Essa é a primeira das sete histórias reais resgatadas no livro Crimes que Abalaram o Brasil.


Mentes criminosas e crimes assustadores, de John Douglas e Mark Olshaker

Com uma abordagem nova e penetrante de cada caso, os autores reexaminam e reinterpretam os fatos e o histórico das vítimas, usando as técnicas de análise criminal e de perfis, desenvolvidas por John Douglas no FBI. Este livro desmonta crenças e fatos, tidos como verdadeiros, e os arruma novamente, com resultados fascinantes e assombrosos. De todos os milhões de casos de crimes horrendos, cometidos através dos séculos, existem aqueles que parecem ter vida própria.


Qual livro você incluiria na lista?

Gabriela Mattos

Gabriela Mattos

Redatora em Estante Virtual
Gabriela é jornalista e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea brasileira e jornalismo literário.
Gabriela Mattos

Últimos posts por Gabriela Mattos (exibir todos)

Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea brasileira e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares