[Resenha] “O quarto de Giovanni” vai além do romance LGBT

(5 Estrelas - 5 Votos)

Relançado em 2018 pela Companhia das Letras, livro tem como contexto a fervilhante e boêmia Paris dos anos 1950

Um dos principais clássicos modernos americanos, O quarto de Giovanni voltou com força para o mercado literário brasileiro nos últimos meses. Publicado inicialmente em 1956, o segundo romance do escritor James Baldwin ganhou uma nova edição pela editora Companhia das Letras em 2018, após décadas esgotado no Brasil. Com toques autobiográficos, o título tem como contexto a fervilhante e boêmia Paris, dos anos 1950.

Narrador da história, o americano David está na cidade à espera de sua namorada Hella, pois a jovem preferiu viajar para a Espanha e pensar se deve ou não casar com o noivo. Em paralelo, David começa a frequentar bares em Paris e conhece Giovanni, um garçom italiano por quem se apaixona de forma inesperada. O quarto de Giovanni, de James Baldwin

Desde o início da trama, Baldwin revela que algo trágico vai acontecer com Giovanni e mantém essa tensão até o fim do romance. Por meio de flashbacks, David relembra momentos de sua vida, como a relação conturbada com o pai, a insegurança em uma nova cidade e o período que se relaciona com o garçom.

Frequentemente, o narrador revela seus conflitos internos, principalmente em relação à própria identidade. Ele fica na defensiva e luta para não assumir seu amor pelo outro rapaz. Enquanto isso, Giovanni é intenso e irracional, que quer arriscar tudo para manter seu relacionamento com David, mesmo em uma sociedade conservadora.

Um dos trechos mais marcantes do livro é um diálogo entre o americano e Jacques, seu amigo que também frequenta o mesmo bar onde o garçom trabalha. “Se você ficar se protegendo o tempo todo (…), vai acabar preso dentro do seu próprio corpo sujo, pra sempre, pra todo o sempre – como eu”, diz Jacques a David.

Mais do que uma obra com temática LGBTQ+, O quarto de Giovanni é um romance sensível sobre aceitação e escolhas. O clássico nos mostra que, em diversas situações, queremos a aceitação dos outros em busca de uma falsa felicidade para a nossa vida. Abrimos mãos dos desejos por medo de preconceitos, convenções sociais, comodismo e por tradicionalismo. É um livro para reler diversas vezes ao longo da vida.

Comecei a entender que, embora o que estava acontecendo comigo não fosse tão estranho quanto eu gostaria de acreditar, assim mesmo era estranho a ponto de ser inacreditável.”

Sobre o autor

Nascido em 2 de agosto de 1924, em Nova York, nos Estados Unidos, Baldwin cresceu em uma família muito pobre. Segundo relatos, sua mãe abandonou o pai biológico por causa de uso de drogas e se casou com um pastor. Ao longo da vida, ele cuidou dos irmãos e, aos 10 anos, foi assediado por dois policiais da cidade. Em 1943, o padrasto morreu de tuberculose e seu funeral ocorreu no dia do aniversário de 19 anos de Baldwin. Anos mais tarde, esse caso foi retratado no texto ensaístico Notes of a native son.

Baldwin foi um autor para além de seu tempo. Nas obras, ele tentava explicar a rejeição familiar (e social) e obter o seu individualismo. O relançamento dos livros dá mais visibilidade à potência e ao protagonismo do americano, que, por vezes, é comparado ao ativista Martin Luther King. O escritor morreu de câncer no estômago, em 1º de dezembro de 1987, e foi enterrado ao lado de sua mãe, em Nova York.

Conheça outros livros de James Baldwin!


Terra estranha

O romance Terra estranha, publicado inicialmente em 1962, tem como pano de fundo os clubes de jazz de Greenwich Village, em Nova York, na década de 1960. O livro retrata a história de Rufus, um baterista negro em decadência, que se envolve com Leona, uma mulher branca do sul dos Estados Unidos. A partir desse contexto, Baldwin discute sobre nacionalismo, identidade, bissexualidade e raça.Terra estranha, de James Baldwin


Marcas da vida

Este livro você só encontra na Estante Virtual. Marcas da vida tem como pano de fundo um templo do Harlem, nos Estados Unidos. Os integrantes de uma comunidade ouvem, fascinados, uma criança pregando o Evangelho. Entre eles, está o narrador da história, Hall Montana. Seu irmão mais novo, Arthur é dotado de um incrível talento para a música e vai se tornar um cantor gospel mundialmente famoso. No entanto, tem um fim de vida trágico em Londres.

Marcas da vida


O preço da glória

O preço da glória é mais um dos títulos raros do escritor James Baldwin, que você também só encontra na Estante Virtual. Assim como em outras obras do autor, este livro também reúne uma temática política e social.

O preço da glória, de James Baldwin


Um homem à espera

Publicado em 1970, Um homem à minha espera foi um dos primeiros livros do escritor James Baldwin. Também é uma das raridades que você só encontra no site da Estante Virtual. Um homem à minha espera


Você já leu “O quarto de Giovanni”? Comente e participe! 🙂

Gabriela Mattos

Gabriela Mattos

Redatora em Estante Virtual
Gabriela é jornalista e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea brasileira e jornalismo literário.
Gabriela Mattos

Últimos posts por Gabriela Mattos (exibir todos)

Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea brasileira e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares