Qual a sua leitura atual? Confira indicações de livros dos nossos leitores

(2.7 Estrelas - 27 Votos)

Lista inclui títulos clássicos e contemporâneos. Você já leu algum desses títulos? Veja a seleção completa!

Em meio à correria da rotina, sempre damos um jeito de encaixar uma leitura no dia a dia. O que não podemos é ficar sem ler! Conte-nos: Qual é a sua leitura atual? Fizemos essa pergunta aos nossos leitores nas redes sociais e eles indicaram livros para todos os gostos.

A seleção inclui títulos clássicos e contemporâneos, como O sol é para todos, de Harper Lee, Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, e Na minha pele, de Lázaro Ramos. Veja a lista completa e encontre a sua próxima leitura!

LEIA MAIS: Leitores indicam os melhores livros lidos em 2018


Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis

Nada melhor do que começar a lista com um dos principais clássicos da literatura brasileira. Em Memórias póstumas de Brás Cubas, Machado de Assis retrata a história de um personagem tipicamente burguês, sem objetivos e bastante contraditório que resolve escrever sua história depois de morto, tornando-se o primeiro autor defunto da humanidade. A narrativa é marcada pela desordem cronológica, o excesso de transgressões e reflexões, e a aparente falta de conexão entre os pensamentos do narrador e o que é contado. O romance também é recheado de ironia e bom humor.Memórias póstumas de Brás Cubas


Os irmãos Karamazov, de Fiódor Dostoiévski

Último romance de Fiódor Dostoiévski, Os irmãos Karamázov representa uma síntese de toda a produção literária do autor russo e é visto como sua obra-prima. Marco da literatura mundial, este clássico influenciou pensadores como Nietzsche e Freud, que o considerava “o maior romance já escrito”. No livro, o narrador pede constantes desculpas ao leitor por não saber alguns fatos, por considerar a própria narrativa longa e por considerar seu herói alguém insignificante.Os irmãos Karamázov


Mulheres que correm com os lobos, de Clarissa Pinkola Estés

Os lobos foram pintados com um pincel negro nos contos de fada e até hoje assustam meninas indefesas. Mas nem sempre eles foram vistos como criaturas terríveis e violentas. A analista junguiana Clarissa Pinkola Estés acredita que, na nossa sociedade, as mulheres vêm sendo tratadas de uma forma semelhante. Ao investigar o esmagamento da natureza instintiva feminina, Clarissa descobriu a chave da sensação de impotência da mulher moderna. Abordando 19 mitos, lendas e contos de fada, como a história do patinho feio e do Barba-Azul, a autora mostra como a natureza instintiva da mulher foi sendo domesticada ao longo dos tempos.Mulheres que correm com os lobos


A elite do atraso, de Jessé Souza

Em uma época em que a questão das desigualdades racial e social estão no centro de cena, o sociólogo Jessé Souza escancara o pacto dos donos do poder para perpetuar uma sociedade cruel forjada na escravidão. Esse é o pilar de sustentação de nossa elite, A Elite do Atraso. O autor apresenta obra surpreendente, forte, inovadora e crítica na essência, com um texto aguerrido e acessível. A elite do atraso, de Jessé Souza


Outros cantos, de Maria Valéria Rezende

Neste livro, a escritora Maria Valéria Rezende faz uma narrativa comovente sobre passado e futuro. Em uma travessia de ônibus pela noite, Maria, uma mulher que dedicou a vida à educação de base, entrelaça passado e presente para recompor uma longa jornada que nem mesmo a distância do tempo pode romper. Em uma escrita fluida, conhecemos personagens cativantes de diversos lugares do mundo e memórias que desfiam uma série de impossíveis amores, dos quais Maria guarda lembranças escondidas numa “caixinha dos patuás posta em sossego lá no fundo do baú”.Outros cantos, de Maria Valéria Rezende


O sol é para todos, de Harper Lee

O sol é para todos é um dos livros mais emblemáticos da literatura mundial. A história é narrada pela pequena Jean Louise, de 6 anos, que é órfã de mãe e mora com seu pai Atticus, seu irmão Jem e a babá Calpúrnia. O seu pai é advogado e enfrenta represálias da comunidade racista após defender um homem negro acusado injustamente de estuprar uma mulher branca. O livro discute sobre racismo, direitos humanos, preconceito, tolerância e conceito de justiça. O sol é para todos, de Harper Lee


Na minha pele, de Lázaro Ramos

O ator Lázaro Ramos divide com o leitor suas reflexões sobre temas como ações afirmativas, gênero, família, empoderamento, afetividade e discriminação. Em Na minha pele, o autor relembra episódios íntimos de sua vida e também suas dúvidas, descobertas e conquistas. Ao rejeitar qualquer tipo de segregação ou radicalismos, o artista nos fala da importância do diálogo. 

Na minha pele, de Lázaro Ramos


O seminarista, de Rubem Fonseca

O Seminarista é considerado um dos melhores títulos do escritor Rubem Fonseca. No livro, de narrativa intensa e concisa, o protagonista é um homem que tem como profissão matar outras pessoas, até que decide se aposentar. No entanto, interromper esse trabalho não é tão simples quanto ele imaginou e fantasmas do passado agora precisam ser superados.

o-seminarista


Amor líquido, de Zygmunt Bauman

A modernidade líquida traz consigo uma misteriosa fragilidade dos laços humanos, um amor líquido. Zygmunt Bauman analisa de que forma nossas relações tornam-se cada vez mais “flexíveis”, gerando níveis de insegurança sempre maiores. A prioridade a relacionamentos em “redes”, as quais podem ser tecidas ou desmanchadas com igual facilidade, faz com que não saibamos mais manter laços a longo prazo. Mais que uma mera e triste constatação, esse livro é um alerta: não apenas as relações amorosas e os vínculos familiares são afetados, mas também a nossa capacidade de tratar um estranho com humanidade é prejudicada. Amor líquido

 


Qual livro você incluiria na lista? Comente e participe!

Comentários

Gabriela Mattos

Redatora em Estante Virtual
Gabriela é jornalista e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea brasileira e jornalismo literário.
Gabriela Mattos

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea brasileira e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares