Jabuti 2018: Conheça os vencedores do prêmio

(2.4 Estrelas - 18 Votos)

Marcelo D’Salete, Carol Bensimon e Fernando Gabeira estão entre os premiados desta edição. Veja a lista completa!

Principal premiação da literatura brasileira, o 60º Prêmio Jabuti anunciou os vencedores de 2018 nesta quinta-feira (8). Na edição deste ano, havia quatro grandes eixos (Literatura, Ensaios, Livro e Inovação) com dez finalistas em 18 categorias, como Conto, Romance, Crônica e Humanidades. A cerimônia homenageou o poeta amazonense Thiago de Mello, que foi reconhecido pelo conjunto de sua obra com prêmio “Personalidade Literária”.

O grande destaque da cerimônia foi a conquista do autor independente Mailson Furtado Viana na categoria de Livro do Ano, com a obra de poesia À cidade. Com a premiação, o escritor ganhou R$ 100 mil. Enquanto isso, a escritora gaúcha Carol Bensimon levou o prêmio de Melhor Romance, com o título O clube dos jardineiros de fumaça, e o jornalista Fernando Gabeira ganhou na categoria Humanidades, com Democracia tropical.

Já o quadrinista Marcelo D’Salete conquistou o prêmio de Melhor História em Quadrinhos, com Angola Janga. Esta é a segunda grande premiação que o artista leva em 2018. Em julho, ele ganhou o Prêmio Eisner, principal troféu dos quadrinhos no mundo, com o livro Cumbe, que fala sobre escravidão.

Lista dos vencedores

  • Livro do ano – À cidade, de Mailson Furtado Viana
  • ContoEnfim, imperatriz, de Maria Fernanda Elias Maglio
  • CrônicaO poeta e outras crônicas de literatura e vida, de Rubem Braga, André Seffrin e Gustavo Henrique
  • História em quadrinhosAngola janga, de Marcelo D’Salete
  • Infantojuvenil – O Brasil dos dinossauros, de Luiz Eduardo Anelli e Rodolfo Nogueira
  • Poesia – À cidade, de Mailson Furtado Viana
  • Romance – O clube dos jardineiros de fumaça, de Carol Bensimon
  • Tradução – O macaco e a essência, de Fábio Bonillo, e Giuseppe Ungratti: Poemas, de Geraldo Holanda Cavalcanti
  • Artes – Imaginai! O teatro de Gabriel Villela, de Dib Carneiro Neto e Rodrigo Louçana Audi
  • Biografia – Roquette-Pinto: O corpo a corpo com o Brasil, de Claudio Bojunga
  • Humanidades – Democracia tropical, de Fernando Gabeira

Conheça alguns livros vencedores e boa leitura!


O poeta e outras crônicas de literatura e vida, de Rubem Braga, André Seffrin e Gustavo Henrique

Rubem Braga sempre esteve rodeado por seus colegas de ofício. O poeta e outras crônicas de literatura e vida traz uma fração resultante destes encontros ímpares, os quais Rubem Braga, como não poderia deixar de ser, soube traduzir em memoráveis crônicas. As 25 crônicas reunidas neste livro foram escritas entre os anos de 1948 e 1988 e saíram em diversos órgãos de imprensa como Diário de Notícias, Correio da Manhã, Diário de Pernambuco, O Globo, Manchete e Revista Nacional.O poeta e outras crônicas de literatura e vida, de Rubem Braga


Angola janga, de Marcelo D’Salete

Apesar do nome, Macaco, a capital da cidade, tinha uma população equivalente a das maiores cidades do Brasil da época. Formada no século XVI, Angola Janga cresceu, organizou-se e resistiu aos ataques dos militares holandeses e das forças coloniais portuguesas. Tornou-se o grande alvo do ódio dos colonizadores e um símbolo de liberdade para os escravizados. Seu maior líder, Zumbi, virou lenda e inspirou a criação do Dia da Consciência Negra. Angola Janga, de Marcelo D'Salete


O clube dos jardineiros de fumaça, de Carol Bensimon

Em um cenário formado por coníferas milenares, estradas sinuosas e falésias, a região californiana do Triângulo da Esmeralda concentra a maior produção de maconha dos Estados Unidos. É lá que o jovem professor brasileiro Arthur busca recomeçar a vida, depois dos acontecimentos que o levaram a deixar Porto Alegre. Aos poucos, ele se insere na dinâmica local e passa a fazer parte de uma história que começa com a contracultura dos anos 1960 e se estende até o presente. O clube dos jardineiros de fumaça, de Carol Bensimon


Roquette-Pinto: O corpo a corpo com o Brasil, de Claudio Bojunga

O traço unificado de um personagem de múltiplas facetas emerge no livro Roquette-Pinto – o corpo a corpo com o Brasil, do jornalista Claudio Bojunga. Neto do biografado, o autor dedicou três anos à pesquisa do médico, antropólogo, etnólogo, radialista, ensaísta e poeta. A trajetória de Roquette-Pinto se divide em duas vertentes que não seguem a ordem cronológica: a primeira é a do médico, do antropólogo e naturalista. A segunda é definida por Bojunga como de “democratização dos saberes”: a educação do povo, a popularização da cultura, a disseminação do civismo e do amor ao país. Roquette-Pinto


Democracia tropical, de Fernando Gabeira

O que aconteceu com a jovem democracia brasileira nos últimos 30 anos? Democracia tropical nasceu das anotações de Fernando Gabeira sobre o caminho percorrido pela democracia desde o movimento Diretas Já até os dias de hoje. Esta narrativa, ilustrada com fotos memoráveis, traz o Gabeira personagem da história, contando e refletindo sobre o que viu e viveu ao longo de sua trajetória como jornalista, ativista e político.Democracia tropical, de Fernando Gabeira


O Brasil dos dinossauros, de Luiz Eduardo Anelli e Rodolfo Nogueira

Este livro apresenta as primeiras linhagens ancestrais de dinossauros do Brasil até sua extinção há 66 milhões de anos. Ilustrada, a obra conta em detalhes a jornada desses animais, bem como a evolução das paisagens pré-históricas brasileiras. As detalhadas reproduções das espécies em seu ambiente de vida são criação de um estudioso brasileiro no assunto, o professor e paleontólogo Luiz Eduardo Anelli e de Rodolfo Nogueira, um paleoartista nacional. O Brasil dos dinossauros, de Luiz Eduardo Anelli


Imaginai! O teatro de Gabriel Villela, de Dib Carneiro Neto e Rodrigo Louçana Audi

O livro apresenta a obra do diretor teatral Gabriel Villela, retratando toda a riqueza artística levada por ele aos palcos. Registros de todos os seus espetáculos, tanto os teatrais como shows e óperas, são apresentados com textos do próprio diretor trazendo suas memórias acerca de cada montagem, com referências aos bastidores, às parcerias, ao processo criativo e à trajetória das encenações. Imaginai! O teatro de Gabriel Villela


O que achou do resultado do Jabuti? Comente e participe 🙂

[mailpoet_form id=”4″]

Gabriela Mattos

Redatora em Estante Virtual
Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.
Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *