7 livros essenciais de Amós Oz

(0 Estrelas - 0 Votos)

Escritor israelense é fundador do Movimento Paz Agora. Premiado, ele reúne extensa obra com romances, ensaios e críticas. Confira a lista!

Um dos escritores israelenses mais traduzidos do mundo, Amós Oz ganhou mais espaço nas livrarias brasileiras e conquistou leitores no país nos últimos anos. Com uma extensa obra de romances, ensaios e críticas, o autor já conquistou os prêmios Israel, Goethe e Príncipe das Astúrias, e também foi indicado para o Prêmio Nobel de Literatura, em 2002. Em seus livros, Amós une a literatura com assuntos sociais. Ativista político, ele foi o fundador do Movimento Paz Agora, que defende a criação de dois Estados para o conflito entre Israel e Palestina.

O escritor, de 79 anos, adotou o sobrenome Oz, que significa “coragem” em hebraico, depois da morte de sua mãe. Amós viveu décadas no assentamento agrícola kibutz Hulda e participou das forças de defesa de Israel nos conflitos com a Síria. Após concluir o serviço militar, ele estudou Filosofia e Literatura na Universidade Hebraica, em Jerusalém. Além de atuar como professor, o israelense lutou na guerra dos Seis Dias, em 1967, e na de Yom Kippur, em 1973.

LEIA TAMBÉM: Segundo round: 18 melhores títulos de ficção

O livro Meu Michel, lançado em 1968, projetou o autor no cenário da literatura do Ocidente. Já em 2003, Amós lançou o livro autobiográfico De amor e trevas, que depois recebeu uma adaptação no cinema. Para homenagear o autor, selecionamos sete livros indispensáveis para conhecer a obra de Amós Os. Confira a nossa lista completa!


Meu Michel

Nada melhor do que começar a lista com o livro que projetou Amós Os no Ocidente. Meu Michel é o retrato magistral de uma mulher que desliza lentamente para a névoa do delírio esquizofrênico, em Jerusalém, na década de 1960. O livro conta a história da protagonista Hana Gonen, de 30 anos. Ela é casada com um geólogo calmo, trabalhador, sensível, o “meu Michel”. Ao contrário do marido, ela se apega à memória e às palavras como quem se agarra a um parapeito em um lugar muito alto. No entanto, ao longo do tempo, a lacuna entre o casal se expande.

Amós Oz, Meu Michel


Judas

O livro Judas retrata a história do jovem Samuel Ash, que se vê obrigado a procurar emprego após ser abandonado pela namorada e os pais declararem falência. Ele abandona a universidade e interrompe a escrita de sua tese de doutorado. Samuel encontra refúgio e emprego em uma antiga casa de pedra situada no extremo de Jerusalém, onde também mora Atalia Abravanel, uma mulher sensual e enigmática. O protagonista se vê diante de um dilema em relação a ela: desejo e curiosidade para saber quem é ela.


Como curar um fanático

A guerra em Jerusalém é retratada no livro Como curar um fanático, após o autor testemunhar as consequências perigosas do fanatismo. Esta obra reúne dois ensaios concisos e poderosos, nos quais Amós Os oferece uma visão única sobre a natureza do extremismo e propõe uma aproximação ponderada para solucionar o conflito entre Israel e Palestina. Lançado em 2016, o livro é ideal para quem quer procura uma contextualização ampla sobre o tema, envolvendo a morte de Yasser Arafat e a Guerra do Iraque.

Como curar um fanático, Amós Oz


O monte do mau conselho

O monte do mau conselho foi publicado pela primeira vez em 1976, quando o autor se preparava para vivenciar um momento de intensa militância política. Neste livro, Amós Os recria a sua infância em Jerusalém e entrecruza dados autobiográficos, personagens da “grande” história e as vidas de pessoas comuns. Os personagens desta obra, publicada em 1976, convivem com as feridas mal curadas de seus pais, que têm de assimilar o desligamento das raízes europeias.

 

 

Amós Os, O monte do mau conselho


A caixa preta

Romance epistolar, A caixa preta tem todos os vestígios de uma catástrofe: razões da queda, gritos de horror, pânico. No entanto, a caixa preta a que se refere o título não pertence a um avião, e sim a uma relação amorosa desfeita. Após anos do divórcio, a esposa rejeitada Ilana tenta passar a limpo seu casamento com o professor e escritor mundialmente famoso, Alex Guideon. Com dinheiro, ele tenta silenciar o passado que sangra, mas o ex-casal tem que lidar também com o filho Boaz, explodindo de juventude e violência, além do novo marido de Ilana, um burocrata medíocre.

Amós Oz, A caixa preta


Uma certa paz

Uma certa paz é um dos livros mais aclamados de Amós Oz. Publicada originalmente em 1982, a obra retrata a vida do jovem Ionatan Lifschitz, de 26 anos, frustrado com sua vida monótona e regrada. As difíceis relações familiares são o foco do autor neste livro. Ele leva para o seio familiar as contradições e dificuldades políticas que Israel enfrentava na década de 1960, às vésperas da Guerra dos Seis Dias. O escritor dá voz aos pensamentos de suas personagens, por mais rígidos que sejam.

 

Uma certa paz, Amós Oz


Mais de uma luz

A lista também não poderia deixar de incluir o livro mais recente de Amós Oz, Mais de uma luz. Nesta obra, o israelense se confirma como um dos mais poderosos ensaístas da atualidade. O livro reúne três ensaios: no primeiro, o autor amplia seu artigo clássico Como curar um fanático, argumentando em defesa da controvérsia e da diferença. Já o segundo ensaio foi inspirado no livro Os judeus e as palavras, no qual ele reflete sobre o judaísmo como eterno jogo de interpretação. E o texto final discute a questão da convivência em uma das regiões mais disputadas do mundo.

Amós Oz, Mais de uma luz


Sentiu falta de algum livro nessa lista? Comente e participe!

[wysija_form id=”5″]

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Maze Runner: Conheça os livros da saga Conheça os livros de Jô Soares Se você gostou dessas séries, vai gostar desses livros! Clássicos do Horror para conhecer Os melhores romances para ler nos próximos meses