O cotidiano brasileiro sob os olhos de Artur Xexéo

(5 Estrelas - 1 Votos)

O jornalista e escritor morreu na noite deste domingo (27). Xexéo estava internado em uma clínica no Rio após ter uma parada cardiorrespiratória

Jornalista, dramaturgo, tradutor e autor de livros como “Hebe: a biografia”, Artur Xexéo morreu neste domingo (27), aos 69 anos. De acordo com o G1, Xexéo havia sido diagnosticado há duas semanas com um linfoma e fez a primeira sessão de quimioterapia na quinta-feira passada.

No dia seguinte, ele teve uma parada cardiorrespiratória e foi internado na Clínica São Vicente, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Embora o quadro tenha sido controlado na própria sexta-feira, o jornalista carioca não resistiu e morreu na noite de domingo. O velório de Arthur Xexéo será restrito a familiares. Ele deixa o marido Paulo Severo, com quem dividiu a vida por mais de 30 anos.

Artur Xexéo era colunista do jornal “O Globo” e comentarista do programa “Estúdio I”, da Globo News. Antes disso, o jornalista já havia passado por veículos como a Veja, a Isto É, o Jornal do Brasil, e a rádio CBN, onde fez sua estreia como comentarista na companhia de Carlos Heitor Cony. Desde 2015, Xexéo atuava na cobertura das cerimônias do Oscar na Globo, comentando a premiação junto de colegas como a apresentadora do “Estúdio I”, Maria Beltrão.

Divulgação.

Em sua trajetória na literatura, Artur Xexéo escreveu as biografias da dramaturga Janete Clair, intitulada “Janete Clair: A Usineira de Sonhos” (1996), e da cantora e apresentadora de TV Hebe Camargo, lançada em 2017. Além disso, Xexéo publicou o livro “Liberdade de Expressão” em 2003, junto com Carlos Heitor Cony e Heródoto Barbeiro e a coleção de crônicas “O Torcedor Acidental”, em 2010.

Como dramaturgo, ele escreveu o musical “A Garota do Biquíni Vermelho” e a peça “Nós sempre teremos Paris”, além de traduzir o musical “Xanadu”, dirigido por Miguel Falabella, e “Love Story, o musical”, com direção de Tadeu Aguiar. Xexéo ainda comandou os espetáculos “Cartola – O Mundo é Um Moinho” e “Minha Vida Daria Um Bolero” e adaptou o musical “A Cor Púrpura”, de Marsha Norman, durante o ano de 2019.


Hebe – A Biografia

Em Hebe – A Biografia, o jornalista Artur Xexéo conta a trajetória da cantora e apresentadora que marcou a história do rádio e da televisão no Brasil. Com depoimentos de artistas que acompanharam de perto a carreira de Hebe e relatos dos familiares da apresentadora, o livro apresenta em detalhes a vida dessa mulher que deixou a sua marca na TV brasileira.


Liberdade de Expressão, Carlos Heitor Cony, Heródoto Barbeiro e Artur Xexéo

Em Liberdade de Expressão, os jornalistas Carlos Heitor Cony, Herodoto Barbeiro e Artur Xexeo discutem temas atuais, indo desde sexo à política e religião. O livro apresenta uma divertida troca de ideias entre os autores, com humor, divergências e muita liberdade de expressão.


Janete Clair: A Usineira dos Sonhos

Quinze anos depois de ser vítima de uma injustiça, a dramaturga Janete Clair tem a sua história contada neste livro de Artur Xexéo. Janete Clair: A Usineira dos Sonhos confirma que as críticas feitas a “Coração Alado” foram mesmo injustas.


O Torcedor Acidental

Em O torcedor acidental, Artur Xexéo apresenta 21 crônicas inéditas com memórias de suas andanças durantequatro coberturas de Copa do Mundo (Estados Unidos, 1994; França, 1998; Coreia/Japão, 2002; e Alemanha, 2006). Como o próprio cronista ressalta, futebol é apenas o pano de fundo para suas coberturas do Campeonato Mundial de Futebol. Xexéo busca a matéria-prima de seus textos longe dos fortes holofotes dos estádios.


Você já conhecia o trabalho de Artur Xexéo?


Yasmin Lisboa
Comentários

Yasmin Lisboa

Yasmin é jornalista e estudante de Cinema. Cantora e colecionadora de discos e livros, é fascinada pela cultura popular brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *