Conheça os vencedores do Oscar 2021

(0 Estrelas - 0 Votos)

Premiado como “Melhor Filme”, Nomadland foi o grande vencedor da edição com três estatuetas. Fique por dentro do que aconteceu no Oscar!

Neste domingo (25), o Oscar 2021 apresentou uma edição repleta de surpresas, quebras de recordes e representatividade. Nomadland foi o grande vencedor da premiação e recebeu os prêmios de “Melhor Filme”, “Melhor Direção” e “Melhor Atriz”. Dirigido pela cineasta chinesa Chloé Zhao, o drama americano conta a história de uma mulher com mais de 50 anos que vive sem emprego e sem aposentadoria após uma depressão econômica nos Estados Unidos.

Depois de reconhecer Parasita como “Melhor Filme” na edição de 2020, o Oscar voltou a premiar profissionais de origem asiática e, neste ano, ressaltou o trabalho de cineastas mulheres. Chloé Zhao recebeu o prêmio de “Melhor Direção” e tornou-se a segunda mulher a vencer na história desta categoria. Youn Yuh-jung, de 73 anos, também levou a estatueta de “Melhor Atriz Coadjuvante” pela sua interpretação em Minari e foi a primeira atriz sul-coreana a ganhar o prêmio.

David Lee/NETFLIX

De maneira geral, essa foi a cerimônia do Oscar que mais premiou mulheres, com 17 estatuetas concedidas a elas. Além de Chloé e Zhao, Mia Neal e Jamika também fizeram história na premiação. Junto com Sergio Lopez-Rivera, Mia e Jamika foram as primeiras mulheres a serem indicadas na categoria de “Melhor Maquiagem e Penteados” e também as primeiras profissionais negras a vencerem este prêmio.

A equipe foi responsável pela caracterização das personagens de A Voz Suprema do Blues, estrelado por Viola Davis e que também levou a estatueta de “Melhor Figurino” com o trabalho de Ann Roth. Aos 89 anos, a figurinista tornou-se a mulher mais velha a ganhar o Oscar.

Um outro destaque da premiação vai para o ator e roteirista britânico, Daniel Kaluuya, que levou a estatueta de “Melhor Ator Coadjuvante” por sua interpretação do ativista Fred Hampton no filme “Judas e o Messias Negro”, e em seu discurso saudou a trajetória de Hampton e a do partido dos Panteras Negras. Conheça os principais vencedores do Oscar 2021 e aproveite para conferir a nossa seleção com livros que inspiraram filmes de outras edições da premiação!


Melhor filme: Nomadland

Melhor filme internacional: Druk – Mais Uma Rodada

Melhor direção: Chloé Zhao, em Nomadland

Melhor atriz: Frances McDormand, em Nomadland

Melhor ator: Anthony Hopkins, em Meu pai

Melhor atriz coadjuvante: Youn Yuh-jung, em Minari

Melhor ator coadjuvante: Daniel Kaluuya, Judas e o messias negro

Melhor roteiro original: Bela vingança

Melhor roteiro adaptado: Meu pai

Melhor documentário: My octopus teacher

Melhor animação: Soul

Melhor fotografia: Mank

Melhor som: O som do silêncio

Melhor edição: O som do silêncio

Melhor figurino: A voz suprema do blues


12 Anos de Escravidão, Solomon Northup

Doze anos de escravidão narra a história real de Solomon Northup, um violonista negro e livre que, atraído por uma proposta de emprego, abandonou a segurança do Norte e acabou sendo sequestrado e vendido como escravo, trabalhando em diversas fazendas na Louisiana. Depois de liberto, Northup publicou o relato contundente de sua história, que se tornou um best-seller imediato.


A garota dinamarquesa, David Ebershoff

A garota dinamarquesa foi inspirado na história real do pintor dinamarquês Einar Wegener e de sua esposa, Greta. Einar alimenta uma espécie de alter ego feminino chamado Lili e torna-se cada vez mais imerso nesta persona. Aos poucos, Greta se vê estranhamente atraída por Lili, e à medida que Einar desaparece na lembrança, eles percebem que uma escolha terá de ser feita.


Infiltrado na Klan, Ron Stallworth

Infiltrado na Klan conta a história de Ron Stallworth, o primeiro detetive negro da história do Departamento de Polícia de Colorado Springs. Baseado em uma história verdadeira, o livro descreve a experiência de Stallworth quando fingiu ser um homem branco e se infiltrou na Ku Klux Klan para investigar o grupo de supremacistas brancos.


Me Chame Pelo Seu Nome, Andre Aciman

O livro de André Aciman narra uma história de amor entre Elio, um jovem italiano filho de um importante professor universitário, e Oliver, um escritor norte-americano que se hospeda por seis semanas na casa onde o garoto passa os verões com a família. Das estranhezas iniciais no convívio dos dois surge uma paixão inesquecível que só aumenta à medida em que eles quebram as barreiras que os separam.

Me chame pelo seu nome, André Aciman

O céu que nos oprime, Christine Leunens

Em O céu que nos oprime, conhecemos Johannes Betzler. Como muitos meninos austríacos na época da anexação da Áustria ao Reich alemão, na década de 1930, ele abraça inocentemente o sonho nazista. Integrante da Juventude Hitlerista, Betzler descobre que seus pais estão escondendo uma Elsa, uma jovem judia, atrás de uma parede falsa em sua casa. Aos poucos, o horror inicial vai dando lugar ao interesse, amor e obsessão.


E você, o que achou da premiação?


Yasmin Lisboa

Yasmin é jornalista e estudante de Cinema. Cantora e colecionadora de discos e livros, é fascinada pela cultura popular brasileira.

Maze Runner: Conheça os livros da saga Conheça os livros de Jô Soares Se você gostou dessas séries, vai gostar desses livros! Clássicos do Horror para conhecer Os melhores romances para ler nos próximos meses