Confira as 8 melhores autobiografias

(5 Estrelas - 1 Votos)

Selecionamos alguns livros para você ficar por dentro da vida das grandes personalidades do Brasil e do mundo

Quem nunca teve a curiosidade de se aprofundar na trajetória dos seus ídolos? Nada melhor do que fazer esse mergulho por meio das palavras das próprias personalidades em autobiografias. Por meio destes livros, conseguimos nos aproximar dessas personalidades, além de nos emocionar e vivenciar suas conquistas, dificuldades e dramas pessoais.

Para ajudar você, selecionamos algumas das principais autobiografias brasileiras e internacionais. Entre os oito livros escolhidos na lista estão o recém-lançado Uma terra prometida, de Barack Obama, Fome, de Roxane Gay, e Eu sei por que o pássaro canta na gaiola, de Maya Angelou.

Veja a seleção completa de autobiografias e boa leitura!


Uma terra prometida, de Barack Obama

Barack Obama narra, nas próprias palavras, a história de sua odisseia improvável, desde quando era um jovem em busca de sua identidade até se tornar líder da maior democracia do mundo. Com detalhes, ele descreve sua formação política e os momentos marcantes do primeiro mandato de sua presidência histórica – época de turbulências e transformações drásticas. Obama conduz os leitores através de uma jornada cativante, que inclui suas primeiras aspirações políticas, a vitória crucial nas primárias de Iowa, na qual se demonstrou a força do ativismo popular, e a noite decisiva de 4 de novembro de 2008, quando foi eleito 44º presidente dos Estados Unidos, o primeiro afro-americano a ocupar o cargo mais alto do país.


Eu sei por que o pássaro canta na gaiola, de Maya Angelou

Este livro de Maya Angelou conta a história da personagem Marguerite Ann Johnson. A garota negra, criada no sul por sua avó paterna, carregou consigo um enorme fardo que foi aliviado apenas pela literatura e por tudo aquilo que ela pôde lhe trazer: conforto através das palavras. Dessa forma, Maya, como era carinhosamente chamada, escreve para exibir sua voz e se libertar das grades que foram colocadas em sua vida. As lembranças dolorosas e as descobertas de Angelou estão contidas e eternizadas nas páginas desta obra densa e necessária, dando voz aos jovens que um dia foram, assim como ela, fadados a uma vida dura e cheia de preconceitos.


Rita Lee – Uma autobiografia, de Rita Lee

Nesta autobiografia, a cantora Rita Lee conta todos os passos de sua vida, desde a infância e os primeiros passos na vida artística até a sua prisão em 1976. Ela também passa pelo nascimento dos filhos, das músicas e dos discos clássicos, além dos tropeços e das glórias. Este livro é ideal para os fãs de Rita.


Prólogo, ato, epílogo, de Fernanda Montenegro

Fernanda Montenegro narra suas memórias numa prosa afetiva, cheia de inteligência e sensibilidade. Com sua voz inconfundível, ela coloca no papel a saga de seus antepassados lavradores portugueses, do lado paterno, e pastores sardos, do lado materno. Lidas hoje, são histórias que podem “parecer um folhetim. Ou uma tragédia” — gêneros que a atriz domina com maestria.


Fome – Uma autobiografia do (meu) corpo, de Roxane Gay

Nesta autobiografia, a autora best-seller Roxane Gay fala sobre como, após sofrer um abuso sexual aos 12 anos, passou a utilizar seu próprio corpo como um esconderijo contra os seus piores medos. Ao comer compulsivamente para afastar os olhares alheios, por anos Roxane guardou sua história apenas para si. Até conceber este livro. Esta não é uma narrativa bem-sucedida de perda de peso. E este também não é um livro que Roxane gostaria de escrever. Entretanto, é uma história que precisa ser contada, e ela o faz com seu estilo contundente e impetuoso, ainda que dotado de um humor mordaz, características que a tornaram uma das vozes mais marcantes de sua geração.


Eu sou Malala, de Malala Yousafzai

Este livro conta a história de uma família exilada pelo terrorismo global, da luta pelo direito à educação feminina e dos obstáculos à valorização da mulher em uma sociedade que privilegia filhos homens. O livro acompanha a infância de Malala no Paquistão, os primeiros anos de vida escolar, as asperezas da vida numa região marcada pela desigualdade social, as belezas do deserto e as trevas da vida sob o Talibã.


Viagem solitária – Memórias de um transexual trinta anos depois, de João W. Nery

Viagem solitária conta a história de João W. Nery, o primeiro transexual masculino de que se teve notícia no Brasil. Especialmente dedicado a todas as pessoas que se reinventam para achar um lugar no mundo, narra a infância triste e confusa do menino tratado como menina, a adolescência transtornada, iniciada com a “monstruação” e o crescimento dos seios – que fazia de tudo para esconder -, o processo de autoafirmação e a paternidade.

Viagem solitária, de João W. Nery

De cu pra lua, de Nelson Motta

Lançada no fim de 2020, esta é a autobiografia de Nelson Motta, um personagem fundamental para a construção da música brasileira. “Sua produção como letrista e como descobridor e orientador de talentos possui peso histórico inigualado na nossa música”, diz Caetano Veloso na sinopse.


O que você achou da lista? Comente e participe!


Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *