A importância de Sérgio Sant’Anna na literatura brasileira

(5 Estrelas - 1 Votos)

Conhecido como mestre do conto, autor morreu, aos 78 anos, no Rio de Janeiro. Veja alguns dos principais livros do escritor!

O Brasil perdeu um dos principais nomes da literatura contemporânea neste domingo (10). Conhecido como mestre do conto, o escritor Sérgio Sant’Anna morreu, aos 78 anos, após ficar internado durante uma semana com os sintomas do Covid-19, no Rio de Janeiro. Vencedor de três Prêmios Jabuti, o autor havia completado 50 anos de carreira em outubro de 2019.

Nascido em 30 de outubro de 1941, no Rio, o escritor estudou Direito na Universidade Federal de Minas Gerais, em 1966, e viveu em Minas Gerais por 12 anos. Ganhou ainda uma bolsa de pós-graduação em Ciências Políticas, em Paris, e passou oito meses em um programa de formação de autores nos Estados Unidos.

A mudança é inevitável, mas nem sempre agradável.”

Depois, publicou seu primeiro livro de conto, O sobrevivente, em 1969. Ao longo da carreira, foram mais de 20 obras, como contos, romances e novelas. Os livros de Sérgio Sant’Anna são contextualizados, principalmente, em cenários cariocas e têm como característica dar voz aos conflitos íntimos dos personagens. Ah, e claro, sempre com humor.

LEIA MAIS: Rubem Fonseca morre aos 84 anos

Suas obras também receberam adaptações no cinema, como o filme Bossa nova, inspirado em A senhorita Simpson. Com 50 anos de carreira, Sérgio Sant’Anna publicou seu último livro em 2017. Anjo noturno, que reúne nove contos sobre nostalgia, desejo e solidão, venceu o Prêmio da APCA (Associação Paulista de Críticos da Arte”.

Para homenagear o escritor, selecionamos alguns de seus principais livros. Confira a lista completa e boa leitura!


O conto zero e outras histórias

Na trilha do espantoso Homem-mulher, um dos mais impactantes livros de ficção publicados no Brasil nos últimos anos, Sérgio Sant’Anna volta à forma curta para explorar os labirintos da existência, do amor, da memória e da solidão. Neste que é um de seus trabalhos mais pessoais, Sant’Anna combina lembrança e imaginação para recriar viagens, impressões e momentos únicos que se perderam no tempo. É assim que reconta sua residência em Iowa, quando o jovem escritor sai do Brasil em meio à ditadura para ter um contato com artistas do mundo inteiro e cujo impacto continuará sentido décadas após a viagem.


Amazona

Publicado pela primeira vez em 1986, Amazona foi recebido com espanto pelo público. Este retrato transgressor sobre a libertação da mulher não só destoava da produção literária da época, mas acertava em cheio as questões políticas do país, que dava os primeiros passos em direção à transição democrática. O mito grego das mulheres guerreiras é a metáfora que conduz o livro, que narra a ascensão da bela Dionísia, uma típica esposa da classe média carioca, ao poder – primeiro como modelo de revista erótica e depois como uma proeminente figura política do Brasil dos anos 1980.


O voo da madrugada

Este livro reúne 16 contos marcados pela experimentação formal, pela dimensão psicológica do sexo e pela indagação filosófica sobre a existência. Desejo e alucinação conduzem os personagens a zonas sombrias, em que predominam figuras femininas como sedução e volúpia.


Páginas sem glória

Sérgio Sant’Anna traz três textos bem diferentes entre si, tanto na forma como na temática. O ponto alto é a novela que encerra o volume e lhe empresta o título. Páginas sem glória é ambientada no Rio de Janeiro do início dos anos 1950, com sua boemia povoada de personagens rodriguianos e seus brasileiríssimos dramas em torno do mundo da bola. A novela narra a história de José Augusto do Prado Almeida Fonseca, um boavida pinçado do futebol de areia e levado ao Fluminense pelo olheiro Luiz Andrade. Desde os primeiros parágrafos, Zé Augusto é pintado como um adorável semvergonha, um anárquico poeta da bola. A saga desse anti-herói é narrada com o mais saboroso humor, num texto que já nasce como um clássico da literatura futebolística.


50 contos e 3 novelas de Sérgio Sant’Anna

Este livro é fundamental para quem quer se aprofundar na obra de Sérgio Sant’Anna. A obra reúne 50 contos e três novelas dos principais trabalhos do escritor.


Anjo noturno

Nas nove narrativas reunidas em Anjo noturno, um dos principais escritores brasileiros da atualidade explora num gênero híbrido – que abrange contos, memórias e novelas – temas a um só tempo díspares e intrincados, como morte e vida, infância e velhice, paixão carnal e amor fraternal.


O monstro

Histórias que podem ser lidas como fotogramas de um turbulento filme contemporâneo, em que o sexo é figura central. Sant’Anna flerta com gêneros literários diversos e mescla o insólito e o banal, o instinto e a reflexão.


Você já leu algum livro do autor?


Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *