Qual a diferença entre coaching e psicologia?

(5 Estrelas - 4 Votos)

Para ajudar você, selecionamos alguns livros sobre os dois assuntos. Veja a lista e boa leitura!

Nos últimos anos, o coaching cresceu no Brasil e no mundo. Em 2019, uma pesquisa da International Coach Federation (ICF) mostrou que a área, voltada para o desenvolvimento humano, cresceu mais de 300% em quatro anos e movimentou mais de R$ 50 milhões no país. No entanto, mesmo com conceitos e técnicas parecidas, o coaching não pode ser confundido com psicologia.

O que é psicologia?

A psicologia pode ser definida como “o estudo científico dos processos mentais e do comportamento do ser humano e suas interações com o ambiente físico e social”. Com métodos voltados, principalmente, para a observação sistemática, os profissionais diagnosticam, previnem e tratam doenças e distúrbios mentais ou de comportamento.

Há diferentes escolas e abordagens na psicologia que guiam as análises. Uma delas é o Estruturalismo, considerado o primeiro pensamento da psicologia moderna, que definiu a área como ciência. Esta escola utilizava a técnica da introspecção, mas o método foi considerado falho e deixou de ser aplicado depois do século XX.

Outra abordagem de destaque é a Gestalt, a qual compreende as partes do processo mental a partir da análise e da interpretação do conjunto total. Já a Psicanálise, uma das mais utilizadas até hoje, foi desenvolvida por Sigmund Freud e foca no inconsciente do ser humano.

Vale destacar que os psicólogos podem atuar em diferentes áreas, como na Psicologia Organizacional, que estuda os fenômenos nas empresas, Psicologia Infantil, que foca nas crianças, e Psicologia Educacional, que envolve creches, escolas e outras instituições de ensino.

O que é coaching?

Já o método do coaching é desenvolvido por meio da junção de diferentes áreas, como gestão de pessoas, administração, antropologia, psicologia e neurolinguística. O coach utiliza, sobretudo, técnicas de motivação, aprimoramento e gerenciamento do tempo.

A principal característica deste profissional é incentivar as pessoas tanto no âmbito profissional quanto no pessoal. No entanto, diferentemente de um psicólogo, o coach não faz diagnósticos, não estuda transtornos psicológicos e seu trabalho não é clínico.

Que tal aprofundar-se mais nos dois assuntos? Selecionamos alguns livros fundamentais sobre coaching e psicologia. Veja a a lista e boa leitura!


Coaching – A hora da virada, de Mauricio Sita

Organize sua vida, supere desafios e realize sonhos. O coaching pode levá-lo a realizar muito mais, a literalmente virar o jogo em qualquer âmbito da vida, desde que esteja disposto. Neste livro, os autores trazem sua vasta experiência com o método e compartilham dicas preciosas ao seu desenvolvimento. Todos são coaches habilitados que expõem ferramentas para trabalhar a mente, as emoções e o comportamento. Instrumentos estes indispensáveis a levá-lo do estado atual ao estado desejado.


O livro da psicologia, da editora Globo Livros

Este livro procura trazer um panorama sobre a ciência da mente e do comportamento. Nele, a psicologia é abordada a partir de suas raízes filosóficas e fisiológicas. O entrelaçar dessas duas áreas permitiu que, em 1879, fosse dado o primeiro passo para a constituição da psicologia como ciência por meio da criação por Wilhelm Wundt do primeiro laboratório de psicologia experimental na Universidade de Leipzig, na Alemanha. Seguido de uma perspectiva cronológica, e com o apoio de esquemas e gráficos, a publicação destaca autores e contextualiza suas descobertas, traz um glossário com os principais termos e teorias, além de conter um capítulo dedicado a apresentar os cientistas e psicólogos.


O poder do coaching – Ferramentas, foco e resultados, de José Roberto Marques

Neste livro, o autor apresenta ricos conhecimentos no que se refere ao universo do coaching: os conceitos, técnicas, métodos e ferramentas mais utilizadas, como também novas ferramentas desenvolvidas por coaches profissionais. Em cada artigo você vai encontrar o subsídio necessário para aprimorar suas competências e habilidades como profissional coach e para desenvolver-se ainda mais enquanto ser humano.


A interpretação dos sonhos, de Sigmund Freud

A interpretação de sonhos, segundo Freud, desvela, sobretudo, os conteúdos mentais reprimidos ou excluídos da consciência pelas atividades de defesa do ego e justifica inquestionavelmente sua posição dentro da psicanálise, já que a parte do id cujo acesso à consciência foi impedido é exatamente a que se encontra envolvida na origem das neuroses. O interesse de Freud pelos sonhos teve origem no fato de constituírem eles processos normais, com os quais todos estão familiarizados, mas que exemplificam processos atuantes na formação dos sintomas neuróticos. 


O sucesso é inevitável – Coaching e carreira, de Maurício de Paula

Conflitos com a equipe, falta de comunicação, baixo nível motivacional, rigidez excessiva, tendência para tomada precipitada de decisão – esses são alguns dos dilemas de liderança que os executivos enfrentam e que têm como base um fator preponderante: a competência emocional. Usando como alicerce a recentíssima metodologia de executive coaching, Maurício de Paula apresenta métodos para o desenvolvimento de competências emocionais que demonstram sua eficácia para a empresa e o crescimento do indivíduo.


O homem e seus símbolos, de Carl G. Jung

Este livro constitui uma tentativa de expor os princípios fundamentais da análise junguiana para o leitor, sem qualquer obrigatoriedade de conhecimento especializado de psicologia. No livro, Jung acentua que o homem só se realiza através do conhecimento e aceitação do seu inconsciente – conhecimento que ele adquire por intermédio dos sonhos e seus símbolos.


O que você achou da lista? Comente e participe!


Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *