Confira 10 lançamentos para comemorar o Dia Nacional do Livro

(5 Estrelas - 1 Votos)

O 29 de outubro é especial para os amantes da literatura. Por isso, veja alguns dos principais lançamentos de livros brasileiros de 2019!

Todo 29 de outubro é especial para os apaixonados por literatura: é quando comemora-se o Dia Nacional do Livro. A data marca a fundação da Biblioteca Nacional, pela Família Real Portuguesa, em 1810, no Centro do Rio de Janeiro. Para comemorar, que tal conhecer algumas das principais obras brasileiras lançadas em 2019?

O ano está sendo marcado por lançamentos incríveis em todos os gêneros literários, desde não ficção até os de ficção. É difícil escolher os melhores, mas selecionamos os dez principais. Entre os títulos escolhidos estão Escravidão, primeiro volume da nova trilogia de Laurentino Gomes, e Crônicas para ler em qualquer lugar, de Gregório Duvivier, Maria Ribeiro e Xico Sá.

Veja a lista completa e mergulhe em uma nova leitura!


Escravidão, de Laurentino Gomes

O escritor Laurentino Gomes dedica-se a uma nova trilogia de livros-reportagem, desta vez sobre a história da escravidão no Brasil. Resultado de seis anos de pesquisas e observações, este primeiro volume cobre um período de 250 anos, do primeiro leilão de cativos africanos registrado em Portugal, na manhã de 8 de agosto de 1444, até a morte de Zumbi dos Palmares. Entre outros aspectos, a obra explica as raízes da escravidão humana na Antiguidade e na própria África antes da chegada dos portugueses, o início do tráfico de cativos para as Américas e suas razões.


Prólogo, ato, epílogo, de Fernanda Montenegro

Fernanda Montenegro narra suas memórias numa prosa afetiva, cheia de inteligência e sensibilidade. Com sua voz inconfundível, ela coloca no papel a saga de seus antepassados lavradores portugueses, do lado paterno, e pastores sardos, do lado materno. Lidas hoje, são histórias que podem “parecer um folhetim. Ou uma tragédia” — gêneros que a atriz domina com maestria.


Chorar de alegria, de Carol Stuart, Lorena Pimenta, Fernanda Gayo, Jéssica Barros e Maysa Muniz

Este livro é pra quem é à flor da pele. É pra quem sente demais e, por isso mesmo, sabe que a vida nem sempre é justa com quem leva o coração no bolso. Em uma coletânea de textos poéticos, as autoras Lorena Pimenta, Carol Stuart, Fernanda Gayo, Jéssica Barros e Maysa Muniz abusam do poder incomparável das palavras, ora ferindo, ora curando os leitores com narrativas pessoais que abrem a porta para reflexões universais. Chorar de alegria explora as muitas nuances dos complexos relacionamentos humanos e do que significa ser mulher no cenário atual.


Confissões de uma garota linda, popular e (secretamente) infeliz, de Thalita Rebouças

Nesta sequência da série iniciada com Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco) dramática e seguida por Confissões de um garoto tímido, nerd e (ligeiramente) apaixonado, vamos agora conhecer a história de Valentina, a “vilã” da turma de Tetê e Davi. Com uma complicada história familiar e muitos traumas, Valentina vai contar o seu lado e mostrar por que age como age. Fofocas, intrigas, disse me disse e muito mais na nova aventura dessa turma de adolescentes.


O corpo encantado das ruas, de Luiz Antonio Simas

As ruas, como vistas por Luiz Antonio Simas, incorporam o movimento. São terreiro de encontros improváveis, território de Exu, que se manifesta na alteridade da fala e na afluência das encruzilhadas. Do Centro ao subúrbio, as tramas das ruas cariocas confundem-se com sua escrita. Se João do Rio foi o cronista da alma encantada carioca do início do século XX, Luiz Antonio Simas aparece, cem anos depois, como o historiador do corpo do Rio de Janeiro atravessado pelas flechas do capital cultural e financeiro global.


Crônicas para ler em qualquer lugar, de Gregório Duvivier, Maria Ribeiro e Xico Sá

Em textos mordazes e cheios de lirismo, os autores refletem sobre a atualidade brasileira. São algumas dezenas as crônicas reunidas neste livro, parte delas já publicada em jornais. Outras são inéditas e foram feitas especialmente para esta edição. Maria Ribeiro escreve um e-mail cheio de afeto para Caetano Veloso, celebra João Gilberto, sente o peso de uma separação. Gregorio Duvivier se encanta com a paternidade, critica o mundo das redes sociais e a fissura por likes, bate um papo com um pastor. Xico Sá medita sobre as dores de uma demissão, abençoa a chegada da filha e rói, como só ele sabe fazer, o proustiano pequi da memória.


Brasil, um construtor de ruínas: Um olhar sobre o país, de Lula a Bolsonaro, de Eliane Brum

Neste livro, a premiada jornalista Eliane Brum recupera o que perdemos: o processo. A partir de seu ponto de vista sempre singular, ela aponta o que é ruptura, o que é continuidade. Narra as transformações de um país que acreditava ter finalmente chegado ao futuro, mas descobriu-se atolado no passado. Partindo das reportagens e artigos de opinião escritos nos últimos anos, especialmente para sua coluna no jornal El País, ela documenta não só as mudanças objetivas, mas também as subjetivas, às vezes mais determinantes.


Um carinho na alma, de Bráulio Bessa

Depois de conquistar o coração dos brasileiros com sua Poesia que transforma e passar mais de um ano entre os autores mais vendidos do país, Bráulio Bessa volta a nos brindar com poemas que, como de hábito, nos fazem pensar e nos fazem sentir. Sempre fiel às suas raízes, mas trazendo novidades, em Um carinho na alma o poeta cearense amplia a gama da sua poesia, indo além do cordel tradicional – mas sem jamais abandoná-lo.


Uma mulher no escuro, de Raphael Montes

Um crime brutal cometido há 20 anos, uma única sobrevivente, o retorno calculado do assassino. Em quem Victoria deve confiar? Neste thriller psicológico, Raphael Montes une romance e suspense em uma narrativa intrincada e sedutora. Victoria Bravo tinha quatro anos quando um homem invadiu sua casa e matou sua família a facadas, pichando seus rostos com tinta preta. Única sobrevivente, ela agora é uma jovem solitária e tímida, com pesadelos frequentes e sérias dificuldades para se relacionar.


A última mulher, de Luiz Alfredo Garcia-Roza

O novo caso do delegado Espinosa envolve um jogo de gato e rato que conta com um cafetão bem-sucedido, sua nova prostituta favorita e outras figuras da Lapa profunda. Ratto é um cafetão da Lapa, coração do Rio de Janeiro, que, acompanhado de seu sócio, Japa, consegue tirar uma pequena fortuna todo mês. Quando um violento policial resolve chantageá-lo, querendo abocanhar parte do quinhão, Ratto precisa desaparecer dali e arranjar um jeito de sobreviver. Refugiado em Copacabana, ele conhece Rita, uma prostituta jovem e muito inteligente que vira sua protegida.


O que você achou da lista?


Gabriela Mattos

Analista de comunicação em Estante Virtual
Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.
Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *