Flup 2018: Resistência, literatura negra e mulheres

(0 Estrelas - 0 Votos)

Edição deste ano homenageia a escritora Maria Firmina dos Reis e o sambista Martinho da Vila. Veja alguns destaques da programação!

Com homenagens à escritora Maria Firmina dos Reis e ao sambista Martinho da Vila, a 7ª edição da Festa Literária das Periferias (Flup 2018) é marcada por resistência e diversidade. Até o próximo domingo (11), na Biblioteca Parque Estadual, o evento promoverá debates sobre literatura negra, poesia, música e feminismo com 80 autores, inclusive de outros países, como Inglaterra e França.

Um dos destaques da programação é a participação do compositor Gilberto Gil em uma mesa ao lado do cantor Liniker, às 16h desta quinta-feira (8), sob mediação da escritora Heloísa Buarque de Hollanda. Eles vão mostrar como a Música Popular Brasileira (MPB) “tem sido uma inesgotável plataforma para transgressões que dialogam com os desejos mais libertários de nossa juventude, em particular no campo do comportamento”.

Já na sexta-feira (9), às 18h, a escritora Djamila Ribeiro, do livro Quem tem medo do feminismo negro?, participará de um debate sobre literatura negra, com os escritores Ungulani Ba Ka Khosa e Tom Farias. Outro destaque da Flup é o Prêmio Carolina Maria de Jesus, que será entregue no sábado (10), às 20h. A premiação homenageia personalidades que tiveram “o curso de suas vidas transformado pela literatura” e influenciaram outras pessoas.

Os homenageados

Primeira escritora negra brasileira, Maria Firmino dos Reis é uma das homenageadas da Flup 2018. Nascida em São Luís, no Maranhão, em 11 de março de 1822, foi registrada com o nome de outro homem no lugar de seu pai biológico. Do pouco que é conhecido sobre ela, sabe-se que era filha de uma mãe branca e de um pai negro. Em 1859, lançou o que foi mais tarde considerado o primeiro romance nacional, Úrsula, no qual o pano de fundo da história era a escravidão.

Úrsula, de Maria Firmina dos Reis

Já o cantor Martinho da Vila completa 80 anos em 2018. Um dos principais sambistas brasileiros, ele já conquistou diversos prêmios, como o Prêmio Shell de Música Popular Brasileira, em 1991, e também foi indicado a outras premiações, como ao Grammy Latino de melhor álbum de samba/pagode. Além de compositor, Martinho também é escritor e publicou alguns livros, como Ópera negraVamos brincar de política? Os lusófonos.

Ópera negra, de Martinho da Vila


[mailpoet_form id=”4″]

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Maze Runner: Conheça os livros da saga Conheça os livros de Jô Soares Se você gostou dessas séries, vai gostar desses livros! Clássicos do Horror para conhecer Os melhores romances para ler nos próximos meses