Principais influenciadores do mundo indicam livros

(3 Estrelas - 18 Votos)

Lista inclui sugestões de grandes nomes internacionais, como Bill Gates, Papa Francisco e Oprah Winfrey. Veja a seleção completa!

Quer uma leitura inesquecível, mas não sabe por onde começar a procura? Para ajudar na busca pelo próximo livro, nada como uma boa indicação, né? De tempos em tempos, grandes figuras internacionais divulgam uma lista com sugestões literárias. Um deles é o empresário Bill Gates, que faz uma seleção anualmente. Entre as obras escolhidas estão O capital no século XXI, de Thomas Piketty, e Steve Jobs, de Walter Isaacson.

LEIA TAMBÉM: Conheça os melhores romances do século 21

Além do co-fundador da Microsoft, outros influenciadores também deram dicas de livros, como a apresentadora norte-americana Oprah Winfrey, Papa Francisco e o historiador Leandro Karnal. As indicações reúnem títulos para todos os gostos, desde os clássicos até os contemporâneos, e ainda aqueles que você só encontra na Estante Virtual, como A volta do filho pródigo, de André Gide. Ficou curioso? Fique de olho nas sugestões e anote a sua próxima leitura!


Bill Gates

O capital no século XXI, de Thomas Piketty

O estudo de Thomas Piketty sobre concentração de riqueza e a evolução da desigualdade ganhou manchetes nos principais jornais do mundo, gerou discussões nas redes sociais e colheu comentários e elogios de diversos ganhadores do Prêmio Nobel. Escrito após 15 anos de pesquisas, O capital no século XXI apoia-se em dados que remontam ao século XVIII, provenientes de mais de 20 países, para chegar a conclusões explosivas. 

O capital no século XXI, de Thomas Piketty


Steve Jobs, de Walter Isaacson

Com mais de 40 entrevistas realizadas em dois anos, Steve Jobs narra a vida atribulada do empresário inventivo e de personalidade forte e polêmica, cuja paixão pela perfeição e energia indomável revolucionaram seis grandes indústrias: a computação pessoal, o cinema de animação, a música, a telefonia celular, a computação em tablet e a edição digital. A história de Jobs é ao mesmo tempo uma lição e uma advertência, e ilustra a capacidade de inovação e de liderança, o caráter e os valores de um homem que ajudou a construir o futuro.

Steve Jobs, de Walter Isaacson


Hillary Clinton

A cor púrpura, de Alice Walker

O romance A cor púrpura tornou-se conhecido após a adaptação para o cinema por Steven Spielberg, em um filme estrelado por Whoopi Goldberg (Celie) e Oprah Winfrey (Sofia). A personagem principal, Celie, negra, semianalfabeta, vive entre cuidar da família e planejar uma vida diferente da sua para a irmã, Nettie, no sul dos Estados Unidos. Na obra, o leitor acompanha sua vida por mais de 30 anos, por meio das cartas que escreve para Deus e, posteriormente, para a irmã. Em oposição à solidão, pobreza, brutalidade e violência, Celie descobre outras maneiras de sentir.

A cor púrpura, de Alice Walker


Os irmãos Karamazóv, de Fiódor Dostoiévski

Último romance de Fiódor Dostoiévski, Os irmãos Karamázov representa uma síntese de toda a produção literária do autor russo e é visto como sua obra-prima. Marco da literatura mundial, este clássico influenciou pensadores como Nietzsche e Freud, que o considerava “o maior romance já escrito”. No livro, o narrador pede constantes desculpas ao leitor por não saber alguns fatos, por considerar a própria narrativa longa e por considerar seu herói alguém insignificante.

Os irmãos Karamázov, de Fiódor Dostoiévski


Mahatma Gandhi

Viagens de Gulliver, de Jonathan Swift

Polêmica obra do século XVIII, Viagens de Gulliver mistura literatura de viagem, ficção científica e aventura. No livro, o autor Jonathan Swift expõe o homem, suas instituições, seu apego irracional ao poder e ao ouro, além de sua insistência em prolongar a vida. Apesar de todo o seu ressentimento e misantropia, é uma obra deliciosa, que permite vários níveis de leitura.

Viagens de Gulliver, de Jonathan Swift

 


Um conto de duas cidades, de Charles Dickens

Com aventura, romance e tragédia, Um conto de duas cidades incorpora elementos que tornam a obra singular. Neste livro, Charles Dickens embarca em uma emocionante pintura da Revolução Francesa. A peculiaridade deste romance começa na condição indissociável da escrita do autor. É com o olhar estrangeiro e não raro antagônico de um inglês que ele dá vazão à trama. No entanto, isso não o impede de ir ao fundo de questões fundamentais e de compor um quadro impressionante do que foi aquele período da história da França.

Um conto de duas cidades, de Charles Dickens


Ellen Degeneres

O pintassilgo, de Donna Tartt

Vencedor do Prêmio Pullitzer, O pintassilgo narra a história de Theo Decker, um nova-iorquino de 13 anos que sobrevive a um acidente que matou a sua mãe. Abandonado pelo pai, o menino é levado pela família de um amigo rico. Desnorteado em seu novo e estranho apartamento, perseguido por colegas de escola com quem não consegue se comunicar e, acima de tudo, atormentado pela ausência da mãe, Theo se apega a uma importante lembrança dela – uma pequena, misteriosa e cativante pintura que acabará por arrastá-lo ao submundo da arte. 

O pintassilgo, de Donna Tartt


A arte de correr na chuva, de Garth Stein

A arte de correr na chuva, de Garth Stein, conta a história de Enzo, um cachorro que é um filósofo com alma quase humana. O animal educou-se assistindo à programas de televisão e ouvindo as lições de seu dono, Denny Swift, um piloto-aposta das grandes corridas. Na véspera de sua morte, Enzo relembra toda a sua vida, o que ele e sua família enfrentaram juntos. É uma história sobre família, amor, lealdade e esperança. 

A arte de correr na chuva, de Garth Stein


Oprah Winfrey

O sol é para todos, de Harper Lee

Baseada em memórias afetivas, O sol é para todos tem como pano de fundo a Grande Depressão, nos Estados Unidos, na década de 1930. A história é narrada pela pequena Jean Louise, de 6 anos, que é órfã de mãe e mora com seu pai Atticus, seu irmão Jem e a babá Calpúrnia. O seu pai é advogado e enfrenta represálias da comunidade racista após defender um homem negro acusado injustamente de estuprar uma mulher branca. Emblemático e atemporal, o livro discute sobre racismo, direitos humanos, preconceito, tolerância e conceito de justiça.

O sol é para todos, de Harper Lee


O poder do agora, de Eckhart Tolle

O poder do agora é um guia que combina conceitos do Cristianismo, Taoísmo, Hinduísmo e Budismo. O livro de Eckhart Tolle é um manual prático que ensina o leitor a tomar consciência dos pensamentos e emoções que o impedem de vivenciar plenamente a alegria e a paz interior.

O poder do agora, de Eckhart Tolle


Papa Francisco

A volta do filho pródigo, de André Gide

Esse é um dos livros que você só encontra na Estante Virtual. Por meio da observação de um pôster com detalhes do quadro A volta do filho pródigo, do pintor holandês Rembrandt, André Gide inicia uma caminhada espiritual na qual analisa os personagens dessa famosa parábola bíblica à luz de sua experiência pessoal.

A volta do filho pródigo, de André Gide


Recordações da casa dos mortos, de Fiódor Dostoiévski

Recordações da casa dos mortos é um dos principais clássicos do autor russo Fiódor Dostoiévski. O romance representou um divisor de águas em sua obra, no sentido da procura de níveis mais profundos da consciência do real e sua ambivalência. A experiência da vida no presídio levou o escritor a tratar de problemas relacionados com a culpa e a punição pelo crime, a própria realidade do mal em si e os limites da ação humana dentro da ordem social.

Recordações da casa dos mortos, de Fiódor Dostoiévski


Leandro Karnal

Madame Bovary, de Gustave Flaubert

Madame Bovary é a obra prima do escritor francês Gustave Flaubert. Por meio de uma imersão dentro da mente da personagem principal, o romance mostra a desesperança e o desespero de Emma Bovary, que se vê presa em um casamento sem graça e com um marido de personalidade fraca. Publicado originalmente em capítulos de jornal, em 1856, o livro retrata o crescente declínio da vida dessa mulher.

Madame Bovary, de Gustave Flaubert


A paixão segundo G.H, de Clarice Lispector

O romance A paixão segundo G.H narra o pensar e o sentir da protagonista-narradora G.H. Ela demite a empregada doméstica e decide fazer uma limpeza geral no quarto de serviço. Ela supõe que o local está imundo e cheio de objetos inúteis. Depois de limpar o quarto, G.H encontra uma barata na porta do armário e esmaga o inseto para provar seu interior branco. A protagonista vê sua condição de dona de casa e mãe como uma selvagem.

A paixão segundo G.H, de Clarice Lispector


O que achou da lista? Comente e participe!

[wysija_form id=”5″]

Gabriela Mattos

Redatora em Estante Virtual
Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.
Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *