8 livros para ler no Dia Internacional Contra a Discriminação Racial

(5 Estrelas - 1 Votos)

Conheça oito livros fundamentais para se aprofundar na luta contra a discriminação racial no Brasil e no mundo

Anualmente, o 21 de março marca a celebração do Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Criada pela Organização das Nações Unidas (ONU), a data faz referência ao Massacre de Sharpeville, tragédia comandada por tropas militares do Apartheid que, em 21 de março de 1960, atacaram manifestantes que lutavam em Joanesburgo, na África do Sul, pela possibilidade de transitarem livremente sem serem identificados, assim como previa a chamada “Lei do Passe”. Desde então, o evento celebra as batalhas e conquistas de pessoas negras na garantia por direitos civis e busca reforçar a luta contra o preconceito e a discriminação racial no mundo.

Assim como registrado no Artigo I da Declaração Universal das Nações Unidas, a sociedade deve eliminar qualquer discriminação baseada na raça, cor, ascendência, origem étnica ou nacional ou prática realizada com “a finalidade ou o efeito de impedir ou dificultar o reconhecimento e exercício, em bases de igualdade, aos direitos humanos e liberdades fundamentais nos campos político, econômico, social, cultural ou qualquer outra área da vida pública“.

No Brasil, o combate à discriminação racial foi instituído pela Constituição Federal de 1988, que passou a considerar o racismo um crime inafiançável e sem prescrição. De lá para cá, o movimento negro vivenciou algumas importantes conquistas, mas se mantém firme em sua luta pela garantia de direitos para a população negra.

Aqui, nós preparamos uma seleção com oito livros fundamentais para quem deseja se aprofundar na luta contra a discriminação racial no Brasil e no mundo. Confira a lista e aproveite as leituras!


Americanah, Chimamanda Ngozi Adichie

Ifemelu e Obinze vivem o seu primeiro amor, enquanto a Nigéria enfrenta tempos sombrios sob um governo militar. Um dia a jovem Ifemelu muda-se para os Estados Unidos para estudar. Lá ela se depara pela primeira vez com a questão racial e com as agruras da vida de imigrante, mulher e negra. Quinze anos depois, Ifemelu é uma blogueira de sucesso nos EUA, mas o sucesso não diminuiu o apego ao seu país natal e a ligação com Obinze.


E foi assim que eu e a Escuridão ficamos amigas, Emicida

Uma menininha vive com medo da escuridão. Quando chega a noite, ela se sente preocupada e ansiosa e se pergunta: “afinal, o que o escuro pode esconder?” O que a garota nem imagina é que, do outro lado, a escuridão também é uma menina, cujo maior medo é a claridade e todo tipo de coisa que se revela quando nasce o sol.


Mulheres, Raça e Classe, Angela Davis

Em Mulheres, Raça e Classe, Angela Davis trata da opressão em suas diferentes nuances e dimensões. A obra fala sobre a escravidão e de seus efeitos, que desumanizaram a mulher negra. Além disso, a autora aponta para a necessidade da não hierarquizar as opressões, ou seja, considerando as interseccionalidades de raça, classe e gênero na construção de um novo modelo de sociedade.


o feminismo é para todo mundo, bell hooks

O livro apresenta uma visão original sobre políticas feministas, direitos reprodutivos, beleza, luta de classes feminista, feminismo global, trabalho, raça e gênero e o fim da violência. Além disso, esclarece sobre temas como educação feminista para uma consciência crítica, masculinidade feminista, maternagem e paternagem feministas, casamento e companheirismo libertadores, política sexual feminista, lesbianidade e feminismo, amor feminista, espiritualidade feminista e o feminismo visionário.


Olhos D’Água, Conceição Evaristo

Lançado em 2014, “Olhos D’Água” reúne 15 contos que relatam a história de mulheres e homens negros que sofreram e sofrem os diferentes tipos de violência e depreciação na sociedade. Ao longo das, Conceição Evaristo fala sobre o cotidiano de pessoas que sofrem com a miséria e a exclusão social.


Pele Negra Máscaras Brancas, Frantz Fanon

Lançado pela primeira vez no Brasil em 1963, Pele Negra Máscaras Brancas constrói uma narrativa que parte da perspectivada descolonização e da Diáspora Africana para tratar da negação do racismo contra o negro na França. Em capítulos separados por diferentes temas, Frantz Fanon promove profundas reflexões sobre raça, baseadas em teorias da filosofia, das ciências e da literatura caribenha.


Pequeno manual antirracista, Djamila Ribeiro

Em Pequeno Manual Antirracista, a filósofa e ativista Djamila Ribeiro discute temas como o racismo, negritude, branquitude, violência racial, cultura, desejos e afetos. Nos onze capítulos deste pequeno manual, a autora revela possibilidades de reflexão para que as pessoas aprofundem conhecimentos sobre discriminações racistas estruturais, assumindo o seu papel na luta pela transformação do estado das coisas.


Um defeito de cor, Ana Maria Gonçalves

Um Defeito de Cor conta a história de uma africana idosa, cega e à beira da morte, que viaja da África para o Brasil em busca do filho perdido há décadas. Durante a travessia, ela narra detalhes sobre a sua vida, marcada por mortes, estupros, violência e escravidão.


Qual livro você vai conhecer?


Yasmin Lisboa

Yasmin é jornalista e estudante de Cinema. Cantora e colecionadora de discos e livros, é fascinada pela cultura popular brasileira.

Maze Runner: Conheça os livros da saga Conheça os livros de Jô Soares Se você gostou dessas séries, vai gostar desses livros! Clássicos do Horror para conhecer Os melhores romances para ler nos próximos meses