Estante Entrevista: Orgulho na Literatura

(5 Estrelas - 1 Votos)

Na terça-feira (15), vamos conversar com os escritores Juan Jullian e Vinicius Grossos em live no Instagram

Faremos mais uma live especial na série Estante Entrevista, nosso Instagram! Na terça-feira (15), às 19h, vamos conversar com os escritores Juan Jullian e Vinicius Grossos sobre ”Orgulho na Literatura🏳‍🌈”. Na conversa iremos falar sobre representatividade e protagonismo de personagens LGBTQIA+ na literatura.

Os autores de livros voltados para o público jovem estão entre os mais populares do Brasil, seus romances trazem personagens LGBTQIA+ como protagonistas. Juan Jullian é autor dos livros Querido Ex. O livro foi incialmente publicado de forma independente e teve mais de 20 mil exemplares vendidos. Seu segundo livro, Maldito Ex será lançado no mês de agosto.

Já Vinicius Grossos é autor de diversos romances, entre eles, os livros Feitos de Sol, Garoto quase atropelado e 1+1: A matemática do amor.

Conheça os livros dos autores:


Querido Ex, de Juan Jullian

O livro conta em primeira mão os relatos de um jovem cuja vida está sendo definida por um catastrófico acontecimento: seu ex-namorado virou, da noite para o dia, a maior celebridade do país. A única coisa pior e mais desastrosa do que levar um pé na bunda, é levar um pé na bunda e ver seu ex se tornar a maior subcelebridade do Brasil. Não só isso, mas assistir em tempo real enquanto ele se apaixona por outro cara em TV nacional. Poucas palavras conseguem expressar esse nível de decepção amorosa. Nem mesmo Taylor Swift seria capaz de entender. Mas é justamente a tentativa de colocar a dor em palavras, reunidas em cartas para o maldito ex, que faz com que nosso protagonista repense algumas coisas. Entre crises de luto e saudades, existem festas anuais do dia dos ex-namorados com todas as suas amigas que o seu ex detestava. Existe a vida que você deixou para trás enquanto amava alguém que agora é somente um estranho com milhões de seguidores.


Feitos de Sol, de Vinicius Grossos

Final da década de 90… Cícero é um nerd de quinze anos, fã de quadrinhos e que acredita que o mundo vai acabar na virada de 1999, por causa do bug do milênio ― quando os computadores de todo o planeta iriam se descontrolar por não terem sido programados para entender a mudança das datas. Hoje pode parecer loucura, mas muita gente acreditou nesse risco. E ele não estava sozinho. Na busca pela última edição da revista do seu herói favorito, ele conhece Vicente, um garoto de família religiosa com quem ele logo se identifica. Vicente também acredita no fim do mundo, mas por outro motivo: o Apocalipse. Com suas diferenças, crenças e afinidades, Cícero e Vicente vão juntos desbravar um mundo além do que conheciam e, no caminho, descobrir mais sobre si mesmos. Dois jovens com histórias de vida cheias de adversidades e reviravoltas, numa época em que tudo era ainda mais complicado… É quando aparece, sem avisar, o amor…


Garoto quase atropelado, de Vinicius Grossos

Um garoto sofreu com um acontecimento terrível. Para não enlouquecer, ele começa a escrever um diário que o inspira a recomeçar, a fazer algo novo a cada dia. O que não imaginou foi que agindo assim ele se abriria para conhecer pessoas muito diferentes: a cabelo de raposa, o James Dean não-tão-bonito e a menina de cabelo roxo, e que sua vida mudaria para sempre. Prepare-se para se sentir quase atropelado de uma forma intensa, seja pelas fortes emoções do primeiro amor, pelas alegrias de uma nova amizade ou pelas descobertas que só acontecem nos momentos-limite de nossas vidas. Estar vivo e viver são coisas absolutamente diferentes.


1+1: A matemática do amor, de Vinicius Grossos

Lucas e Bernardo são dois garotos, melhores amigos um do outro. De repente, recebem a notícia de que Bernardo irá se mudar com a família para outro país. E percebem que não querem perder a valiosa amizade. Lucas tenta transformar cada dia que resta com o amigo na melhor experiência de suas vidas: escreve uma lista de coisas para fazer e pretende cumprir uma por uma, em todos os detalhes. Então os meninos percebem que há algo mais forte entre eles. Um sentimento profundo, que não conseguem explicar e que torna todas aquelas experiências ainda mais intensas. Mas o que fazer com tudo isso quando se tem apenas 16 anos?

Comentários

Pedro Silva

Pedro Silva

Pedro é jornalista e pós-graduado em literatura, já trabalhou como crítico e redator de um portal de notícias. Apaixonado por livros e cultura pop.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *