Melhores documentários brasileiros para assistir no Youtube

(5 Estrelas - 1 Votos)

É fã do cinema nacional? Entre filmes clássicos e contemporâneos, nós preparamos uma lista com doze documentários disponíveis no YouTube

O cinema brasileiro, desde os primórdios, é marcado pela presença de produções documentais. Para quem não sabe, os primeiros registros cinematográficos do país foram realizados pelos irmãos italianos Paschoal e Affonso Segreto que, no dia 19 de junho de 1898, gravaram imagens documentais da Baía de Guanabara, um dos cartões postais da cidade do Rio de Janeiro.

De lá pra cá, diretores e diretoras no país presenteiam o público espectador com documentários memoráveis que acompanham a trajetória de personagens fascinantes do nosso país e mergulham em uma série de reflexões a respeito das dimensões históricas, políticas, sociais, culturais e até mesmo existenciais da sociedade brasileira.

Dos clássicos aos contemporâneos, nós selecionamos doze documentários nacionais imperdíveis para você assistir no YouTube. Anote as dicas e aproveite a sessão!


A Entrevista (1967), Helena Solberg

O documentário tem como base entrevistas feitas com jovens de classe média alta entre 19 e 27 anos sobre as suas aspirações em relação a temas como casamento, profissão e submissão ao marido. Mesmo as mulheres que se consideram “lúcidas” e “modernas” mostram um perfil mais tradicional da mulher idealizada, envolvida pelo romantismo e feminilidade.


Branco Sai, Preto Fica (2015), Adirley Queirós

Tiros acontecem em um baile de black music na periferia de Brasília e ferem dois homens, que ficam marcados para sempre. Um terceiro homem, então, vem diretamente do futuro para investigar o acontecido e provar que a culpa é da sociedade repressiva.


Cabra Marcado Pra Morrer (1984), Eduardo Coutinho

No início dos anos 1960, o líder camponês João Pedro Teixeira foi assassinado por ordem dos latifundiários do Nordeste. Eduardo Coutinho começou a fazer um filme em homenagem a sua trajetória, mas foi interrompido pela ditadura militar. Dezessete anos depois, o diretor retoma o projeto e procura a viúva Elizabeth Teixeira e seus dez filhos, que agora vivem espalhados em diferentes lugares do país.


Di (1997), Glauber Rocha

O documentário de Glauber Rocha constrói uma homenagem
ao pintor, desenhista e ilustrador brasileiro Di Cavalcanti (1897 – 1976), com registros que vão desde o enterro do pintor a narrações poéticas sobre a trajetória e as obras do artista, inspiradas nos escritos de Augusto dos Anjos e Vinícius de Moraes.


Dzi Croquettes (2010), Raphael Alvarez e Tatiana Issa

O documentário de Raphael Alvarez e Tatiana Issa apresenta a história do grupo de dança Dzi Croquettes. Em 1972, eles estreavam o seu primeiro show com homens usando roupas femininas e logo se tornaram um sucesso. Em sua trajetória, os Dzi Croquettes incorporaram o espírito da contracultura na luta pelo fim da ditadura militar brasileira.


Era O Hotel Cambridge (2017), Eliane Caffé

Refugiados recém-chegados ao Brasil dividem com um grupo de sem-tetos um velho edifício abandonado no centro de São Paulo. Além da tensão diária que a ameaça de despejo causa, os novos moradores do prédio terão de lidar com os seus dramas pessoais e aprender a conviver com pessoas que, apesar de diferentes, enfrentam juntas a vida nas ruas.


Estamira (2005), Marcos Prado

Estamira e um grupo de amigos vivem em um lixão no Rio de Janeiro. Enquanto convive com questões relativas à sua saúde mental, ela reflete sobre os problemas sociais vividos na cidade, pensando desde o destino que é dado ao lixo das grandes metrópoles às possibilidades de se viver em condições lamentáveis.


Ilha das Flores (1989), Jorge Furtado

Um tomate é plantado, colhido, transportado e vendido num supermercado, mas apodrece e acaba no lixo. O documentário de Jorge Furtado segue o alimento até o seu verdadeiro final e então fica clara a diferença que existe entre os tomates, os porcos e os seres humanos.


Kbela (2015), Yasmin Thayná

Kbela apresenta histórias de transição capilar, da resistência e luta de mulheres pelo direito de terem a sua beleza natural sem a intervenção da indústria e opressão estética da sociedade.


Nelson Cavaquinho (1969), Leon Hirszman

O documentário de Leon Hirszman aborda o cotidiano do sambista carioca Nelson Cavaquinho, mostrando a sua casa, sua família e a melancolia de sua música nos bares da Lapa, bairro do Rio de Janeiro.


Notícias de Uma Guerra Particular (1999), Kátia Lund e João Moreira Salles

Baseado em entrevistas com personagens envolvidos na rotina do tráfico, Notícias de Uma Guerra Particular intercala as falas de policiais, pessoas envolvidas com o crime e moradores do morro Dona Marta (RJ) e debate o modo como a sociedade carioca lida com a violência.


Que Bom Te Ver Viva (1989), Lúcia Murat

Ex-presas políticas da ditadura militar brasileira relatam as situações de torturas e prisões e refletem sobre como sobreviveram à esse período, onde delírios e fantasias eram recorrentes. O filme intercala cenas documentais com um monólogo ficcional, que mistura relatos e memórias dessas corajosas mulheres.


Feminino e Plural: Mulheres No Cinema Brasileiro, Karla Holanda

Feminino e Plural: Mulheres No Cinema Brasileiro discute a dimensão da participação feminina na construção do cinema nacional. A obra reúne uma série de textos que propõem a intervenção, o resgate e a reavaliação do papel das mulheres no cinema brasileiro e de sua representação nos filmes produzidos no país.


Nova História do Cinema Brasileiro, Luís Alberto Rocha Melo e Sheila Schvarzman

Organizada por Fernão Pessoa Ramos e Sheila Schvarzam, a coletânea Nova História do Cinema Brasileiro reúne textos escritos por pesquisadores e especialistas e que delineiam um panorama atualizado e detalhado do cinema brasileiro. Nesse volume, o primeiro da coleção, a história do cinema nacional é abordada desde a década de 1910 aos anos 1950.


Cinema Brasileiro Moderno, Ismail Xavier

Em Cinema Brasileiro Moderno, o crítico de cinema Ismail Xavier reúne três ensaios que condensam a sua visão sobre o percurso do cinema brasileiro entre os anos 1960 e os anos 1980, em uma reflexão que ressalta as relações entre a estética, a política e o imaginário nacional. No livro, Xavier também apresenta uma interpretação concisa sobre a obra do cineasta baiano Glauber Rocha.


Revisão Crítica do Cinema Brasileiro, Glauber Rocha

Revisão Crítica do Cinema Brasileiro é o primeiro volume da Coleção Glauberiana e reúne artigos escritos por Glauber Rocha entre os anos de 1958 e 1963. Os textos do diretor baiano discutem desde o pioneirismo de Humberto Mauro e Mario Peixoto ao surgimento do Cinema Novo brasileiro com a trilogia carioca de Nelson Pereira dos Santos, lançada no final da década de 1950.


Uma Situação Colonial, Paulo Emílio Sales Gomes

Uma Situação Colonial? reúne artigos de Paulo Emílio Sales Gomes sobre o cinema brasileiro publicados em diversos jornais e revistas, além de dois ensaios clássicos: “Uma situação colonial?”, apresentado em 1960, e “Cinema: trajetória no subdesenvolvimento”, publicado em 1973. Além disso, o livro traz um texto de Glauber Rocha e uma apresentação de Paulo Emílio feita pelo crítico e companheiro de geração Antonio Candido.


Qual filme você vai assistir?


Yasmin Lisboa
Comentários

Yasmin Lisboa

Yasmin é jornalista e estudante de Cinema. Cantora e colecionadora de discos e livros, é fascinada pela cultura popular brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *