“Éramos seis” é um dos livros mais vendidos de outubro na Estante Virtual

(0 Estrelas - 0 Votos)

Obra entrou no ranking após estreia de novela homônima na TV Globo. Confira a lista completa!

Um dos clássicos da Coleção Vaga-Lume, Éramos seis, de Maria José Dupré, estreou no nosso ranking de livros mais vendidos de outubro. A obra inspirou a novela homônima da TV Globo, que estreou no final de setembro e está no ar atualmente no horário das 18h. A narrativa retrata a história de uma família que enfrenta conflitos e a pobreza no local onde vivem.

O título só ficou atrás do outro clássico Quarto de despejo – Diário de uma favelada, de Carolina Maria de Jesus. Vale destacar também que o ranking inclui, pelo terceiro mês seguido, Escravidão, primeiro volume da nova trilogia de Laurentino Gomes.

Que tal ver a lista completa? Boa leitura!


Quarto de despejo – Diário de uma favelada, de Carolina Maria de Jesus

Com linguagem simples, este livro retrata o duro cotidiano de uma favelada. Na obra Quarto de despejo, uma mulher negra, pobre e semianalfabeta conta o que viveu, sem artifícios ou fantasias.  A leitura nos coloca em contato com cinco anos da vida da personagem, que representa a voz dos excluídos, marginalizados e estereotipados da nossa sociedade desigual.


Éramos seis, de Maria José Dupré

Segundo livro da escritora Maria José Dupré, Éramos seis conta a história de uma família que vive na pobreza e precisa lidar com os conflitos do dia a dia. É um dos principais livros da Coleção Vaga-Lume.


O poder do hábito, de Charles Duhigg

Durante dois anos, uma jovem transformou quase todos os aspectos de sua vida. Parou de fumar, correu uma maratona e foi promovida. Em um laboratório, neurologistas descobriram que os padrões dentro do cérebro dela – ou seja, seus hábitos – foram modificados de maneira fundamental para que todas essas mudanças ocorressem. Há duas décadas pesquisando ao lado de psicólogos, sociólogos e publicitários, cientistas do cérebro começaram finalmente a entender como os hábitos funcionam – e, mais importante, como podem ser transformados.


Vidas secas, de Graciliano Ramos

Vidas Secas é um dos principais romances de Graciliano Ramos. O que impulsiona os personagens é a seca, áspera e cruel, e paradoxalmente a ligação telúrica, afetiva, que expõe naqueles seres em retirada, à procura de meios de sobrevivência e um futuro.


O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry

O pequeno príncipe retornou ao ranking da Estante Virtual. O clássico conta a história de um piloto que encontra um príncipe após cair com seu avião no deserto do Saara. Eles fazem uma jornada filosófica e poética por meio de planetas que encerram a solidão humana.


A revolução dos bichos, de George Orwell

Este clássico foi escrito durante a Segunda Guerra Mundial e causou desconforto ao satirizar a ditadura stalinista em uma época em que os soviéticos eram aliados ao Ocidente na luta contra o eixo nazifascista. São claras as referências, como o despótico Napoleão que seria Stálin e os eventos políticos da União Soviética.

A Revolução dos Bichos

A ilha perdida, de Maria José Dupré

A escritora Maria José Dupré aparece pela segunda vez no ranking com o livro A ilha perdida. Eduardo e Henrique resolvem explorar uma misteriosa ilha e descobrir se as histórias que ouvem sobre o lugar são reais. Acabam se envolvendo em uma grande aventura em que um velho sábio ensina o respeito e o amor à natureza. Um clássico da literatura juvenil brasileira, agora com novo formato e ilustrações coloridas.


Como fazer amigos e influenciar pessoas, de Dale Carnegie

Como fazer amigos e influenciar pessoas está sempre presente no nosso ranking de livros mais vendidos. É um guia sobre relacionamentos, seja no âmbito profissional ou pessoal. Dale Carnegie busca fornecer, de maneira direta, técnicas e métodos para que qualquer pessoa alcance seus objetivos pessoais e profissionais.

Como fazer amigos e influenciar pessoas, de Dale Carnegie

Sapiens – Uma breve história da humanidade, de Yuval Noah Harari

O autor repassa a história da humanidade, ou do homo sapiens, desde o surgimento da espécie durante a pré-história até o presente, mas em vez de apenas “inventariar” os fatos históricos ele os relaciona com questões do presente e os questiona de maneira surpreendente. Além disso, para cada fato ou crença que temos como certa hoje em dia, o autor apresenta as diversas interpretações existentes a partir de diferentes pontos de vista, inclusive as muito atuais, e vai além, sugerindo interpretações muitas vezes desconcertantes.


Escravidão, de Laurentino Gomes

Resultado de seis anos de pesquisas e observações, que incluíram viagens por 12 países e três continentes, este primeiro volume cobre um período de 250 anos, do primeiro leilão de cativos africanos registrado em Portugal, na manhã de 8 de agosto de 1444, até a morte de Zumbi dos Palmares. Entre outros aspectos, a obra explica as raízes da escravidão humana na Antiguidade e na própria África antes da chegada dos portugueses, o início do tráfico de cativos para as Américas e suas razões, os números, os bastidores e os lucros do negócio negreiro.


O que você achou da lista?


Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Conheça os livros de Jô Soares Se você gostou dessas séries, vai gostar desses livros! Clássicos do Horror para conhecer Os melhores romances para ler nos próximos meses Os melhores livros espíritas