Estante Entrevista: Os livros indicados por Juan Jullian e Vinicius Grossos

(5 Estrelas - 1 Votos)

Escritores participaram de live, no nosso Instagram, sobre “Orgulho na Literatura”. Veja as sugestões!

Em mais uma live da série “Estante Entrevista“, os escritores Juan Jullian e Vinicius Grossos conversaram sobre ”Orgulho na Literatura”, no nosso Instagram, na última terça-feira (15). Durante o bate-papo, as autores falaram sobre a importância da representatividade LGBTQIA+, tanto nas histórias dos livros, enquanto personagens, quanto no mercado literário.

ASSISTA À LIVE NO IGTV

Os escritores são conhecidos por seus romances voltados para o público jovem adulto, e pela sua presença marcante nas discussões sobre protagonismo LGBTQIA+ na literatura. Na live, além de falarem um pouco sobre seu processo criativo, os autores discutiram o espaço de história protagonizadas por personagens gays no mercado, a publicação independente e a como a literatura pode ser um espaço seguro para todas as pessoas.

Entre os assuntos discutidos, os escritores deram dicas para jovens autores e afirmaram que ”contar sua própria história” é a parte mais importante do processo de escrita de uma pessoa.

Na live, eles também deram indicações incríveis de leitura. Confira algumas abaixo e conheça também os livros de Juan Jullian e Vinicius Grossos!


As Vantagens de Ser Invisível, de Stephen Chbosky

Cartas mais íntimas que um diário, estranhamente únicas, hilárias e devastadoras – são apenas através delas que Charlie compartilha todo o seu mundinho com o leitor. Enveredando pelo universo dos primeiros encontros, dramas familiares, novos amigos, sexo, drogas e daquela música perfeita que nos faz sentir infinito, o roteirista Stephen Chbosky lança luz sobre o amadurecimento no ambiente da escola, um local por vezes opressor e sinônimo de ameaça. Uma leitura que deixa visível os problemas e crises próprios da juventude.


Aristóteles e Dante Descobrem o Universo, de Benjamin Alire Sáenz

Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão. Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas – e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.


Eu sei por que o pássaro canta na gaiola, de Maya Angelou

Racismo. Abuso. Libertação. A vida de Marguerite Ann Johnson foi marcada por essas três palavras. A garota negra, criada no sul por sua avó paterna, carregou consigo um enorme fardo que foi aliviado apenas pela literatura e por tudo aquilo que ela pôde lhe trazer: conforto através das palavras. Dessa forma, Maya, como era carinhosamente chamada, escreve para exibir sua voz e libertar-se das grades que foram colocadas em sua vida. As lembranças dolorosas e as descobertas de Angelou estão contidas e eternizadas nas páginas desta obra densa e necessária, dando voz aos jovens que um dia foram, assim como ela, fadados a uma vida dura e cheia de preconceitos. Com uma escrita poética e poderosa, a obra toca, emociona e transforma profundamente o espírito e o pensamento de quem a lê. 


Não Sou uma Dessas, de Lena Dunham

Comparada a Salinger e a Woody Allen pela The New York Times Magazine como a voz de sua geração, Lena é conhecida pela polêmica que desperta e por sua forma única e excêntrica de se expressar e encarar a vida. Neste livro, a autora apresenta uma coleção de relatos pessoas hilários e sinceros que a revelam como um dos jovens talentos mais originais da atualidade. Lena Dunham fala sobre suas escolhas, seus namorados, a relação com os pais, dietas malucas, sexo e a luta para conseguir ser respeitada na carreira. Primeiro lugar nas listas de mais vendidos, a obra conta as experiências que a conduziram à vida adulta.Lena Dunham é criadora, produtora e protagonista da série Girls, exibida pela HBO. Recebeu oito indicações para o Emmy e ganhou dois Globos de Ouro, incluindo na categoria Melhor Atriz, por seu trabalho na série.


Americanah, de Chimamanda Ngozi Adichie

Lagos, anos 1990. Enquanto Ifemelu e Obinze vivem o idílio do primeiro amor, a Nigéria enfrenta tempos sombrios sob um governo militar. Em busca de alternativas às universidades nacionais, paralisadas por sucessivas greves, a jovem Ifemelu muda-se para os Estados Unidos. Ao mesmo tempo que se destaca no meio acadêmico, ela se depara pela primeira vez com a questão racial e com as agruras da vida de imigrante, mulher e negra. Quinze anos mais tarde, Ifemelu é uma blogueira aclamada nos Estados Unidos, mas o tempo e o sucesso não atenuaram o apego à sua terra natal, tampouco anularam sua ligação com Obinze. Quando ela volta para a Nigéria, terá de encontrar seu lugar num país muito diferente do que deixou e na vida de seu companheiro de adolescência. Principal autora nigeriana de sua geração e uma das mais destacadas da cena literária internacional, Chimamanda Ngozi Adichie parte de uma história de amor para debater questões prementes e universais como imigração, preconceito racial e desigualdade de gênero. Bem-humorado, sagaz e implacável, Americanah é, além de seu romance mais arrebatador, um épico contemporâneo.


Querido Ex, de Juan Jullian

O livro conta em primeira mão os relatos de um jovem cuja vida está sendo definida por um catastrófico acontecimento: seu ex-namorado virou, da noite para o dia, a maior celebridade do país. A única coisa pior e mais desastrosa do que levar um pé na bunda, é levar um pé na bunda e ver seu ex se tornar a maior subcelebridade do Brasil. Não só isso, mas assistir em tempo real enquanto ele se apaixona por outro cara em TV nacional. Poucas palavras conseguem expressar esse nível de decepção amorosa. Nem mesmo Taylor Swift seria capaz de entender. Mas é justamente a tentativa de colocar a dor em palavras, reunidas em cartas para o maldito ex, que faz com que nosso protagonista repense algumas coisas. Entre crises de luto e saudades, existem festas anuais do dia dos ex-namorados com todas as suas amigas que o seu ex detestava. Existe a vida que você deixou para trás enquanto amava alguém que agora é somente um estranho com milhões de seguidores.


Feitos de Sol, de Vinicius Grossos

Final da década de 90… Cícero é um nerd de quinze anos, fã de quadrinhos e que acredita que o mundo vai acabar na virada de 1999, por causa do bug do milênio ― quando os computadores de todo o planeta iriam se descontrolar por não terem sido programados para entender a mudança das datas. Hoje pode parecer loucura, mas muita gente acreditou nesse risco. E ele não estava sozinho. Na busca pela última edição da revista do seu herói favorito, ele conhece Vicente, um garoto de família religiosa com quem ele logo se identifica. Vicente também acredita no fim do mundo, mas por outro motivo: o Apocalipse. Com suas diferenças, crenças e afinidades, Cícero e Vicente vão juntos desbravar um mundo além do que conheciam e, no caminho, descobrir mais sobre si mesmos. Dois jovens com histórias de vida cheias de adversidades e reviravoltas, numa época em que tudo era ainda mais complicado… É quando aparece, sem avisar, o amor…

 


Comentários

Pedro Silva

Pedro Silva

Pedro é jornalista e pós-graduado em literatura, já trabalhou como crítico e redator de um portal de notícias. Apaixonado por livros e cultura pop.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *