Os melhores livros de guerra

(5 Estrelas - 1 Votos)

Que tal conhecer mais a respeito dos conflitos bélicos que aconteceram na história? Confira a lista com dez obras essenciais sobre guerras.

Você já leu um livro de guerra? As obras literárias que narram conflitos bélicos são fundamentais para quem deseja conhecer em detalhes esses acontecimentos, além de se aprofundar na história do mundo e, consequentemente, em sua própria história.

De livros-reportagem a romances clássicos, nós preparamos uma lista com dez dos melhores livros de guerra de todos os tempos. Confira a seleção e aproveite a leitura!


Adeus às Armas, Ernest Hemingway

Eleito o melhor romance norte-americano de todos os tempos sobre amor nos tempos de guerra, Adeus às armas captura a dor de amantes que lutam contra a dura realidade de um conflito bélico. A história nos apresenta um motorista de ambulância ferido no front italiano, uma enfermeira escocesa por quem ele se apaixona e a aventura dos dois, em busca de algum lugar que abrigue o seu amor, diante do mundo enlouquecido pela guerra.


A Marcha da Insensatez – De Tróia ao Vietnã, Barbara W. Tuchman

Em A Marcha da Insensatez – De Tróia ao Vietnã, a historiadora Barbara W. Tuchman fala sobre a insistência de determinados governos em adotarem políticas contrárias aos seus próprios interesses. No livro, Barbara discorre a respeito de conflitos históricos como a Guerra de Troia e a Guerra do Vietnã, em que ações equivocadas tiveram consequências desastrosas para milhares de pessoas.


As Últimas Testemunhas: Crianças na Segunda Guerra Mundial, Svetlana Aleksiévitch

Na obraAs Últimas Testemunhas: Crianças na Segunda Guerra Mundial, a Nobel de literatura Svetlana Aleksiévitch compartilha relatos verídicos de sobreviventes da Segunda Guerra que eram crianças quando o conflito aconteceu e testemunharam os horrores de se viver a infância em um tempo de terror constante, cercado de morte, fome, desamparo, frio e todo tipo de sofrimento.


Crimeia, Orlando Figes

Em Crimeia, o historiador inglês Orlando Figes reconstrói a Guerra da Crimeia, conflito por território e religião que dominou a metade do século XIX,. No livro, o autor oferece a verdadeira experiência vivida na guerra, falando desde o soldado britânico comum em sua trincheira cheia de neve, até a figura do sombrio czar Nicolau em sua busca pela salvação religiosa.


Guerra e Paz, Leon Tolstói

Guerra e Paz acompanha os caminhos de cinco famílias da aristocracia russa durante o período que vai de 1805 a 1820. Em meio a marcha das tropas napoleônicas e seu impacto brutal sobre a vida de tantas pessoas, estão os irmãos Nikolai, Natacha Rostóv, o príncipe Andrei Bolkónski e Pierre Bezúkhov, um dos personagens de maior complexidade na literatura do século XIX.


Inferno – O Mundo Em Guerra 1939-1945, Max Hastings

No livro Inferno – O Mundo Em Guerra 1939-1945, o jornalista inglês constrói um panorama da Segunda Guerra Mundial em todos os fronts. A partir de cartas, diários, livros de memórias e depoimentos, a obra coloca o testemunho de pessoas comuns em primeiro plano e revela aos leitores do século XXI detalhes sobre como foi viver, lutar e morrer em um mundo em guerra.


Maus – A História de um Sobrevivente, Art Spiegelman

Maus – A História de um Sobrevivente conta a história de Vladek Spiegelman, judeu polonês e pai de Art Spiegelman, que sobreviveu ao campo de concentração de Auschwitz. Nos quadrinhos, os judeus são retratados como ratos e os nazistas ganham feições de gatos, enquanto poloneses não-judeus são porcos e americanos, cachorros. A HQ mostra de maneira incisiva e perturbadora as brutalidades do Holocausto.


Nada de Novo no Front, Erich Maria Remarque

Publicado em 1929, Nada de Novo no Front reúne as experiências de Erich Maria Remarque (1898-1970), um jovem que aos 18 anos conheceu as trincheiras alemãs da Primeira Guerra Mundial. A experiência fez com Erich saísse do conflito profundamente perplexo com os horrores da guerra. Relato pacifista em um mundo que ainda via a guerra como uma alternativa política, o livro determinou o perfil antibelicista que habita a literatura ocidental até hoje.


O Diário de Anne Frank, Anne Frank

Entre 1942 e 1944, a jovem alemã Anne Frank descreveu em seu diário toda a tensão que sua família sofreu durante a Segunda Guerra Mundial. A obra ressalta os sentimentos, aflições e pequenas alegrias na vida incomum de uma menina que viveu em um campo de concentração nazista e sofreu na pele com as atrocidades e horrores cometidos contra os judeus.


1942: O Brasil e sua Guerra Quase Desconhecida, João Barone

Em 1942 – O Brasil e sua guerra quase desconhecida, João Barone, consagrado baterista da banda “Os Paralamas do Sucesso”, apresenta textos, fotos e informações que iluminam o passado da Força Expedicionária Brasileira e fazem de sua obra um documento indispensável para entender a participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial.


Você acrescentaria algum livro à lista?


Yasmin Lisboa
Comentários

Yasmin Lisboa

Yasmin é jornalista e estudante de Cinema. Cantora e colecionadora de discos e livros, é fascinada pela cultura popular brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *