Os livros mais vendidos de dezembro

(0 Estrelas - 0 Votos)

Os Miseráveis, Dom Casmurro e Dom Quixote são alguns dos clássicos que estão no ranking dos livros mais vendidos da Estante Virtual em dezembro


A lista de livros mais vendidos de dezembro veio recheada de clássicos. No primeiro lugar temos Quarto de Despejo – Diário de uma favelada, de Carolina Maria de Jesus. E logo depois o queridinho do mês passado, Sapiens, de Yuval Noah Harari.

Mas a lista não para por ai, os clássicos tomaram conta das outras posições e temos Dom Casmurro, Dom Quixote, Os miseráveis e O Pequeno Príncipe.

Confira a lista completa e boa leitura!


Quarto de despejo – Diário de uma favelada, de Carolina Maria de Jesus

Com linguagem simples, este livro retrata o duro cotidiano de uma favelada. Na obra Quarto de despejo, uma mulher negra, pobre e semianalfabeta conta o que viveu, sem artifícios ou fantasias.  A leitura nos coloca em contato com cinco anos da vida da personagem, que representa a voz dos excluídos, marginalizados e estereotipados da nossa sociedade desigual.


Sapiens – Uma breve história da humanidade, de Yuval Noah HarariS

Neste livro, o autor repassa a história da humanidade, ou do homo sapiens, desde o surgimento da espécie durante a pré-história até o presente, mas em vez de apenas “inventariar” os fatos históricos ele os relaciona com questões do presente e os questiona de maneira surpreendente. Além disso, para cada fato ou crença que temos como certa hoje em dia, o autor apresenta as diversas interpretações existentes a partir de diferentes pontos de vista, inclusive as muito atuais, e vai além, sugerindo interpretações muitas vezes desconcertantes.


O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry

O pequeno príncipe conta a história de um piloto que encontra um príncipe após cair com seu avião no deserto do Saara. Eles fazem uma jornada filosófica e poética por meio de planetas que encerram a solidão humana.


Dom Quixote, Miguel de Cervantes

A história mostra um ingênuo senhor rural cujo passatempo favorito era a leitura de livros de cavalaria. Na sua obsessão, acreditava literalmente nas aventuras escritas e decide tornar-se um cavaleiro andante. Suas viagens sucedem-se sob a alucinação de que estava vivendo na era da cavalaria; pessoas que encontrava nas estradas pareciam-lhe como cavaleiros em armas, damas em apuros, gigantes e monstros; até moinhos de vento na sua imaginação eram seres vivos. 


A revolução dos bichos, de George Orwell

Este clássico foi escrito durante a Segunda Guerra Mundial e causou desconforto ao satirizar a ditadura stalinista em uma época em que os soviéticos eram aliados ao Ocidente na luta contra o eixo nazifascista. São claras as referências, como o despótico Napoleão que seria Stálin e os eventos políticos da União Soviética.


Os Miseráveis, de Victor Hugo

Esta obra narra a emocionante história de Jean Valjean — o homem que, por ter roubado um pão, é condenado a dezenove anos de prisão. Um livro inquietantemente religioso e político. Um romance social marcado por uma vasta análise de costumes da França do século XIX.


A Droga da Obediência, de Pedro Bandeira

O livro que iniciou a série com os Karas Uma turma de adolescentes enfrenta o mais diabólico dos crimes! Num clima de muito mistério e suspense, cinco estudantes – os Karas – enfrentam uma macabra trama internacional: o sinistro Doutor Q.I. pretende subjugar a humanidade aos seus desígnios, aplicando na juventude uma perigosa droga! E essa droga já está sendo experimentada em alunos dos melhores colégios de São Paulo. Este é um trabalho para os Karas: o avesso dos coroas, o contrário dos caretas!


Dom Casmurro, de Machado de Assis

Machado de Assis (1839-1908), escrevendo Dom Casmurro, produziu um dos maiores livros da literatura universal. Mas criando Capitu, a espantosa menina de “olhos oblíquos e dissimulados”, de “olhos de ressaca”, Machado nos legou um incrível mistério, um mistério até hoje indecifrado. Há quase cem anos os estudiosos e especialistas o esmiuçam, o analisam sob todos os aspectos. Em vão. Embora o autor se tenha dado ao trabalho de distribuir pelo caminho todas as pistas para quem quisesse decifrar o enigma, ninguém ainda o desvendou.


A Ilha Perdida, de Maria José Dupré

Eduardo e Henrique resolvem explorar uma misteriosa ilha e descobrir se as histórias que ouvem sobre o lugar são reais. Acabam se envolvendo em uma grande aventura em que um velho sábio ensina o respeito e o amor à natureza. Um clássico da literatura juvenil brasileira, agora com novo formato e ilustrações coloridas. Com Suplemento de Atividades em cores.


Inteligência Emocional, de Daniel GolemanD

Inteligência é emoção. QI não é destino. O fascinante e convincente livro Inteligência Emocional, de Daniel Goleman revela que a nossa visão sobre este assunto ainda é muito estreita. Ao contrário do saber científico que dominou o mundo ocidental no últimos séculos, Daniel Goleman revoluciona conceitos mostrando que o QI de uma pessoa não é garantia de sucesso e felicidade. No Brasil, o livro de Goleman tornou-seu um verdadeiro fenônemo editorial. Utilizando inovadoras pesquisas cerebrais e comportamentais, Goleman, PhD pela Universidade de Harvard, mostra porque pessoas de QI alto fracassam e outras, cujo quociente é mais modesto, apresentam uma trajetória de vida de sucesso.


E ai? O que achou da lista ?


Conheça os livros de Jô Soares Se você gostou dessas séries, vai gostar desses livros! Clássicos do Horror para conhecer Os melhores romances para ler nos próximos meses Os melhores livros espíritas