10 livros mais vendidos do The New York Times

(5 Estrelas - 2 Votos)

Com obras de ficção e não ficção, a lista do jornal norte-americano é considerada um dos principais termômetros do mercado literário

Todos os anos, o jornal norte-americano The New York Times divulga uma seleção de livros mais vendidos. A lista, que reúne obras para todos os gostos, desde romances até os títulos de não ficção, é um dos principais termômetros do mercado literário mundial.

Por isso, que tal conhecer dez livros do ranking que já chegaram ao Brasil? Entre as obras escolhidas estão Minha história, da ex-primeira-dama dos Estados Unidos Michelle Obama, Lá não existe lá, de Tommy Orange, e Canção de ninar, de Leila Slimani. Veja a lista completa e escolha sua próxima leitura!


Minha história, de Michelle Obama

Com uma vida repleta de realizações significativas, Michelle Obama consolidou-se como uma das mulheres mais icônicas e cativantes de nosso tempo. Como primeira-dama dos Estados Unidos, ajudou a criar a mais acolhedora e inclusiva Casa Branca da história. Ao mesmo tempo, posicionou-se como uma poderosa porta-voz das mulheres e meninas no país e ao redor do mundo.


Pequenos incêndios por toda parte, de Celeste Ng

Em Shaker Heights tudo é planejado: da localização das escolas à cor usada na pintura das casas. E ninguém se identifica mais com esse espírito organizado do que Elena Richardson. Mia Warren, uma artista solteira e enigmática, chega nessa bolha idílica com a filha adolescente e aluga uma casa que pertence aos Richardson. Em pouco tempo, as duas se tornam mais do que meras inquilinas: todos os quatro filhos da família Richardson se encantam com as novas moradoras de Shaker. Porém, Mia carrega um passado misterioso e um desprezo pelo status quo que ameaça desestruturar uma comunidade tão cuidadosamente ordenada.


Canção de ninar, de Leila Slimani

Apesar da relutância do marido, Myriam, mãe de duas crianças pequenas, decide voltar a trabalhar em um escritório de advocacia. O casal inicia uma seleção rigorosa em busca da babá perfeita e fica encantado ao encontrar Louise: discreta, educada e dedicada, ela se dá bem com as crianças, mantém a casa sempre limpa e não reclama quando precisa ficar até tarde. Aos poucos, no entanto, a relação de dependência mútua entre a família e Louise dá origem a pequenas frustrações – até o dia em que ocorre uma tragédia.


Lá não existe lá, de Tommy Orange

Lá não existe lá apresenta ao leitor uma narrativa inovadora sobre identidade, tradição e tragédia pelos olhos de 12 personagens. Eles são os “índios urbanos” da Califórnia, cujas histórias vão convergir no Grande Powwow de Oakland, tradicional evento da cultura indígena que promove a integração por meio da música. O livro é um retrato arrebatador de uma América pouco retratada.


O ódio que você semeia, de Angie Thomas

O ódio que você semeia retrata uma história juvenil repleta de choques de realidade. É um livro contra o racismo em tempos tão cruéis e extremos. A obra conta a história de Starr, que aprendeu com os pais, ainda muito nova, como uma pessoa negra deve se comportar na frente de um policial. Quando ela e seu amigo, Khalil, são parados por uma viatura, tudo o que Starr espera é que Khalil também conheça essas regras. Um movimento errado, uma suposição e os tiros disparam. 


F*deu geral: Um livro sobre esperança?, de Mark Manson

Em F*deu geral: Um livro sobre esperança?, Mark Manson discute a nossa desesperança, mesmo com maior acesso à tecnologia e comunicação. O escritor evidencia as calamidades do mundo, por meio de análises políticas e religiosas. O autor explora ainda a relação do ser humano com o dinheiro, o entretenimento e a internet, além de colocar em cheque nossas definições sobre felicidade, liberdade e esperança.


A poeta X, de Elizabeth Acevedo

Best-seller do New York Times sobre uma adolescente que conta sua história através de uma poesia intensa, crua e poderosa. Xiomara Batista se sente sem voz e incapaz de se esconder no Harlem. Desde que seu corpo ganhou curvas, ela aprendeu a deixar os punhos e toda sua raiva falarem. Em contraste com as regras da mãe religiosa, Xio tenta expressar suas próprias crenças através da poesia: a garota derrama toda frustração e paixão nas páginas de um caderno, recitando as palavras para si mesma como orações.


Arrume sua cama, de William H. McRaven

Quando foi convidado para proferir o discurso da aula inaugural dos alunos de graduação da Universidade do Texas, o almirante William McRaven pensou em compartilhar suas lições sobre liderança. Afinal, em 37 anos de carreira na Marinha norte-americana, ele exerceu o comando em vários níveis – inclusive tendo sido o responsável pela missão que capturou Osama Bin Laden. O que ele não imaginava é que o discurso fosse parar nas redes sociais, viralizar e ter mais de 10 milhões de visualizações.


Um cavalheiro em Moscou, de Amor Towles

Nobre acusado de escrever uma poesia contra os ideais da Revolução Russa, Aleksandr Ilitch Rostov, “O Conde”, é condenado à prisão domiciliar no sótão do hotel Metropol, lugar associado ao luxo e sofisticação da antiga aristocracia de Moscou. Mesmo após as transformações políticas que alteraram para sempre a Rússia no início do século XX, o hotel conseguiu se manter como o destino predileto de estrelas de cinema, aristocratas, militares, diplomatas, bons-vivants e jornalistas, além de ser um importante palco de disputas que marcariam a história mundial. Mudanças, contudo, não paravam de entrar pelo saguão do hotel, criando um desequilíbrio cada vez maior entre os velhos costumes e o mundo exterior.


A menina da montanha, de Tara Westover

Em A menina da montanha, Tara Westover narra sua trajetória. Ela tinha 17 anos quando pisou pela primeira vez em uma escola. Quando um de seus irmãos conseguiu chegar à universidade e trouxe notícias da vida além das montanhas, Tara decidiu tentar um novo estilo de vida. Ela aprendeu, de forma autodidata, matemática, gramática e ciência, e conseguiu chegar à universidade, onde estudou psicologia, política, filosofia e história. 


Qual livro você já leu da lista? Comente e participe!


Gabriela Mattos

Redatora em Estante Virtual
Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.
Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *