Não é só no Dia do Índio que precisamos falar sobre a questão indígena

(3.8 Estrelas - 4 Votos)

Enquanto um milhão de brasileiros indígenas traçam estratégias de sobrevivência todos os dias, pouco sabemos sobre seus valores culturais e histórias.  Vamos avançar?

Entre a luta por territórios e a fuga de estereótipos, os povos indígenas enfrentam diariamente o desafios de resistência, preservação e reinvenção da própria cultura. Hoje, no Brasil, as estatísticas registram que cerca de 1 milhão de indígenas entre mais de 250 etnias diferentes ocupam 13,8% da nossa extensão territorial. O Dia do Índio, comemorado em 19 de abril, não é apenas mais uma data no calendário. Temos um longo caminho pelo direito à educação, saúde e representatividade da sociedade.

Questões indígenas em pauta

Há muito a aprender sobre as inúmeras histórias e complexidades que evolvem as questões indígenas. Na tentativa de esclarecer algumas delas, fizemos uma seleção de 10 livros (teóricos e interativos) com experiências etnográficas entre os povos, aldeias, suas tradições, manifestações culturais, lutas, que discutem genocídio, comercialização dos seus produtos, além do papel político da Fundação Nacional do Índio (Funai) na assistência da população. Conheça melhor as obras dedicadas ao conhecimento e à valorização da cultura indígena!


A queda do Céu: palavras de um xamã yanomami, de Davi Kopenawa

O porta-voz dos Yanomami faz um manifesto autobiográfico contra a destruição da floresta Amazônica. O testemunho de Davi Kopenawa é uma verdadeira denúncia sobre as ameaças dos homens brancos, desde os anos de 1960. A obra é resultado das palavras do autor para o etnólogo Bruce Albert e discorre sobre a defesa de um povo e a noção de progresso frente à noção de progresso do mundo ocidental.

A queda do Céu: palavras de um xamã yanomami


O caminhar sob a luz – território mbya à beira do oceano, de Maria Inês Ladeira

O complexo territorial Guarani Mbya fica localizado no litoral do Brasil e é muito importante do ponto de vista religioso e social. A partir dessa premissa, a autora mostra especificidades sobre o povo indígena, como classificação e localização das aldeias. Uma rica oportunidade de mergulhar em realidades desconhecidas, mas cheias de histórias.

O caminhar sob a luz, de Maria Inês Ladeira


Leia também: Cinco livros sobre a cultura indígena


Amazônia ocupada, de João Farkas

As multifacetas da tão incrível Amazônia é ilustrada pelo olhar de João Farkas, que foi ao interior da região entre as décadas de 1980 e 1990. Entre seus conflitos e influências, conheça as peculiaridades amazônicas em mais de 200 fotografias que dizem mais que um milhão de palavras. São garimpeiros, indígenas, missionários, grileiros e migrantes – um universo de personalidades, sorrisos e histórias.


Kalapalo, de Marina Herrero e Ulysses Fernandes

O livro interativo reúne 25 jogos e brincadeiras da aldeia Kalapalo, em Mato Grosso. Lá, habitam aproximadamente 400 indígenas. O texto vem acompanhado de recursos visuais, objetos, armas e máscaras, somados a desenhos e imagens dos índios durante os rituais tradicionais da etnia. O volume vem acompanhado de um documentário de bônus.

Kalapalo, de Marina Herrero e Ulysses Fernandes

 


O povo brasileiro, de Darcy Ribeiro

Darcy se propõe a tornar compreensível a questão histórica-antropológica da formação do povo do Brasil. O livro tenta responder à seguinte pergunta: “Por que o Brasil não deu certo”? A civilização mestiça, lavada em sangue negro e sangue índio, é fruto da configuração ao longo dos séculos.

O povo brasileiro, de Darcy Ribeiro


A luta indígena no coração do Brasil, de Seth Garfield

O povo indígena brasileiro denominado como ‘xavantes’. Trata-se de um grupo étnico nativo no Brasil, que faz parte da família linguística jê. O livro foca na luta desses índios, assim como as disputas ideológicas travadas no período do Estado Novo e Constituição de 1988. O autor é norte-americano que se dedicou à pesquisa da resistência dessa população em permanecer ‘xavante’.

A luta indígena no coração do Brasil, de Seth Garfield


Histórias de índio, de Daniel Munduruku

Você conhece a cultura munduruku? Por meio de um conto, Daniel inicia a obra com a história do “Menino que não sabia sonhar”. A cultura indígena nos é apresentada sem estereótipos e parte do ponto de vista dos próprios integrantes. O autor faz um panorama da situação dos índios no Brasil e, com humor, faz comentários sobre o “mundo dos brancos” na perspectiva de quem é índio.

Histórias de índio, de Daniel Munduruku


Políticas culturais e povos indígenas, de Manuela Carneiro e Pedro Niemeyer

Este livro ganhou o Prêmio Jabuti, em 2015, e é dividido em 19 ensaios que debatem as políticas culturais – feitas ‘pelos’ índios e as que foram elaboradas ‘para’ eles. Partindo da diversidade de povos existente no Brasil, o livro atenta para as questões sociais que têm cruzado as gerações na luta por representatividade, dignidade e território.


A história dos caxinauás por eles mesmos, de Eliane Camargo e Diego Villar

Você já ouviu falar dos caxinauás? É um grupo indígena que ocupa boa parte do território na bacia dos rios Juruá e Purus – entre o Brasil e o Peru. A obra se propõe a apresentar 25 depoimentos que traduzem a vida desse grupo étnico, o modo de vida dos antepassados, a dispersão pelos outros lugares e experiência em relação ao contato com os não-indígenas. Ilustrada com um rico material icnográfico, a obra é transcrita nas línguas caxinauá, portuguesa e espanhola.

https://www.estantevirtual.com.br/livros/camargo-eliane-villar-diego/historia-dos-caxinauas-por-eles-mesmos-a/1526004232?q=eliane+camargo


Tradição e resistência: encontro de povos indígenas, de Cristina Floria

Livro + DVD. O projeto reuniu 17 etnias brasileiras – entre lideranças, famílias, antropólogos, profissionais e o povo com intensa expressividade nacional – para discutir a situação do índio no Brasil, assim como as questões culturais de patrimônio e territorialidade. A obra é superinterativa e é composta por mapas,  fotografias e o recurso audiovisual com depoimentos, entrevistas e diversas informações artísticas. Se você deseja mergulhar nesse universo mais de perto, este livro é perfeito para a sua iniciação à temática.

Tradição e resistência: encontro de povos indígenas, de Cristina Floria


Quais outras obras relacionadas você já leu?


Quer receber dicas semanais de leitura?

Assine e receba dicas fresquinhas em seu e-mail toda semana.

Andréia Coutinho Louback

Andréia Coutinho Louback

Jornalista em Estante Virtual
Apaixonada por histórias e viciada em comprar livros. Mestre em relações étnico-raciais, ela atua rumo à superação do racismo na sociedade, em especial, na área da comunicação.
Andréia Coutinho Louback
Comentários

Andréia Coutinho Louback

Apaixonada por histórias e viciada em comprar livros. Mestre em relações étnico-raciais, ela atua rumo à superação do racismo na sociedade, em especial, na área da comunicação.

2 comentários em “Não é só no Dia do Índio que precisamos falar sobre a questão indígena

  • 20.04.2018 a 2:38 pm
    Permalink

    Oi, Guilherme. Fico muito feliz com sua mensagem :) Falar da população indígena é muito necessário e precisamos sempre trazer à tona essas tantas histórias de luta e resistência desse povo. Que bom que você gostou das sugestões! Aguarde por mais matérias com a temática em breve e continue com a gente por aqui!

  • 20.04.2018 a 12:25 pm
    Permalink

    Obrigado por esse post, realmente é maravilhoso, eu particularmente, amo esse gênero literário, que busca a raiz da nossa sociedade, da nossa cultura, ainda mais quando podemos entender e conhecer Índios nativos da nossa região, Brasil e demais proximidades, acabamos nos aproximando mais dessa cultura tão espetacular, que com certeza têm muito a ensinar a nossa modernidade e para termos um prospero futuro (Não só o do “homem branco”, mas, principalmente proporcionar coisas boas a vida dos Índios também). Quando puderes, se houver mais sugestões de livros nessa linha, eu vou votar 5 estrelas novamente. Muito agradecido!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares