Confira os 10 livros mais vendidos de 2019 na Estante Virtual

(5 Estrelas - 1 Votos)

O ranking reúne livros de Carolina Maria de Jesus e Pedro Bandeira. Veja a lista completa!

2019 foi um ano e tanto na Estante Virtual. Por aqui, tivemos diversos lançamentos de destaque, como Uma mulher no Escuro de Raphael Montes e Memórias da plantação: Episódios de racismo cotidiano de Grada Kilomba. E temos certeza que no ano que vem teremos muito mais.

Apesar dos muitos lançamentos, o nosso ranking dos livros mais vendidos ainda foi marcado por clássicos inesquecíveis. Entre os títulos de destaque do nosso ranking estão Dom Casmurro, de Machado de Assis, e O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry. Confira a lista completa e já programe suas leituras para 2020.


Quarto de Despejo – Diário de uma Favelada, de Carolina Maria de Jesus

O duro cotidiano dos favelados ganha uma dimensão universal no diário de uma catadora de lixo. Com linguagem simples, ela conta o que viveu, sem artifícios ou fantasias.


O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry

Apesar da presença explícita de dois personagens e do registro de um diálogo entre o aviador e uma criança, diversos aspectos autobiográficos estão presentes nesta narrativa, publicada pela primeira vez em 1945. Através de imagens simbólicas, as passagens de ordem temporal, na vida do autor, estão ali presentes: casamento/separação, profissões, sonhos, decepções. Os dois personagens tornam-se representações do próprio Saint-Exupéry, em um monólogo interior entre o “eu” e o “outro”.


A Revolução dos Bichos, de George Orwell

Escrita em plena Segunda Guerra Mundial e publicada em 1945 depois de ter sido rejeitada por várias editoras, essa pequena narrativa causou desconforto ao satirizar ferozmente a ditadura stalinista numa época em que os soviéticos ainda eram aliados do Ocidente na luta contra o eixo nazifascista. De fato, são claras as referências: o despótico Napoleão seria Stálin, o banido Bola-de-Neve seria Trotsky, e os eventos políticos – expurgos, instituição de um estado policial, deturpação tendenciosa da História – mimetizam os que estavam em curso na União Soviética. 


Dom Casmurro, de Machado de Assis

Machado de Assis (1839-1908), escrevendo Dom Casmurro, produziu um dos maiores livros da literatura universal. Mas criando Capitu, a espantosa menina de “olhos oblíquos e dissimulados”, de “olhos de ressaca”, Machado nos legou um incrível mistério, um mistério até hoje indecifrado. Há quase cem anos os estudiosos e especialistas o esmiuçam, o analisam sob todos os aspectos. Em vão. Embora o autor se tenha dado ao trabalho de distribuir pelo caminho todas as pistas para quem quisesse decifrar o enigma, ninguém ainda o desvendou.


Vidas Secas, de Graciliano Ramos

‘Vidas Secas’, lançado originalmente em 1938, é o romance em que Graciliano alcança o máximo da expressão que vinha buscando em sua prosa. O que impulsiona os personagens é a seca, áspera e cruel, e paradoxalmente a ligação telúrica, afetiva, que expõe naqueles seres em retirada, à procura de meios de sobrevivência e um futuro.


A Droga da Obediência, de Pedro Bandeira

O livro que iniciou a série com os Karas Uma turma de adolescentes enfrenta o mais diabólico dos crimes! Num clima de muito mistério e suspense, cinco estudantes – os Karas – enfrentam uma macabra trama internacional: o sinistro Doutor Q.I. pretende subjugar a humanidade aos seus desígnios, aplicando na juventude uma perigosa droga! E essa droga já está sendo experimentada em alunos dos melhores colégios de São Paulo. Este é um trabalho para os Karas: o avesso dos coroas, o contrário dos caretas!


A Ilha Perdida, de Maria José Dupré

Eduardo e Henrique resolvem explorar uma misteriosa ilha e descobrir se as histórias que ouvem sobre o lugar são reais. Acabam se envolvendo em uma grande aventura em que um velho sábio ensina o respeito e o amor à natureza. Um clássico da literatura juvenil brasileira, agora com novo formato e ilustrações coloridas. Com Suplemento de Atividades em cores.


Era uma vez Dom Quixote, de Miguel de Cervantes

A história mostra um ingênuo senhor rural cujo passatempo favorito era a leitura de livros de cavalaria. Na sua obsessão, acreditava literalmente nas aventuras escritas e decide tornar-se um cavaleiro andante. Suas viagens sucedem-se sob a alucinação de que estava vivendo na era da cavalaria; pessoas que encontrava nas estradas pareciam-lhe como cavaleiros em armas, damas em apuros, gigantes e monstros; até moinhos de vento na sua imaginação eram seres vivos. Combatendo as injustiças, o personagem enfrenta situações penosas e ridículas, mantendo, porém, uma figura nobre e patética.


Como fazer amigos e influenciar pessoas, de Dale Carnegie

Dentre diversas inovações, o livro analisa o impacto da internet na comunicação humana e, em especial, o impacto das redes sociais (Facebook, Orkut, LinkedIn, Twitter etc.). Além disso, por meio de situações verídicas, a obra orienta sobre formas de conduta adequadas a esses novos meios de relacionamento social, para o pleno sucesso pessoal e profissional. Como fazer amigos e influenciar pessoas na era digital também contempla a nova etiqueta em construção na internet, abordando inclusive o fenômeno “cyberbullying” – críticas indevidas e assédio moral por meio digital, que muitas vezes resultam em processos criminais


Capitães da Areia, de Jorge Amado

Várias gerações de brasileiros sofreram o impacto e a sedução desses meninos que moram num trapiche abandonado no areal do cais de Salvador, vivendo à margem das convenções sociais. Verdadeiro romance de formação, o livro nos torna íntimos de suas pequenas criaturas, cada uma delas com suas carências e suas ambições: do líder Pedro Bala ao religioso Pirulito, do ressentido e cruel Sem-Pernas ao aprendiz de cafetão Gato, do sensato Professor ao rústico sertanejo Volta Seca. Com a força envolvente da sua prosa, Jorge Amado nos aproxima desses garotos e nos contagia com seu intenso desejo de liberdade. 


E ai, curtiu? Já estamos ansiosos para saber os mais vendidos de 2020!


Carolina Gomes

Redatora em Estante Virtual
Carol é estudante de jornalismo e redatora na Estante Virtual. Ela também adora editar vídeos e se aventurar no marketing digital. É apaixonada por música, livros e cinema.
Carolina Gomes
Comentários

Carolina Gomes

Carol é estudante de jornalismo e redatora na Estante Virtual. Ela também adora editar vídeos e se aventurar no marketing digital. É apaixonada por música, livros e cinema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *