Seguidores indicam 12 livros clássicos e moderninhos com finais surpreendentes

(2.9 Estrelas - 10 Votos)

Sondamos quais títulos estão bombando na opinião do nosso público

Cada história tem seu desfecho – ainda que haja uma continuação ou que algo fique mal esclarecido. Quem nos acompanha pelas redes sociais, sabe que, no último fim de semana,  lançamos um recurso interativo para saber quais são os melhores livros clássicos e modernos com finais surpreendentes. Nossos seguidores do Twitter, Facebook e Instagram participaram e o resultado foi um sucesso: mais de 300 comentários ao todo! Dos clássicos brasileiros,  suspenses internacionais e ficções, separamos 12 entre os mais citados pelos leitores. Vamos conferir?


A garota do trem, de Paula Hawkings 

Todas as manhãs, Rachel pega o trem de Ashbury para Londres. O percurso, que ela conhece de olhos fechados, é um passeio de galpões, caixas d’água, pontes e casas rústicas. Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E, é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes – a quem chama de Jess e Jason –, a moça é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess – na verdade, Megan – está desaparecida. Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. Assim, como testemunha, acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos. Indicado via Twitter por @FatihSant. 


Os irmãos karamazovi, de Fiódor Dostoiévski  

Apesar da linguagem de ‘Os irmãos Karamazovi’ ser mais complexa e densa do que de ‘Crime e castigo, Virginia Woolf aponta o livro como o seu favorito de todas as épocas. A obra é elogiada por resumir toda a criatividade de Dostoiévski, no qual ele expõe todas a suas “malditas” questões existenciais que tanto o atormentaram – como a degradação moral da humanidade. Indicado via Twitter por @costhinha. 

Os irmãos karamazovi, de Fiódor Dostoiévski


Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa 

Eleito um dos cem livros mais importantes de todos os tempos pelo Círculo do Livro da Noruega. Grande sertão: Veredas é definitivamente um clássico da literatura nacional e da valorização do homem.  Indicado via Facebook por Regina Oliveira.

Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa


O caçador de pipas, de Khaled Hosseini 

A estreia de Khaled Hosseini na literatura já chegou com um romance totalmente envolvente. O escritor afegão trouxe um best-seller com uma narrativa eloquente sobre a relação frágil entre pais e filhos, entre os seres humanos e entre o homem e sua pátria. Amir e Assam partilharam uma infância e cresceram juntos, assim como seus pais. A história de amizade entre os dois é também uma história de traição, nos levando a refletir sobre etnia, sociedade e religiões diferentes. Até que, um dia, a batalha da pipa azul mudaria o destino dos personagens para sempre. Indicado via Instagram por @mandinha90. 


Cem anos de solidão, de Gabriel García Márquez 

O  autor narra a incrível história da família Buendía, uma estirpe de solitários que habitam a mítica aldeia de Macondo. A narrativa desenvolve-se em torno de todos os membros dessa família, com a particularidade de que todas as gerações foram acompanhadas por Úrsula, uma personagem centenária e uma matriarca das mais conhecidas da história da literatura latino-americana. Indicado via Twitter por @leleco_j. 

Cem anos de solidão, de Gabriel García Márquez


Antes de nascer o mundo, de Mia Couto 

Jesusalém, pequeno local encravado em Moçambique, abriga cinco almas apartadas das gentes e das cidades do mundo. Ali, ensaiam um arremedo de vida: Silvestre e seus dois filhos, Mwanito e Ntunzi, mais o Tio Aproximado e o serviçal Zacaria. O passado para eles é pura negação recortada em torno da figura da mãe morta em circunstâncias misteriosas. E o futuro se afigura inexistente. Mas um belo dia os donos do mundo voltarão para reivindicar a terra de Jesusalém. E não só isso: uma bela mulher também virá para agitar a inércia dos dias solitários daqueles homens. Indicado via Facebook por João Antonio. 

Antes de nascer o mundo, de Mia Couto


E não sobrou nenhum, de Agatha Christie  

Trata-se de um clássico da consagrada escritora de suspense e terror, Agatha Christie. Dez pessoas são convidadas a passar o fim de semana em uma ilha por um anfitrião desconhecido. No entanto, todos começam a morrer – um a um. Resta aos leitores, então, descobrir quem é o assassino, em meio a uma narrativa instigante e aterrorizante, típicas características da autora. Indicado via Instagram por @beatrizdasilvamunhoz. 

E não sobrou nenhum, de Agatha Christie


A amiga genial, de Elena Ferrante 

Se você ainda não começou a ler a série napolitana, precisa fazer isso em 2018. A misteriosa autora italiana, Elena Ferrante, conquistou fãs no mundo inteiro com a história de Lila e Lenu no pequeno bairro de Nápoles, na década de 1950. Elena, a menina mais inteligente da turma, tem sua vida transformada quando a família do sapateiro Cerullo chega ao bairro e Raffaella, uma criança magra, mal comportada e selvagem, se torna o centro das atenções. Essa menina, tão diferente de Elena, exerce uma atração irresistível sobre ela. É possível reconhecer-se e mergulhar em todas as relações humanas retratadas entre as amigas, entre pais e filhos e entre os casais. Indicado via Facebook por Vera Moura.

A amiga genial, de Elena Ferrante


As crônicas de Nárnia, de C. S. Lewis 

Jadis, também conhecida como a Feiticeira Branca, pode ser má até os ossos, mas ela consegue resolver as coisas. Além da Terra, o único mundo em que seus poderes mágicos não funcionam, Jadis consegue subir ao poder e, eventualmente, ganhar o domínio total sobre cada pedaço de terra onde ela já morou. Quando seu primeiro reino é destruído, Jadis cai em um sono encantado, até que aparece uma oportunidade de encontrar um novo reino, Narnia, que ela encontra em seu nascimento. Indicado via Instagram por @clubedolivroalegre. 

As crônicas de Nárnia, de C. S. Lewis


Garota exemplar, de Gillian Flynn 

Amy Elliot, a filha e esposa perfeita, desaparece no dia do seu 5º aniversário de casamento, deixando vestígios trágicos e o principal suspeito é o seu marido, Nick Dunne. O caso ganha notoriedade nacional, devido a fama de Amy. O relacionamento em crise, traições, a carreira em decadência e a mudança de Manhattan para a pequena cidade no Missouri, às margens do Mississipi, vão dando o tom desse eletrizante mistério. A autora, Gillian Flynn, apresenta um emblemático cenário de suspense a partir dos relatos no diário de Amy, às contradições de Nick – que precisa provar sua inocência e, ao mesmo tempo, descobrir o paradeiro da esposa – e as novas pistas que vão sendo montadas. Aliás, Amy adora brincar com pistas e elas vão movimentando o caso. Confira a resenha do livro aqui! Indicado por @kastrupjulia via Twitter.

Garota exemplar, de Gillian Flynn


Dom Casmurro, de Machado de Assis 

Fato! Um dos maiores enredos da história da literatura universal, a obra tem o poder de transitar por todos os públicos. Machado de Assis escreveu o romance em que Capitu, a menina “dos olhos oblíquos e dissimulados” e “de olhos de ressaca”, nos deixa um eterno suspense – até hoje indecifrável! Apesar de o autor ter se dedicado em dar pistas e insights aos leitores sobre o grande mistério do livro, a alma da personagem é até hoje “um labirinto sem saída” entre os episódios, personagens e sensações. Indicado via Facebook por Tatiane Cruz de Morais. 

Dom Casmurro, de Machado de Assis


O sol é para todos, de Harper Lee 

Publicado em 1960, o clássico americano escrito por Harper Lee narra a história de Atticus – um correto e corajoso advogado – que assume um caso judiciário de um homem negro – acusado de estupro por uma mulher branca. O resultado é surpreendente. Aprendemos uma grande “lição de moral” – que tem atravessado as gerações e não é à toa que estima-se que a obra tenha vendido mais de 40 milhões de cópias em todo mundo desde o seu lançamento. Vale lembrar também que o título ganhou adaptação para o cinema com três prêmios Oscars, além do Pulitzer de Literatura para a autora em 1961. Veja também algumas curiosidades sobre a autora aqui! Receba uma dose de coragem após esta leitura sensacional! Indicado via Instagram por @veralucia2112. 


O que faz o final de um livro valer a pena?

[wysija_form id=”5″]
Andréia Coutinho Louback

Andréia Coutinho Louback

Jornalista em Estante Virtual
Apaixonada por histórias e viciada em comprar livros. Mestre em relações étnico-raciais, ela atua rumo à superação do racismo na sociedade, em especial, na área da comunicação.
Andréia Coutinho Louback
Comentários

Andréia Coutinho Louback

Apaixonada por histórias e viciada em comprar livros. Mestre em relações étnico-raciais, ela atua rumo à superação do racismo na sociedade, em especial, na área da comunicação.

Um comentário em “Seguidores indicam 12 livros clássicos e moderninhos com finais surpreendentes

  • 29.04.2018 a 9:42 am
    Permalink

    Amigos, a Sônia Soares foi a mais lúcida ao observar que na lista faltou “Os Maias”, de um dos dois maiores escritores portugueses de todos os tempos. O outro, acrescento, é José Saramago, que também foi ausência sentida na relação acima. Adilson

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares