Cinco polêmicas sobre Anne Frank

(0 Estrelas - 0 Votos)

Anne Frank começou seu diário no dia 14 de junho de 1942 Um dos livros mais influentes da história, O diário de Anne Frank continua a emocionar e inspirar leitores no século XXI. Como toda narrativa de fatos históricos, também tem inspirado polêmicas e discussões acaloradas. Confira abaixo algumas controvérsias geradas pela obra. Anne Frank – A falsificação Algumas pessoas – principalmente, os que alegam que o Holocausto não aconteceu – afirmam que O diário de Anne Frank é uma falsificação. Para acabar com esses rumores, os documentos foram examinados por especialistas que verificaram a caligrafia, a cola e as técnicas usadas na confecção dos cadernos, assim como os tipos de tinta e papel. Nada foi encontrado que indicasse fraude. Mesmo assim, ainda é possível encontrar teorias da conspiração a respeito da obra nos cantos mais obscuros da internet. Frank – O Video Game O designer alemão Kira Resari criou um game em que o jogador se coloca na pele de uma adolescente judia escondida da perseguição nazista em um sótão, exatamente como aconteceu com Anne. Segundo o autor, a ideia era educar a nova geração a respeito do Holocausto. Apesar de o game ainda não estar à venda, muita gente já está protestando, alegando que é mau-gosto fazer um jogo de uma história tão trágica. Kira, no entanto, rebate: “Os mais jovens precisam ter acesso à história na sua própria forma de expressão”. Anne Frank – A fã de Justin Bieber Poucos nomes de jovens famosos parecem mais distintos um do outro do que Anne Frank e Justin Bieber. No entanto, o cantor de Baby afirmou que, se Anne estivesse viva, ela provavelmente seria sua fã. Após visitar o museu Anne Frank, em Amsterdam, Bieber escreveu no livro de visitas que a jovem vítima do Holocausto seria uma “belieber”, que é o apelido dado aos membros do fã clube do astro. “Verdadeiramente inspirador poder vir aqui. Anne era uma grande menina. Esperançosamente ela teria sido uma belieber”. Anne Frank – A coautora do próprio diário Quando o pai de Anne, Otto Frank, publicou o diário da própria filha, ele escreveu um prólogo declarando que o livro continha a maior parte de suas palavras, escritas no período que a família se escondeu dos nazistas no anexo secreto de uma fábrica em Amsterdam. Hoje, a Swiss Foundation é detentora dos direitos autorais de O diário de Anne Frank, e avisou a todos que o pai da menina não é apenas o editor, mas também é, legalmente, coautor do livro. A razão tem a ver com o prazo para que a obra seja considerada de Domínio Público. Como Anne faleceu há mais de 70 anos, sua obra já poderia ser publicada e reproduzida livremente. Como Otto faleceu em 1980, fazê-lo coautor estende o controle da comercialização do best-seller por mais algumas décadas, garantindo mais alguns milhões de dólares para os detentores dos direitos. Veja o único vídeo de Anne Frank, aqui assistindo a um casamento da janela da sua casa. Descubra sete coisas que você não sabia sobre Anne Frank.   O que você achou de O diário de Anne Frank? Deixe seu comentário e participe da conversa. ]]>

Leonardo Loio

SEM, SEO e tudo relacionado a buscadores, é o que eu gosto. Carioca, marketeiro, profissional de marketing digital, search marketing, tento aprender, discutir e ensinar.

One thought on “Cinco polêmicas sobre Anne Frank

  • 17.04.2017 em 5:27 pm
    Permalink

    Sem sombra de divida justin bibier é retardado.

Fechado para comentários.

Maze Runner: Conheça os livros da saga Conheça os livros de Jô Soares Se você gostou dessas séries, vai gostar desses livros! Clássicos do Horror para conhecer Os melhores romances para ler nos próximos meses