Os ganhadores mais recentes do Prêmio Booker

(2 Estrelas - 1 Votos)
Prêmio Booker, um dos mais respeitados do mundo

O Prêmio Booker, também conhecido como Prêmio Man Booker, é, ao lado do Pulitzer e do National Award, uma das três laureações literárias mais importantes do mundo. Criado em 1969, apenas podem concorrer obras de ficção redigidas em língua inglesa por autores vivos e que sejam cidadãos de um país membro da Commonwealth ou da República da Irlanda ou Zimbabwe. O vencedor recebe 50 mil libras esterlinas e, com certeza, é assegurado grande reconhecimento internacional, muito provavelmente seguido de significativo incremento nas vendas da obra premiada.

O ganhador de 2016 será conhecido somente em outubro e muitas especulações, como sempre, já vem sendo feitas. Antes, porém, em setembro, serão divulgados os finalistas. Façam suas apostas!

Abaixo colocamos os últimos ganhadores. Conheça!

2006: O legado da perda, de Kiran Desai

A história de um juiz aposentado que, desiludido com a vida, decide se isolar às margens do Himalaia. Num casarão decadente, ele tem a companhia de um cozinheiro idoso, de uma inseparável cadela de estimação e de Sai, sua neta órfã. Quando uma revolta eclode nas montanhas, a vidas dos habitantes da casa muda, e o juiz se vê obrigado a rever seu passado, sua jornada e seu papel nas histórias que se entrelaçam à sua volta.

o legado da perda
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

2007: O encontro, de Anne Enright

Um texto cheio de fúria e de poesia para narrar a história de uma numerosa família irlandesa que é obrigada a se reunir, depois de muito tempo afastada, para o funeral de um de seus membros. Através dos olhos de Veronica — mãe de duas meninas e casada com um homem que lhe é cada vez mais distante —, o leitor conhece o passado conturbado da família Hegarty e os dramas que envolveram sua avó, Ada, sua mãe e seus tios, e, finalmente, seus incontáveis — e desajustados — irmãos.

o encontro
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

2008: O tigre branco, de Aravind Adiga

Numa história irônica e divertida, o protagonista relata o trajeto bastante inusitado que percorreu para subir na vida e conseguir se tornar alguém importante no cenário nacional ao assassinar seu patrão. Em cartas dirigidas ao primeiro-ministro chinês, Balram Halwai revela uma visão crítica aguçada da sociedade indiana e do mundo contemporâneo, e justifica seu crime classificando-o como um ato de empreendedorismo.

o tigre branco
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

2009: Wolf Hall, de Hilary Mantel

A Inglaterra da década de 1520 está a um passo do desastre. Sem herdeiros, Henrique VIII deseja anular seu casamento e desposar Ana Bolena, salvando assim o país de uma guerra civil. Porém, a saga em busca da liberdade do rei destrói seu conselheiro, o brilhante Cardeal Wolsey, e deixa um vácuo de poder. É nesse cenário conturbado que Thomas Cromwell, gênio político, rompe todas as regras de uma sociedade rígida em sua ascensão ao poder. Confrontando o parlamento, as instituições políticas e o papado, ele está pronto para remodelar a Inglaterra segundo seus próprios desejos e os do rei, mas sabe que um único erro pode significar a sua morte.

wolf hall
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

2010: A questão Finkler, de Howard Jacobson

O ex-produtor da rádio BBC e depressivo Julian Treslove e Sam Finkler, filósofo, escritor e celebridade televisiva, são velhos amigos. Sam é judeu; Julian, não. A despeito do relacionamento cheio de altos e baixos e dos estilos de vida muito diferentes, eles jamais perderam o contato um com o outro – nem com o ex-professor Libor Sevcik, um judeu tcheco sempre mais preocupado com o que acontece no mundo do que com os resultados das provas. Um dia, após um jantar, Treslove é assaltado em uma inusitada situação. Depois disso, toda a sua noção de quem e do que ele é sofrerá uma lenta e inelutável mudança.

a questao finkler
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

2011: O sentido de um fim, de Julian Barnes

As distorções com que o passado costuma ser revisitado estão no cerne desta obra, uma viagem ficcional do autor aos anos 60. Uma história sobre identidade, amor e morte.

o sentido de um fim
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

2012: O livro de Henrique, de Hilary Mantel

Em 1535, Thomas Cromwell, o filho do ferreiro, muito se distanciou de suas origens humildes. Principal ministro de Henrique VIII, sua sorte se elevou junto à de Ana Bolena, segunda esposa do rei, por quem o monarca rompeu com Roma e criou a sua própria Igreja. Contudo, as ações do soberano conduziram a Inglaterra a um perigoso isolamento, e Ana Bolena não conseguiu cumprir aquilo que prometera: gerar um filho e assegurar a linhagem dos Tudor. Ao acompanhar Henrique em sua visita a Wolf Hall, Cromwell percebe a repentina paixão do rei pela discreta e silenciosa Jane Seymour. O ministro está certo de que não apenas o contentamento do rei está em jogo, mas também a segurança da nação. Enquanto abre caminho por meio das políticas sexuais da corte e rumores maliciosos, Cromwell precisa negociar uma “verdade” que satisfaça Henrique e que proteja a própria carreira. Mas nem o ministro nem o rei emergirão intactos do sanguinário teatro dos últimos dias da rainha. Esta é a continuação do livro vencedor do Booker de 2009, Wolf Hall.

o livro de henrique
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

2013: Os luminares, de Eleanor Catton

Ambientado na Nova Zelândia em pleno século XIX, Os luminares tem como pano de fundo a corrida do ouro na Nova Zelândia, em que personagens tentam desvendar a causa da morte de um homem solitário e descobrir o paradeiro de outro, que sumiu sem deixar vestígios. Trama de mistério, tudo nesta obra é inusitado, no limite entre o estranho e o fantástico. A obra, com mais de 800 páginas, tem estrutura inspirada na astrologia e faz uma paródia do romance vitoriano.

os luminares
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

2014: O caminho estreito para os confins do norte, de Richard Flanagan

História do médico Dorrigo Evans, que sobreviveu a três anos e meio ao lado de outros milhares de soldados que receberam uma tarefa hercúlea: a construção, sem ferramentas adequadas, de uma ferrovia de 415 quilometros na Ásia durante a Segunda Guerra Mundial. O autor, ao narrar este episódio, baseou-se na vida do próprio pai.

o caminho estreito para os confins do norte
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

2015: A Brief History of Seven Killings (Uma breve história de sete assassinatos, em tradução livre), de Marlon James (não disponível no Brasil)

O livro é inspirado em um caso real e descreve como Bob Marley e sua equipe foram atacados antes de um show em prol da paz, em 1976, em Kingston, capital da Jamaica. Épico de 686 páginas e com mais 75 personagens, que se alternam no papel de narrador, o livro possui gírias jamaicanas e do Harlem, em Nova York. Tem ainda boas doses de linguajar liberal e escatológico. Um dos capítulos é inteiramente escrito no dialeto jamaicano. A Brief History of Seven Killings será publicado pela Intrínseca ainda em 2016.

A Brief History of Seven Killings


Qual seu livro premiado preferido? Compartilhe e participe da conversa.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares