Nobel de Literatura é concedido a Bob Dylan

(0 Estrelas - 0 Votos)

Há dias anunciamos os melhores livros de música de todos os tempos. Dylan havia sido o número um O cantor e compositor americano Bob Dylan (75), autor de diversos hinos dos anos 1960, foi anunciado nesta quinta-feira como o vencedor do Nobel de Literatura 2016. A Academia Sueca destacou a contribuição de Dylan, como um músico que mesclou influências do folk à intensidade da poesia beatnik no início da carreira, para a tradição do cancioneiro americano, na qual “criou novas expressões poéticas”. O anúncio surpreendeu especialistas que apostavam em nomes fortes, como o japonês Haruki Murakami e o americano Philip Roth. O Nobel de Literatura tem que ser dado a alguém vivo e que tenha atingido a excelência em sua área de atuação. O nome do cantor já havia sido cogitado em alguns anos, mas só em 2016, aos 75 anos de idade, ele foi premiado. “Ele é o grande poeta, um grande poeta dentro da tradição da língua inglesa. Um autor original que carrega com ele a tradição e está há mais de 50 anos inovando e se renovando”, disse a secretária permanente da Academia Sueca, Sara Danius, depois do anúncio solene. Nascido no estado de Minnesota e neto de imigrantes judeus de classe média, aos 10 anos Dylan escreveu seus primeiros poemas e, ainda adolescente, aprendeu piano e guitarra sozinho. Começou cantando em grupos de rock, imitando Little Richard e Buddy Holly, mas quando foi para a Universidade de Minnesota em 1959 voltou-se para a folk music, impressionado com a obra musical do lendário cantor folk Woody Guthrie, a quem foi visitar em Nova York em 1961. Também teve muita influência da Geração Beat, a qual moldou muito suas composições, produzidas por mais de cinco décadas. Aos 20 anos, mudou-se para Nova York e começou a se apresentar nos bares do efervescente Greenwich Village, bairro então tomado por representantes da contracultura. Foi logo descoberto pelo produtor John Hammond, com quem assinou contrato para o primeiro álbum, Bob Dylan, lançado em 1962. A Academia Sueca destacou em sua obra, os discos Oh Mercy (1989), Time Out of Mind (1997) e Modern Times (2006). Dylan cantou sobre os problemas da América e, em 2004, foi eleito pela revista Rolling Stone o segundo melhor artista da música de todos os tempos, ficando atrás somente dos Beatles. Uma de suas principais canções, Like a Rolling Stones, foi escolhida também como uma das melhores de todos os tempos. Ainda em 2004, lançou uma autobiografia, Crônicas, publicada no Brasil pela Editora Planeta e disponível no acervo da Estante Virtual. Livro destacado, inclusive, na última lista de melhores livros sobre música de todos os tempos, classificada pela Billboard e divulgada também aqui no Estante Blog.

Leia também: Os 100 melhores livros sobre música

Gostou da notícia? Comente e participe da conversa 🙂

]]>

Natália Figueiredo

Natalia Figueiredo fez da escrita sua profissão. Começou a carreira no jornalismo impresso do Rio, é editora do Estante Blog e mantém o blog de viagens Nat no Mundo.

Conheça os livros de Jô Soares Se você gostou dessas séries, vai gostar desses livros! Clássicos do Horror para conhecer Os melhores romances para ler nos próximos meses Os melhores livros espíritas