Morre Boris Schnaiderman aos 99 anos

(0 Estrelas - 0 Votos)
18 de maio. Dia do falecimento do pai da literatura russa no Brasil

Escritor, tradutor e professor de literatura russa, Boris Schnaiderman chegou ao Rio de Janeiro, em 1925, vindo da Ucrânia, mas logo se mudou para São Paulo, uma de suas paixões. O tradutor foi o principal responsável por tornar conhecida a literatura russa no Brasil, pois diferentemente do que acontecia antes, quando os livros eram traduzidos do inglês e do francês, ele começou a verter do idioma russo diretamente para o português. Entre os autores traduzidos por ele estão: Fiódor Dostoiévski, Tolstói, Tchekhov, Boris Pasternak, Gorki, Isaac Babel, Maiakovski e Pushkin. Foi também o responsável pela criação do curso de literatura russa da USP, em 1963.

Boris estava internado no Hospital Samaritano, em São Paulo, onde passou por uma cirurgia no fêmur após ter sofrido uma queda em casa. Infelizmente, o quadro se agravou, originando uma pneumonia.

Alguns livros de Boris Schnaiderman.

Guerra em Surdina

Em seu único livro de ficção, Schnaiderman constrói a trajetória dos combatentes da Força Expedicionária Brasileira (FEB) na Segunda Guerra Mundial, desde a convocação repentina até a volta para o Brasil. O percurso é trabalhado a partir de perspectivas individuais frente às catástrofes da guerra, compondo uma prosa em surdina e intimista, ainda que em múltiplas vozes.

guerra em surdina
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Caderno italiano

Neste livro, Boris relata, por meio de textos inéditos e antigos, suas memórias da luta na Itália pela Força Expedicionária Brasileira durante a Segunda Guerra Mundial.

caderno italiano
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Semiótica russa

Semiótica Russa mostra que os semioticistas soviéticos desenvolveram uma intensa e fértil atividade. Seus trabalhos, como os de seus predecessores, abrangem os mais variados setores da produção sígnica, além das pesquisas linguísticas, estruturais de caráter geral, aplicações no teatro, cinema, prosa de ficção, poesia, pintura, escultura, arquitetura e até antropologia, história, folclore etc. O sopro renovador que veio da Rússia no início do século parece continuar nesses estudos.

semiotic russa
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Projeções: Rússia/Brasil/Itália

As projeções que o escritor realiza aqui de temas e aspectos dos universos literários russo, brasileiro e italiano, são exemplos importantes não só de análises crítico-literárias, como do discurso humano em uma esfera onde o fragmentário, o ambíguo, o matizado fazem do mundo o texto, e do texto o mundo.

Projeções- Rússia:Brasil:Itália
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Os escombros e o mito

Como repensar a cultura e a literatura russa após o turbilhão e a reviravolta que tornaram famosas palavras como Glasnost e Perestroika? Como analisar a produção poética e crítica de uma literatura que, elevada à vanguarda das criações humanas universais desde o século XIX, com as obras de Dostoievski, Tolstoi e Maiakóvski, de repente vê o desmoronar da União Soviética e o fim de certa utopia revolucionária? Boris Schnaiderman enfrenta, nestas páginas, o desafio da nova cena histórica em suas várias implicações culturais.

os escombros e o mito
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Alguns autores traduzidos por Boris Schnaiderman.

Fiódor Dostoiévski

Anton Tchekhov

Liev Tolstói

A.S. Pushkin


Veja na Estante Virtual a obra completa de Boris Schnaiderman.

 

Qual seu autor russo preferido? Compartilhe e participe da conversa.

Comentários

Um comentário em “Morre Boris Schnaiderman aos 99 anos

  • 02.10.2016 a 3:59 pm
    Permalink

    Aos oito anos de idade, chegou a presenciar as filmagens da classica cena da escadaria de Odessa do lendario filme

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *