Sigmund Freud: 6 livros para compreendê-lo

(2.6 Estrelas - 36 Votos)

160 anos do nascimento de Sigmund Freud

No dia 06 de maio de 1856 nascia aquele que mudaria para sempre o modo como a mente humana seria tratada: Sigismund Schlomo Freud, mais conhecido como Sigmund Freud, o fundador da Psicanálise. Seu método de terapia começou a ser testado com o uso da hipnose para tratamento de pacientes com histeria. Logo ele percebeu que poderia ter acesso às memórias e trabalhar com o inconsciente das pessoas.

Suas teorias e seu tratamento com os pacientes são controversos desde Viena, Áustria, no século XIX, até os dias atuais. As ideias elaboradas por ele são, frequentemente, discutidas e analisadas como obras de literatura e cultura geral em adição ao contínuo debate ao redor delas no uso como tratamento científico e médico.

6 obras para entender melhor como funcionava a mente de Sigmund Freud

Nesta obra encontra-se a densidade de quatro décadas do trabalho de Sigmund Freud, editada com agilidade que transmite as ideias essenciais do psicanalista. Um texto em que Freud sedimenta as teorias sobre o desenvolvimento libidinal do aparelho psíquico, além de explorar a coordenação dos elementos cruciais de sua segunda topologia do aparelho psíquico, como as exigências pulsionais do id, os métodos de satisfação do ego e a gestão do superego.

esboco de psicanalise
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Aqui Sigmund Freud aborda os processos inconscientes, pré-conscientes e conscientes envolvidos nos sonhos, incluindo sonhar, recordar e relatar o sonho. O livro desenvolve um método para conseguir acesso ao sonho, tomando elementos de suas experiências prévias com as técnicas de hipnose e com o tratamento da histeria através da técnica de associação livre.

a interpretacao dos sonhos
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

A obra analisa investiga as origens da infelicidade, além do conflito entre indivíduo e sociedade e suas diferentes configurações na vida civilizada. O livro proporciona um mergulho na teoria freudiana da cultura, segundo a qual civilização e sexualidade coexistem de modo sempre conflituoso.

o mal estar na civilizacao
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Michael Kahn explora os principais eixos da teoria psicanalítica de Sigmund Freud. Usando conceitos-chave, como o complexo de Édipo, a compulsão à repetição, culpa, ansiedade e mecanismos de defesa, Kahn demonstra a importância de Freud em nossa vida cotidiana.

freud basico
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Esta síntese das principais ideias de Freud são apresentadas em oito capítulos: A primeira fase; A teoria da mente; Sonhos, erros, sintomas e chistes; Sexualidade; A neurose: sua natureza, causa e cura; O inconsciente e o ego; A última fase; Civilização e sociedade.

as ideias de freud
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Um documento raro e impactante que narra e comenta os anos iniciais da pesquisa de Freud e sua curiosa relação com a cocaína. Este audacioso estudo chega a conclusões surpreendentes, como admitir que o consumo da droga foi essencial para que Freud tivesse a autoconfiança necessária para mergulhar em suas teorias mais inovadoras e escrever A interpretação dos sonhos.

freud e a cocaina
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Concorda com a importância de Sigmund Freud? Dê sua opinião e participe da conversa.

[wysija_form id=”5″]
Comentários

6 comentários em “Sigmund Freud: 6 livros para compreendê-lo

  • 25.06.2018 a 2:04 am
    Permalink

    Estou fazendo formação e conheço todas as sociedades que são unânimes em indicar para o iniciante os livros 1 e 2 de Jorge Coutinho – Fundamentos da Psicanálise e o melhor dicionário que é imprescindível ter o Vocabulário de Psicanálise de Laplanche Pontalis, todos tem aqui na Livraria Virtual.

  • 27.03.2017 a 6:10 pm
    Permalink

    Como você disse, Freud tinha terias e tratamentos controversos, um exemplo disso, que poderia ter sido mencionado era que ele acreditava que o desejo sexual era a energia motivacional principal da vida do ser humana, como um animal cheio de razões imperfeitas e bastante influenciados pelos seus desejos e sentimentos mais profundos.

    Ele era o ás da psicologia.

  • 29.05.2016 a 1:16 pm
    Permalink

    Editado, após revisão:
    E como fui me esquecer de O mal-estar na civilização (no original, Das Unbehagen in der Kultur, ou seja, O mal-estar na cultura)?

  • 27.05.2016 a 7:15 pm
    Permalink

    Na relação, faltam, pelo menos, duas obras basicas de Freud: Moisés e o monoteísmo (no original: O homem Moisés e a religião monoteísta) e O futuro de uma ilusão. A Interpretacao dis sonhos nao e uma obra de início. Sugiro apenas o primeiro capítulo, publicado pela Imago sob o título Sobre os sonhos. Leituras sobre Freud, somente após conhecer suas (ou parte de) obras do gênio. Trata-se de releituras segundo a percepção dos autores, às vezes deformadas ou incompletas. Salva-se, com louvor, Eros e civilização, de Herbert Marcuse.

  • 22.05.2016 a 9:07 pm
    Permalink

    Os conteúdos psíquicos sempre existiram antes, durante e depois dos registros do Dr. Freud. Seu pioneirismo é o marco divisor da evolução da mente humana. Assim como Pavlov para com a mente dos animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *