Três garotas super poderosas da literatura infantil

(0 Estrelas - 0 Votos)

Guerreiras, aventureiras, heroínas: ninguém para essas meninas! A melhor maneira de produzir um adulto tolerante é por meio da leitura. Assim, preparamos uma lista para expor a criança da sua vida (interna ou externa) às heroínas mais porretas dos livros para baixinhos. Confira o nosso trio parada dura. Alice (Alice no País das Maravilhas – Lewis Carroll) [caption id="attachment_16193" align="alignnone" width="680"]alice Veja o livro[/caption] Numa época em que apenas homens barbados tinham permissão para viver aventuras, essa pequena poderosa ousou ouvir sua supercuriosidade e seguiu um coelho branco. Acabou descobrindo um mundo de encantamentos e perigos. A verdade é que o País das Maravilhas de Carroll é povoado por alusões satíricas a amigos e inimigos do autor, além de temas sensíveis para a sociedade do século XIX. De certa forma, ao enfrentar a Rainha de Copas, Alice está lutando contra monstros tanto do universo infantil quanto adulto. E isso não é pra qualquer herói, não. Coraline (Coraline – Neil Gaiman) [caption id="attachment_16240" align="aligncenter" width="680"] Veja o livro[/caption] Alice inspirou várias gerações de meninas poderosas. Mas poucas transitam com tanta tranquilidade entre o conto de fadas e as histórias de terror como Coraline. Assim como Alice, a solitária Caroline descobre a entrada para um outro mundo. Um mundo com clones idênticos dos seus pais, apenas com botões no lugar dos olhos (!). E eles querem que ela também opte pela substituição de seus globos oculares (!!). Ela agradece o convite, mas opta por manter o dom da visão. E quando Coraline volta para casa, seus pais desapareceram e ela precisa voltar ao outro mundo para libertá-los. E quando ela acredita ter derrotado o vilão-mor, um membro (literalmente) do time dos monstros ainda volta para dar o troco. O que seria o pesadelo de muito barbado é o parque de diversões de Coraline. Também pudera. Ser heroína de uma história de Neil Gaiman não é brinquedo, não. Julieta (Uma Menina Chamada Julieta – Ziraldo) [caption id="attachment_16195" align="alignnone" width="680"]julieta Veja o livro[/caption] A literatura infantil brasileira também tem suas super-heroínas. Depois de oito livros sobre o Menino Maluquinho, mestre Ziraldo resolveu dar voz e vez a sua “menina maluquinha.” Julieta herdou da avó sua camiseta de Capitão Marvel, seu amor pelos quadrinhos e, de seu criador, herdou a personalidade irriquieta, debochada e (como diria o próprio Ziraldo) “traquinas”. Com a Julieta não tem tempo ruim: ensina os meninos a assoviar, detona no videogame e, no futebol, ela fecha o gol.Vai que é sua, Julieta! E você? Qual sua personagem da literatura infantil favorita? Deixe sua opinião e participe da conversa. ]]>

Rodrigo Espírito Santo

Mestre em Comunicação Social, MBA em Comunicação Corporativa, Pós-graduado em roteiro de audio visual. Mais de 15 anos de experiência em comunicação empresarial, endomarketing, redação publicitária, jornalística e de conteúdo para redes sociais.

One thought on “Três garotas super poderosas da literatura infantil

Fechado para comentários.

Livros para mergulhar nas editoras independentes Histórias que combinam com café Livros sobre diversidade que você precisa conhecer 9 livros que você leria pelo título Livros para gerenciar a carreira